quarta-feira, 28 de setembro de 2016


Vereador leleu foi detido pela polícia militar


O vereador Leleu Fontes realizava mobilização de campanha no bairro Paraíba, na zona sul de Caicó, quando foi interceptado por homens da Polícia Militar. Pesava contra ele a acusação de perturbação do sossego, além de estar usando um equipamento de som (paredão) que não havia sido aferido pelos órgãos de fiscalização.

Leleu acabou discutindo com os policiais e os acusou de truculência, mas acabou sendo detido e conduzido à delegacia de Polícia Civil para as devidas providências. Segundo as últimas informações, será confeccionado um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), que é o registro da infração de menor potencial ofensivo

Robson Pires / Plantão Caicó 

Compre sua casa financiada pelo banco

Vende-se casa pronta para morar recém construída na Rua Professor Manoel Fernandes, 260,  Bairro Maynard, escriturada e pronta para receber toda a sua família. O imóvel possui 3 quartos, sendo uma suite, banheiro social, sala, cozinha, área de serviço e garagem.

Pode ser financiada pelo banco.

Valor da Residência R$ 135 mil.

Interessados podem entrar em contato com o corretor Carlos Eduardo - CRECI 5408/RN - pe

Pagamento do Estado está indefinido

Com uma frustração de receita acumulada de R$ 321,5 milhões no decorrer deste ano, o Governo do Estado não tem, ainda, previsão para o início do pagamento da folha salarial do mês de setembro dos 100.258 servidores públicos, ativos e inativos, das administrações direta e indireta. A informação é destaque na Tribuna do Norte.

O secretário estadual do Planejamento e das Finanças, Gustavo Maurício Filgueiras Nogueira disse que “a situação financeira do Estado continua muito delicada e ainda não há previsão do pagamento do funcionalismo público”, o que inclui 10.558 pensionistas. Diante desse quadro, segundo o secretário, “o governo segue acompanhando o comportamento das receitas para anunciar em breve as datas do pagamento dos servidores”.

Atualmente, a folha líquida de pessoal do Estado importa em R$ 424,75 milhões, que acrescida da contribuição previdenciária, em torno de R$ 54,8 milhões, totaliza em R$ 479,6 milhões. Desde julho que o Governo do Estado vem pagando o funcionalismo público de acordo com a faixa salarial do servidor. A folha de agosto levou 26 dias para ser concluída. Ontem (26), foram pagos os salários de 754 pensionistas, que ganham acima de R$ 9 mil, com uma folha de R$ 12,033 milhões e proventos no valor médio de R$ 15,9 mil.

AB InBev compra SABMiller : Fusão que cria a maior cervejaria é aprovada por US$ 104 bilhões

Foto: Dado Ruvic/Reuters

Os acionistas da empresa britânica SABMiller aprovaram nesta quarta-feira (28) a venda da empresa para a Anheuser Busch InBev, de capital belga e brasileiro e dona da Ambev, removendo o último obstáculo para a criação da líder mundial do setor de cervejas, em uma das maiores fusões da história.

Em comunicado divulgado em Londres, a SABMiller anunciou que os acionistas aprovaram a venda por £ 45 por ação, o que eleva o valor da aquisição para £ 79 bilhões (US$ 104 bilhões). O negócio criará uma gigante que reunirá marcas populares como Corona, Stella Artois, Leffe, Budweiser, Fosters’s e Coors.

A nova empresa também será proprietária das cervejas Peroni, Coors, Skol, Antartica, Beck’s, Leffe, Hoegaarden, Quilmes, Victoria, Atlas, Arequipeña, Grolsch, Miller, Pilsen, entre outras.

Atualmente, as duas companhias produzem em conjunto quase 60 bilhões de litros por ano, três vezes mais que a terceira companhia do setor, a holandesa Heineken, e vendem uma em cada três cervejas no mundo.

