Parceria com o curso de medicina permite que residentes em saúde materno infantil atuem no hospital do Seridó

A Escola Multicampi de Ciências Médicas (EMCM) do Rio Grande do Norte, ligada a UFRN colocou em prática a determinação do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica que ofertada a Residência Médica junto ao Hospital do Seridó, na cidade de Caicó. O Programa Multicampi de Residência Multiprofissional em Atenção, Materno-Infantil e Intensivismo Neonatal são cursos de Pós graduação, criados nos termos da Lei nº 11.129, orientado pelos princípios e diretrizes do Sistema Único de Saúde (SUS), a partir das necessidades e realidades locais e regionais.

A realização do curso foi viabilizada através de uma parceria firmada entre a EMCM e o hospital do Seridó, e conta com total apoio da junta interventora. Para o diretor da unidade, Dr. George Dantas, o curso de medicina multicampi deseja estar presente em todos os espaços de saúde na região. “Nós queremos estar presente em todos os espaços onde se produz saúde aqui na região do Seridó. E o hospital do Seridó é onde acontece a saúde materno-infantil. Então, não há como agente não estar presente neste espaço. Os nossos alunos já estão visitando, estão participando. Estamos com articulação junto a direção deste hospital, no sentido de aprofundar e estreitar cada vez mais as relações da universidade também com o hospital do Seridó”.

George Dantas destaca o papel da junta interventora nesta articulação. “A junta interventora tem ajudado muito nesta articulação, temos trabalhado com ela e junto com a doutora Verônica [Alcântara], que também atua lá no hospital [como diretora clínica], no sentido de vermos como podemos estruturar o hospital cada vez de forma mais qualificada, para que agente possa ter lá também um espaço importante. Você ter um hospital resolutivo, que preste uma assistência humanizada e que seja um espaço importante para a formação do nosso estudante e do nosso residente”, reforçou.

Sem pneus, Polícia encontra duas carretas próximo a região do Seridó

Duas carretas foram localizadas abandonadas na cidade de São Rafael, município localizado na região Oeste do Rio Grande do Norte. As carretas foram encontradas por volta das 14hs de Domingo (29), por policiais de serviço naquela cidade. Segundo informações, as duas carretas estavam sem pneus, possivelmente, os veículos tenham sido tomados de assalto durante a madrugada, segundo a PM. Quando os policiais chegaram ao local, se depararam com as carretas sem os pneus, aproximadamente 28 pneus das carretas.

Os veículos foram encontrados entre a comunidade de Caraú, zona rural da cidade e BR-304, no momento em que as carretas foram encontradas pela polícia, os motoristas não havia sido localizados, mas, minutos após, eles foram encontrados. Segundo informações, eles possivelmente estavam perdidos, pois não da localidade e por não conhecer o setor, acabaram se perdendo.

A polícia alerta os motoristas e motoqueiros que transitam pela RN-118 que dá acesso a cidade de São Rafael. "Tenham cuidado quem viaja á noite pela RN-118, muito perigosa a RN, pois devido á proximidade da BR é prato cheio para ação de assaltantes". Declarou um soldado da polícia militar de São Rafael.

A PM informou ainda que não é a primeira vez que ação semelhante a essa, acontece naquela cidade e que os criminosos podem ser da região, pois conhecem a área onde abandonaram as duas carretas. A polícia realizou os procedimentos e as devidas medidas serão tomadas. Os assaltantes não foram localizados.

'Reconheço minha explosão emotiva', diz coordenador da Lei Seca no Rio Grande do Norte


G1/RN – O capitão PM Styvenson Valentim, coordenador da Operação Lei Seca no Rio Grande do Norte, está pedindo desculpas à Polícia Civil do estado. Em nota enviada ao G1 no início da tarde deste sábado (29), ele admitiu ter agido intempestivamente ao generalizar sua insatisfação quando disse que “policial civil ganha muito bem para não fazer nada”. E complementa: “Reconheço a minha explosão emotiva por buscar um serviço público melhor, e por isso, aos policiais civis que de fato trabalham e honram o cargo, minhas sinceras desculpas por ter colocado os senhores nos rol dos funcionários públicos preguiçosos, dos parasitas, e que todos sabem que existem”.

