quinta-feira, 17 de dezembro de 2015


Promoção de Natal LK MULTIMARCAS

T-shirt POLO VIP R$ 29,90

Gola Polo POLO VIP R$ 54,90

Bermuda POLO VIP R$ 49,90

Ainda concorra a 2 Motos e 3 Tvs Led no fim do ano.

LK MULTIMARCAS fica na Coronel Martiniano, 564 a centro

na loja EDISOM IMPORTADOS

Médicos plantonista voltam ao trabalho no Hospital Regional do Seridó


emenda saudeO diretor clínico do Hospital Regional do Seridó, ortopedista Silvio Filho, recebeu uma ligação do secretário estadual de Saúde, Ricardo Lagreca. Ele se comprometeu a pagar os meses de setembro e outubro aos plantonistas.
Os médicos deram um voto de confiança, segundo eles mesmos, e vão retomar as atividades. Quanto a novembro e dezembro, Lagreca espera creditar as contas até janeiro de 2016.

Brasil estreia na Copa América do Centenário em estádio do tetra


Os organizadores da Copa América do Centenário, que será disputada em 2016 nos Estados Unidos, divulgaram nesta quinta (17) a tabela da competição. O torneio reunirá 16 equipes das Américas do Sul, do Norte e Central entre 3 e 26 de junho.
O Brasil, um dos cabeças de chave, estará no Grupo B e fará sua estreia no palco em que foi campeão do mundo em 1994 -o estádio Rose Bowl, na cidade de Pasadena, na Califórnia. O jogo será no dia 4 de junho.
No dia 8, a seleção atuará em Orlando, na Florida, no Orlando Citrus Bowl, e no dia 12 em Foxborough, na região de Boston, no Gillette Stadium.
Na final da Copa de 1994, o Brasil bateu a Itália por 3 a 2 na decisão por pênaltis, a primeira da história dos Mundiais, depois de 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação. Depois da Copa, o Brasil esteve no Rose Bowl em março de 2001, durante amistoso com vitória por 2 a 1 sobre os Estados Unidos.
O Brasil foi escolhido um dos cabeças de chave por mérito esportivo. Os outros são Estados Unidos, no Grupo A, como país-sede, a Argentina, no D, como melhor sul-americano do ranking Fifa em dezembro, e o México, no C, pela importância histórica e regional.
O coordenador de seleções da CBF, Gilmar Rinaldi, disse no fim de novembro que a seleção brasileira disputará a Copa América com o time principal.
Como será realizada pouco mais de dois meses antes da Olimpíada do Rio, havia a possibilidade de a seleção olímpica, formada na sua maioria por atletas de até 23 anos, ser usada na Copa América –somente três jogadores acima dessa idade podem disputar a competição.
A Copa América do Centenário comemorará os 100 anos da Conmebol. A competição esteve ameaçada de não acontecer devido às denúncias, do Departamento de Justiça dos EUA, de que houve pagamento de propinas a dirigentes sul-americanos para a venda dos direitos comerciais da competição a uma empresa chamada Datisa.
O sorteio que definirá os grupos das 12 seleções restantes vai ocorrer no início de 2016, com base no último ranking da Fifa deste ano, explicou a Concacaf.
Folha Press

Sem plantonista, quatro cirurgias já foram suspensas no Hospital Regional


É o atraso no pagamento dos médicos contratados pelo Governo do RN, à disposição do Hospital Regional de Caicó já vem provocando mal-estar para os pacientes que procuram aquela Casa de Saúde nesta quinta-feira (17). A direção confirmou ao Blog do Marcos Dantas que o atendimento de trauma já foi paralisado. Quatro pacientes que seriam cirurgiados foram mandados embora para casa.

Marcos Dantas / Plantão Caicó

Roberto Germano anuncia retomada e início de novas obras de calçamento em Caicó

O Prefeito Roberto Germano confirmou nesta quinta-feira(17) o recebimento de recursos do governo federal referentes a duas obras de calçamento em diversas ruas do município de Caicó. Uma das obras trata-se de reinicio de pavimentação de ruas referente a convênio de 1.041.995,00 conquistado através de emenda parlamentar do ex deputado federal João Maia. A outra também é de pavimentação no valor de 592.000,00 referente a emenda do ex deputado e ministro Henrique Eduardo Alves que será iniciada nos próximos dias. Os valores das parcelas depositados nas contas da Prefeitura de Caicó nesta sexta-feira somam o valor de 539.092,00.