A fusão se tornará efetiva em 10 de outubro. Um dia depois, as ações da empresa terão sua cotação principal na Bolsa de Bruxelas, com cotações secundárias em Johannesburgo, local de origem da SABMiller, e no México.

Pouco depois, a empresa vai começar um processo de venda das marcas europeias da SABMiller, avaliadas em € 7 bilhões.

Alguns minutos antes do anúncio dos acionistas da empresa britânica, os acionistas da compradora AB Inbev haviam aprovado a operação em Bruxelas.

“Celebramos que o voto dos nossos acionistas nos permitirá superar mais uma etapa para reagrupar nossas empresas, nossas equipes, nosso forte legado e nossa paixão pela elaboração da cerveja”, afirmou em comunicado o presidente-executivo da AB InBev, o brasileiro Carlos Brito.

Após a concretização do negócio, gestores da AB Inbev assumirão todos, com exceção de um, dos 19 cargos mais importantes da empresa.

CUSTOS

A AB InBev é conhecida por seus cortes de custos e controle centralizado, o que alguns analistas afirmam ser difícil impor sobre todos os nichos do negócio da SAB, com suas joint ventures e fatias acionárias em mercados como Turquia e África.

Na estimativa da companhia, o negócio permitirá que a AB InBev reduza em até US$ 1,4 bilhão seus custos anuais, a partir do quarto ano posterior à transação.

A economia será gerada primordialmente por pesadas demissões na SABMiller, que planeja reduzir em 3% sua força de trabalho combinada, ou cerca de 5.500 pessoas, enquanto a AB InBev reforçará seu controle sobre o mercado latino-americano e estenderá seu alcance à África, por meio da transação.

A nova empresa continuará a ser baseada em sua cidade natal de Leuven, Bélgica, enquanto as operações serão administradas em Nova York.

A união envolverá pagamentos de US$ 2 bilhões em honorários de consultores e impostos, para completar a terceira maior tomada de controle acionário na história.

A operação prevê ainda um pagamento de US$ 3 bilhões pela AB InBev à SABMiller se autoridades ou seus próprios acionistas não aprovarem a aquisição.

HISTÓRIA LATINO-AMERICANA

A nova empresa reúne dois ex-alunos de Harvard e dois homens que estão entre os empresários mais poderosos da América Latina e do mundo, o brasileiro Jorge Paulo Lemann e o colombiano Alejandro Santo Domingo, proprietários de duas marcas populares de cerveja no continente, Brahma e Bavaria.

“Onde a SABMiller é forte, sobretudo na Colômbia e nos países ao redor, a AB InBev não está implantada em absoluto. E onde a AB InBev é forte, como Brasil, México e a parte sul da América Latina, a presença da SABMiller é anedótica. Assim, agora conseguem uma presença forte em todos mercados fortes da cerveja”, explica Jeremy Cunnington, analista do mercado de bebidas alcoólicas na Euromonitor International.

Os Santo Domingo são proprietários da cerveja Bavaria e de 14% da SABMiller. Em meados dos anos 1990, receberam uma proposta de compra da popular marca colombiana pela brasileira Brahma, que não foi concretizada.

O proprietário da Brahma era Jorge Paulo Lemann, que atualmente é o principal acionista da AB InBev com sua empresa 3G.

A AB InBev tem 150 mil funcionários em 26 países, enquanto a SABMiller tem quase 70 mil trabalhadores em mais de 80 países.

