domingo, 10 de abril de 2016


URGENTE : Homicídio na zona oeste de Caicó

Por volta das 19:00 horas, foi registrado um homicídio Rua Dom Adelino no Bairro Walfredo Gurgel na zona Oeste de Caicó.

Segundo Informações, O irmão do falecido Jornalista F Gomes foi vítima de disparos de arma de fogo, "Naldinho" como é mais conhecido, foi socorrido para o Hospital Regional do Seridó e já chegou sem vida na urgência do Regional.

Naldinho foi vítima de cerca de 10 disparos de arma de fogo.

Suspeito reage a abordagem Policial e acaba morto na Cidade de Jucurutu

Uma troca de tiros foi registrada, por volta das 12h30min. deste domingo, 10 de abril de 2016, na RN 226, nas proximidades do Sítio Colônia, Município de Triunfo Potiguar, entre Policiais Militares da Cidade de Jucurutu e um meliante, que, ao ser abordado, reagiu, atirando.

Os Policiais já estavam informados de que um elemento, que é suspeito de ter assassinado um mototaxista na Cidade de Assu, estaria em fuga e poderia vir em direção a Jucurutu.

Após findar a ocorrência, Policiais fizeram contato com outras cidades e receberam a informação que o elemento morto é conhecido por Robson,  e é foragido de uma cadeia da Zona Norte de Natal. Com ele, foi apreendido um revólver calibre 38, com 3 munições intactas e três deflagradas.

Suspeito de homicídio é morto com pedradas na cabeça no Bairro Lagoa Azul


Um homicídio foi registrado por volta das 12h deste domingo (10), na rua Professora Maria Eliete, no loteamento Nova Jerusalém, no Bairro Lagoa Azul, na zona Norte de Natal.

A vítima identificada como Marcelo Lustosa da Silva, de 18 anos, foi abordada por homens ainda não identificados e morto com pedradas na região da cabeça, não resistindo aos ferimentos e morrendo no local. O rosto da do Marcelo Lustosa ficou completamente desfigurado.
RN 190 - PLANTÃO CAICÓ

Por hora, 283 pessoas são demitidas no Brasil


O Brasil dos desempregados já tem quase a mesma população de Portugal: beira os 10 milhões de habitantes. Por hora, 282 brasileiros passam a fazer parte desse contingente, segundo cálculos do economista e blogueiro do Estado Alexandre Cabral. É gente como Adeíldo dos Santos, pai de três filhos, que está sem emprego há seis meses; como o haitiano Vito Pharius, que chegou a São Paulo há um ano, sem a família, e até hoje não conseguiu assinar a carteira de trabalho. É gente como André Vernilo, de 21 anos, que acabou de pegar o diploma de relações públicas, mas não consegue achar uma vaga na área; ou como Wagner Soares, ex-funcionário de uma fábrica de autopeças, hoje vendedor ambulante no viaduto Santa Ifigênia, em São Paulo.

A estimativa é de que, até o fim do ano, serão 12 milhões de histórias como essas no País. Vai ser cada vez mais difícil não conhecer alguém que esteja desempregado. E, para quem já está sem emprego, a dificuldade será encontrar portas onde bater. “Isso é muito grave, porque com exceção da agricultura, não há mais nenhum setor livre do fantasma do desemprego”, diz o economista José Roberto Mendonça de Barros, sócio da MB Associados. “E não se trata de uma crise conjuntural, com uma queda temporária. O problema é estrutural.”
A nova onda de retração no mercado de trabalho ficou evidente a partir do segundo semestre do ano passado, quando os setores de comércio e serviços – grandes empregadores de mão de obra – começaram a demitir com mais força. A piora se somou aos desligamentos na construção civil e na indústria, em crise há mais tempo.

BG / PLANTÃO CAICÓ

Florânia registra o 6° homicídio em 2016

Um vigilante  de rua, identificado como Raminho, foi alvejado por tiros na noite desse sábado, 09, na cidade de Florânia-RN, e devido o agravamento do quadro clínico, sua transferência feita para o Hospital de Currais Novos.

Testemunhas disseram à polícia que os suspeitos estavam em uma moto, e que um deles é chamado de “Dente do Cão”. Alvejado por 6 tiros, Raminho não resistiu à gravidade dos ferimentos ao ser transferido para Currais Novos após atendimento preliminar.

Idosos de 70 anos com direito de saque do PIS/PASEP

O governo decidiu tirar do papel a proposta de enviar carta aos brasileiros a partir de 70 anos com direito a saque de quotas do PIS/Pasep. A medida pode ajudar a injetar recursos na economia às vésperas do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. A informação foi antecipada pelo jornal “O Estado de S. Paulo”.

As pessoas com 70 anos ou mais que contribuíram para o PIS (iniciativa privada) ou Pasep (funcionários públicos) até 4 de outubro de 1988 podem ter valores disponíveis para saque nos bancos públicos. Em 1988, a Constituição alterou a destinação das contribuições do PIS/Pasep e acabou com o sistema de contas individuais. O dinheiro passou a ir, por exemplo, para o pagamento anual do abono salarial.

Os dados mais recentes do Tesouro Nacional, publicados em setembro de 2015, mostram que havia 4,62 milhões de brasileiros nessa faixa etária com direito a saque desses recursos, que somavam R$ 7,43 bilhões. Isso representa uma média de R$ 1.607 por beneficiário.