A obra de pavimentação referente a emenda de 1.041.995,00 que já foi iniciada e concluída em alguns trechos mais estava paralisada devido atraso nos repasses. A obra Beneficia as seguintes Ruas; Antônio Cesino - Trecho I - Bairro Paraíba, Rua Antônio Cesino - Trecho II - Bairro Paraíba, Rua Dener Araken Bernardo - Bairro Boa Passagem, Rua Dr Aladim - trecho I – Bairro João XXIII, Rua Dr Aladim - Trecho II - Bairro João XXIII, Rua Francisco Canindé - Bairro João XXIII, Rua Francisco Dantas - Bairro Maynard, Rua José Lourenço - Bairro Alto da Boa Vista, Rua José Marques - Bairro Soledade, Rua Odilon Lebarri - Bairro Barra Nova, além das Ruas, Padre Inácio G. de Melo; Manoel F. Jorge; Prof. Manoel Fernandes – todas no Bairro João XXIII.

Já a obra de pavimentação a paralelepípedo oriunda da emenda parlamentar de 592.000,00 foi licitada no último mês de maio e será iniciada contemplando as seguintes Ruas. Doutor Aladim trechos I e Doutor Aladi II, Getúlio Vargas, Trecho da rua Tereza Medeiros e a Doutor Ortulano (todas na Boa Passagem), Stênio Aladim (Recreio), José Maria Vale(João XXIII), além de Iran Santos e Daniel Diniz (Walfredo Gurgel).

WhatsApp: Justiça concede liminar para restabelecer aplicativo no Brasil

Uma decisão desta quinta-feira (17) do Tribunal de Justiça de São Paulo determinou o restabelecimento do aplicativo de mensagens WhatsApp no Brasil. As operadoras de telefonia móvel ainda vão ser notificadas da determinação.

De acordo com a decisão do desembargador Xavier de Souza, "em face dos princípios constitucionais, não se mostra razoável que milhões de usuários sejam afetados em decorrência da inércia da empresa" em fornecer informações à Justiça.
Em nota publicada no site do Tribunal de Justiça de São Paulo, o desembargador afirma ainda que considera o aumento do valor da multa uma solução adequada, "para inibir eventual resistência da impetrante".

Isso porque, segundo o TJ-SP, o WhatsApp não atendeu a uma determinação judicial de 23 de julho de 2015. A empresa foi notificada mais uma vez em 7 de agosto, com uma multa fixada em caso de não cumprimento.
O WhatsApp não atendeu à determinação novamente, de acordo com o TJ-SP. Por isso, "o Ministério Público requereu o bloqueio dos serviços pelo prazo de 48 horas, com base na lei do Marco Civil da internet".

O caso
Na quarta-feira (16), as principais operadoras de telefonia móvel do Brasil foram intimadas pela Justiça a bloquear o WhatsApp em todo o território nacional por 48 horas. O bloqueio começou a valer à 0h de quinta (17).

O recebimento da determinação judicial foi confirmado pelo Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviços Móvel Celular e Pessoal, o SindiTelebrasil, que representa as operadoras Vivo, Claro, Tim, Oi, Sercomtel e Algar.

A Justiça em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, determinou a derrubada do WhatsApp por 48 horas por causa da investigação de uma quadrilha de roubo a banco e caixas eletrônicos, de acordo com o SPTV.

Segundo o SPTV, a determinação judicial foi uma punição ao Facebook, dono do WhatsApp, que não liberou mensagens usadas pelos criminosos no aplicativo para a investigação policial. A quadrilha é investigada há dois meses.
A Justiça havia autorizado a interceptação das conversas pelo WhatsApp para investigar a facção criminosa que também tem envolvimento com o tráfico de drogas. A decisão foi da  juíza da 1ª Vara Criminal de São Bernardo, Sandra Marques, que tinha autorizado e determinado o grampo oficial e ainda estabeleceu multa diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento.

Como o WhatsApp não se manifestou, a multa já estaria em R$ 6 milhões, de acordo com o SPTV. Diante disso, a polícia e o Ministério Público (MP) pediram a interrupção do serviço à Justiça, que concordou.
Histórico.