A declaração feita por Styvenson causou revolta e indignação, principalmente a agentes e delegados da Polícia Civil. As palavras do capitão estão em um áudio de quase dois minutos que vazou de um grupo de WhatsApp. Nele, o capitão fala com uma mulher sobre como proceder após ela ter se envolvido numa determinada ocorrência de trânsito. A gravação, ainda segundo Styvenson, “foi recortada”, ressalta.

Inacinho Viagens : Viagem com conforto e segurança

DE SEGUNDA À  SÁBADO

Caicó - Natal 3:00h e 14:00h.

Natal - Caicó 2:40min e 13:00h.

DOMINGOS E FERIADOS

Caicó - Natal 14:00h

Natal - Caicó 14:00h

DISQUE VIAGENS 84-9.9951-3565 / 84-9.8718-4140 / 84-3421-1920

Apreensão de droga na Ilha de Santana em Caicó


Policiais da cavalaria coibiram o tráfico de drogas no Complexo Turístico Ilha de Santana na noite deste sábado.

Durante abordagem a cinco jovens foram encontradas 11 pedras de substância análoga a droga conhecida como crack.

Os adolescentes foram conduzidos até a Delegacia de Polícia Civil para o registro do fato. Segundo os policiais o maior de idade ÊNIO TUQUIM DA SILVA residente no bairro Paraíba disse que a droga era dele.

Capitão Styvenson diz que delegados de Polícia Civil são preguiçosos

O polêmico xerife da Lei Seca, capitão PM Styvenson Valentim, gosta muito dos holofotes, de demonstrar sua hombridade de agente público e impor seu modo de trabalho de maneira unilateral.

Dessa vez ele se meteu numa confusão de proporções bem mais graves. Circula pelas redes sociais um áudio onde o oficial estaria comentando uma ocorrência de trânsito. E durante a gravação ele faz duras críticas à Polícia Civil. “Policial civil ganha muito bem para não fazer nada. Delegado ganha 23 mil para não fazer nada. Preguiça!”, dispara Styvenson.

Operação no Rio que busca suspeitos de estupro coletivo


Cerca de 70 policiais militares realizam uma operação na comunidade São José Operário, na zona oeste do Rio de Janeiro, para buscar suspeitos de terem participado do estupro coletivo de uma adolescente de 16 anos. Os PMs detiveram uma pessoa e apreenderam drogas. O caso será encaminhado à delegacia local.

Segundo a Polícia Militar, policiais de sete batalhões participam da ação. O Batalhão de Ação com Cães também auxilia nas buscas. A operação conta ainda com o suporte de um helicóptero e de veículos blindados. A polícia afirma não ter encontrado resistência de criminosos ao entrar na comunidade, mas, em uma parte mais alta do morro, houve um “breve confronto”. De acordo com os militares, ninguém se feriu.

A nota enviada à imprensa pela Polícia Militar destaca ainda que a operação busca reprimir outros crimes: “identificar os criminosos que praticaram o estupro coletivo contra uma menor de 16 anos, dar maior sensação de segurança a população, prevenção e repressão os crimes de roubo de veículos, roubo de cargas, roubo de rua e o tráfico de drogas”.

Caicó : Vendem-se casas recém construída e com escritura pública no bairro Maynard

Vendem-se casas prontas para morar recém construídas no Bairro Maynard, escrituradas e pronta para receber toda a sua família. Pode ser vendida financiada pelo banco.

Os imóveis possuem 2 quartos ou 3 quartos. Valores das Residências a partir de R$ 125 mil.

Interessados podem entrar em contato com o corretor Carlos Eduardo - CRECI 5408/RN - pelo número 84. 9 9981-2503.