RAIO-X AB INBEV/1º TRIMESTRE DE 2016

Faturamento
US$ 9,4 bilhões

Lucro
US$ 132 milhões

Número de funcionários
150 mil

Principais marcas
Budweiser, Skol, Stella Artois, Corona, Brahma, Antarctica, Leffe, Quilmes

Principais concorrentes
Heineken e Carlsberg

Folha Press

Agenda dos candidatos a prefeito de Caicó nesta quarta-feira (28)


Confira a agenda dos candidatos a prefeito de Caicó nesta quarta-feira, 28 de setembro de 2016:

BATATA/MARCOS (“Coligação Coragem Pra Mudar”)

Manhã

08h às 10h30: Comícios relâmpagos

11h: Participa da sessão na Câmara Municipal

Tarde/noite

14h às 16h: Reunião com coordenação de campanha

17h às 19h: Comícios relâmpagos

20h: Debate na Casa do Empresário promovido pela Rádio Povo

JOÃO BRAZ/MELO (Coligação: A hora é agora)

Agenda não informada

JUDAS TADEU/DEIBI DANTAS (Coligação: Caicó tem Jeito)

8h às 12h: Caminhada e comícios relâmpagos pelo Centro da Cidade, partindo da rua Zeco Diniz, nas proximidades da APAE

13h às 14h: Reunião com equipe de coordenação de campanha

14h às 19h: Caminhada e comícios relâmpagos pelos bairros da Zona Norte

20h às 22h: Debate com candidatos a prefeito, na Casa do Empresário

NILDSON DANTAS/IRMÃO ASSIS (Coligação: Caicó em Boas Mãos)

Manhã

08h às 11h: Panfletagem a apresentação do programa de governo no Centro e Acampamento

Tarde

Reunião com assessores para programar participação no debate promovido pela 87,9 FM

Noite

20h: Participa de debate com candidatos a prefeito de Caicó no auditório da Casa do Empresário, promovido pela 87,9 FM

ROBERTO GERMANO/ALEX DANTAS (Coligação: Caicó Sempre Forte)

Manhã

Realiza comícios relâmpagos com GIRO 15 pelos bairros

Tarde

15h: Continua comícios relâmpagos com GIRO 15 pelos bairros, mobilizando para a Passeata da Vigília, que acontecerá nesta quinta-feira (com concentração no Comitê Casa 15)

Noite: Participa do debate entre os candidatos promovido pelas entidades empresariais de Caicó e transmitido pela Rádio Povo e Site Kurtição.

Milícias do Rio cobram até R$ 120 mil para que candidatos façam campanha dentro das comunidades


Não bastasse a cobrança por serviços como gás, “gatonet” e transporte alternativo, as milícias do Rio decidiram explorar comercialmente a eleição. Grupos criminosos criaram uma espécie de imposto, batizado de “taxa eleitoral”, para autorizar a campanha em áreas dominadas. O candidato que quiser exibir sua propaganda nessas regiões tem de desembolsar de R$ 15 mil a 120 mil. Em troca, tem o privilégio de militar num ambiente exclusivo, distante da alta concorrência por cargos do restante da cidade.

Na cartilha dos milicianos, quem não paga a “taxa eleitoral” não entra nas áreas dominadas. A tabela, no início da campanha, previa pagamentos de R$ 80 mil a R$ 120 mil,

dependendo da densidade eleitoral do bairro. A Zona Oeste do Rio, região que tradicionalmente define eleições, por ser mais populosa, é a mais valorizada. As áreas mais nobres são Campo Grande e Santa Cruz. Há cobrança ainda nos bairros de Inhoaíba, Santa Margarida, Rio das Pedras, Guaratiba e na localidade do Magarça. Na reta final da campanha, foi estabelecido um “desconto”: a tabela foi reduzida para R$ 60 mil nos últimos dez dias.

As favelas da Zona Norte também não ficaram de fora. Em comunidades como a Kelson’s, na Penha, o “ingresso”, com direito a instalação de placas nas casas dos moradores, é de R$ 15 mil. Nestes locais, é comum ver penduradas propagandas de, no máximo, três candidatos.

Já em cidades da Baixada, os valores ficam entre R$ 50 mil e R$ 80 mil, para a campanha de setembro a 2 de outubro. Há grupos atuando em Nova Iguaçu, Seropédica, Duque de Caxias e Magé, muitos deles depois de expandir seus domínios da Zona Oeste para essas áreas.

O GLOBO /  BG