Essa não é a primeira tentativa de bloquear o WhatsApp no país. Em fevereiro, um juiz de Teresina (PI) determinou que as operadoras suspendessem temporariamente o acesso ao app de mensagens.
O motivo seria uma recusa do WhatsApp em fornecer informações para uma investigação policial que vinha desde 2013.
G1 / PLANTÃO CAICÓ

Latam adiou decisão sobre HUB por insegurança jurídica no RN,CE e PE, destaca reportagem


A presidente da TAM S.A, Claudia Sender, declarou que a empresa busca projetos alternativos enquanto é feita análise da cidade que irá receber o hub. Em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo, publicada nesta quarta-feira, 16, Claudia afirmou que ainda não há segurança jurídica de que os aeroportos brasileiros – o de Fortaleza incluso – “possam prover” o que a empresa precisa. Segundo a presidente, este é um dos motivos pelos quais o anúncio da cidade que receberá o hub foi adiado.
De acordo com Sender, enquanto a empresa não tiver segurança de onde o hub pode ter “mais qualidade de implantação”, não poderá ser feito o anúncio da cidade que irá recebê-lo. “Vamos procurar projetos alternativos até que o hub passe a operar, mas estamos totalmente comprometidos de que isso vai acontecer”, afirmou. “Fortaleza está em processo de concessão, e não sabemos qual o formato dessa concessão, que participação terá a Infraero e que poder de investimento terá quem assumir essa concessão”, disse Claudia à Folha.
Em Recife, uma das cidades que concorrem com a capital cearense, Claudia diz que a TAM trabalha com a Infraero para desenvolver um novo modelo, que não existe hoje, de ter um terminal privado dentro de um aeroporto operado pela Infraero. “E Natal ainda tem todos os desafios logísticos do próprio aeroporto e o plano de investimento”.
O Povo

Blog do BG: http://blogdobg.com.br/#ixzz3uaQZ3yVp

Migração de TVs para internet é tendência, diz especialista

O recente lançamento do Globo Play, aplicativo para streaming da programação da TV Globo, reflete uma mudança no padrão de consumo de mídia. Segundo o estudo “Antropomedia”, realizado pela Kantar IBOPE Media, a difusão de diferentes plataformas, sobretudo tablets e smartphones, fez com que o acesso aos conteúdos produzidos deixasse de ter um lugar, para ter um momento.

Hoje, praticamente 80% da população brasileira tem acesso a duas telas, e isso muda a forma como as pessoas consomem mídia — disse Juliana Sawaia, diretora de Learning & Insights da Kantar IBOPE Media. — A TV não é mais o eletrodoméstico, é o conteúdo. O que a gente vê, escuta e lê não está mais em um lugar, mas em um momento.

De acordo com o estudo, a migração da TV para o modelo multiplataforma ainda é incipiente: 5% dos internautas dizem assistir a programas televisivos pela grande rede. Contudo, diz Juliana, o lançamento de produtos com esse fim já é um sinal de maturidade do setor. Outras mídias já haviam enxergado a possibilidade, ou até mesmo necessidade, de migração para outras plataformas.

Os jornais, por exemplo, têm o consumo offline, na versão impressa, por 33% dos brasileiros, e as versões on-line já são acessadas por 19% dos internautas do país, segundo dados do Target Group Index. O maior volume de acesso ainda vem de notebooks e desktops, com 55% e 40% dos leitores de jornais on-line dizendo acessar por esses meios, respectivamente. Os smartphones são usados por 28% deles, e os tablets, por 8%.

 É a própria vocação dos jornais e revistas, da informação, da leitura. Então, isso favoreceu a migração para o conteúdo digital explicou Juliana.

Marcos Dantas.

Bloqueio do Whatsapp tem ligação com investigações de "facções criminosas"


Segundo apurou o site Canaltech, os usuários brasileiros do WhatsApp estão em polvorosa com a possibilidade de bloqueio do aplicativo às 00h desta quinta-feira (17). Apesar da ordem judicial já ter sido emitida, há quem acredite que ela não deva ser cumprida.
Inicialmente, acreditava-se que o problema estava relacionado à disputa de mercado entre as operadoras de telefonia e o WhatsApp, mas algumas informações vazadas indicaram que a proibição está relacionada a uma investigação criminal e tem como objetivo manter a segurança do processo.

Um documento postado no Twitter mostra detalhes sobre o ofício do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo. Nele, é possível ver que tramita na Vara Criminal e tem origem no Grupo de Combate às Facções Criminosas (GCF), do DEIC.

Helio Ferreira Moraes, advogado especialista em Direito Eletrônico e colunista do Canaltech, comenta o caso: “Não foram divulgados dados do processo, mas tudo indica que não envolve assunto regulatório, como alguma briga com as teles. Esse tipo de caso geralmente busca a proteção de direitos individuais e o bloqueio de um serviço coletivo muitas vezes é usado como forma de forçar uma empresa a cumprir uma ordem judicial de abertura de dados ou identificação de um usuário”.