PROCURADORIA AVALIA INCLUIR LULA E TEMER EM MAIS UMA INVESTIGAÇÃO DA PETROBRAS

Investigadores da Procuradoria-Geral da República avaliam se vão pedir ao Supremo Tribunal Federal a inclusão do ex-presidente Lula e do vice-presidente da República, Michel Temer, no inquérito que apura se uma organização criminosa atuou no esquema de corrupção da Petrobras.

Os procuradores vão analisar os termos da delação premiada do senador Delcídio do Amaral (ex-PT-MS) que, segundo os investigadores, traz uma boa narrativa da atuação do núcleo político que teria ligações com os desvios na estatal. O senador fez revelações sobre o envolvimento do PT e do PMDB nas irregularidades.

Em relação ao ex-presidente Lula, procuradores lembram que, além de Delcídio, outros delatores indicaram que podem fazer menções a Lula. Há expectativa, por exemplo, que o ex-deputado Pedro Correa (PP-PE), que também fechou colaboração premiada, fale do ex-presidente.

Atualmente, o chamado inquérito do quadrilhão investiga 39 pessoas, entre eles, políticos do PP, PT e PMDB, como o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), o senador Edison Lobão (PMDB-MA), e o ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto.

Em sua delação, o ex-líder do governo Dilma no Senado afirmou que o ex-presidente selou a indicação de Nestor Cerveró para a diretoria internacional da Petrobras, como recompensa aos serviços prestados ao PT -após dar um empréstimo ao pecuarista José Carlos Bumlai que serviu para quitar uma dívida do partido, a Schahin obteve contratos na estatal.

“Delcídio do Amaral participou da reunião com Lula e Zeca do PT [ex-governador do Mato Grosso do Sul], em que foi sacramentada a nomeação de Nestor Cerveró para Diretoria Internacional da Petrobras”, afirma trecho das declarações prestadas por Delcídio.
O parlamentar ainda afirmou que Lula, por meio da família do pecuarista José Carlos Bumlai, agiu para tentar evitar a delação de Cerveró.

Delcídio contradiz o petista: “Ao contrário do que Lula sempre diz, Delcídio afirma que o ex-presidente teve participação em todas as decisões relativas as diretorias das grandes empresas estatais, especialmente a Petrobras”, afirma o termo de delação do senador.
Segundo Lula, as indicações para diretorias, incluindo a de Cerveró, eram feitas pelos partidos à Casa Civil.

“Discute-se com o partido que vai indicar, discute-se com a liderança do partido, vai para a Casa Civil, faz a triagem através do GSI e esse nome vem para você. Aí você pega o nome manda para o Conselho Administrativo da Petrobras, ela indica ou não”, afirmou o petista.
No caso de Temer, Delcídio disse que personagens ligados a irregularidades na estatal tinham a “chancela” do vice-presidente. Um deles é o lobista João Augusto Henriques, outro é o ex-diretor Jorge Zelada, ambos atualmente presos pela Lava Jato.

Segundo Delcídio, o PMDB da Câmara obteve poder sobre a Petrobras após atuar a favor da aprovação da CPMF, o famoso imposto do cheque, na Casa. Porém, depois a CPMF foi rejeitada pelo Senado.
BG / PLANTÃO CAICÓ

JULGAMENTO DE EX-PASTOR ACUSADO DE PARTICIPAR DA MORTE DE F GOMES FOI ADIADO

O julgamento do ex-pastor Gilson Neudo Soares do Amaral, que aconteceria nesta quarta-feira (16), foi adiado para o próximo dia 04 de abril. A decisão foi tomada em reunião hoje (15), no Fórum Amaro Cavalcante. Pesa contra ele a acusação de participar do consórcio que tramou a morte do jornalista caicoense F Gomes, em outubro de 2010.

O defensor público Serjano Marcos Torquato Valle, responsável por atuar na defesa de Gilson Neudo, pediu a prorrogação. O bacharel alegou motivos superiores que o impediriam de participar da júri popular amanhã.

CORPO DE MULHER É ENCONTRADO EM RESIDÊNCIA NO BAIRRO SOLEDADE

Na manhã desta terça feira (15 de março) foi encontrado o corpo de uma mulher no Bairro Soledade. No corpo há vários hematomas.

Segundo informações é a mulher de um homem conhecido por Brown, que se encontra na residência.

Alguns moradores do bairro, informaram que ela (que já é idosa) e ele bebiam muito e que viviam brigando.
Caicó na Rota da Noticia / PLANTÃO CAICÓ

STJ MANTÉM CONDENAÇÃO DO "JAPONÊS DA FEDERAL" E ELE PODER PERDER O CARGO NA POLÍCIA


Em julgamento de recurso Especial, o ministro Felix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça manteve a condenação de três policiais federais por corrupção passiva na Operação Sucuri, que investigou a atuação dos agentes em esquema de facilitação de contrabando em Foz do Iguaçu. Entre os condenados está Newton Hidenori Ishii, que, durante a Operação Lava Jato, ficou conhecido como o “Japonês da Federal”, por estar presente, escoltando os presos em praticamente todas as fases da Operação.

Ishii foi preso, em março de 2003, nos primeiros meses de governo Lula, na Operação Sucuri, junto com outros 22 agentes da Polícia Federal, sete auditores da Receita Federal e três Policiais Rodoviários Federais, todos de Foz do Iguaçu, na fronteira do Paraná com o Paraguai. Também foram atingidos contrabandistas e intermediários.
Segundo a denúncia, os servidores públicos “se omitiam de forma consciente e voluntária, de fiscalizar os veículos cujas placas lhes eram previamente informadas, ou realizavam fiscalização ficta, abordando os veículos para simular uma fiscalização sem a apreensão de qualquer mercadoria“,
Preso em 2003, condenado em primeira instância em 2009, Ishii manteve-se no cargo enquanto seu recurso não era julgado. O agente chegou a ser afastado dos serviços pela própria Polícia Federal, sem prejuízo em seus vencimentos, mas o Tribunal de Contas da União determinou seu retorno ao trabalho.
No recurso, os réus questionavam a legalidade das provas obtidas via interceptação telefônica e a determinação da Justiça de perda dos cargos, entre outras questões técnicas levantadas. Fischer decidiu pela perda imediata do cargo de outros dois condenados, cujos nomes são mantidos em sigilo, mas não se manifestou sobre a situação de Ishii.

Os réus ainda podem recorrer à turma e ao pleno do Tribunal.
UOL

VENDE-SE EXCELENTE CASA RECÉM CONSTRUÍDA NO BAIRRO MAYNARD EM CAICÓ


Vende-se uma excelente casa recém construída, na Rua Silvio Romero,  468 no Bairro Maynard, escriturada e pronta para receber toda a sua família. Pode ser vendida financiada pelo banco.

O imóvel possui 2 quartos, cozinha, área de serviço, garagem, 1 banheiro, 1 sala. Valor da Residência: R$ 120 mil.

Interessados podem entrar em contato com o corretor Carlos Eduardo - CRECI 5408/RN