RN perdeu R$ 1,68 bilhão com violência no trânsito em 2016

22:50:00



O Rio Grande do Norte perdeu R$ 1,68 bilhão em decorrência da violência no trânsito no ano de 2016. O valor é equivalente a 3,02% do Produto Interno Bruto (PIB) do Estado. O dado foi apresentado pelo Centro de Pesquisa e Economia do Seguro (CPES), e é correspondente ao que seria seria gerado pelas vítimas caso não tivessem se acidentado. Ao todo, 571 pessoas morreram e outras 729 ficaram inválidas permanentemente devido aos acidentes de trânsito.

O fator que mede a perda da capacidade produtiva é chamado de Valor Estatístico da Vida (VEV), ou seja, o quanto cada brasileiro deixa de produzir anualmente em caso de morte ou invalidez.

Apesar da estatística negativa, o CPES apontou que a violência no trânsito no Rio Grande do Norte caiu. Isso aconteceu em decorrência da crise econômica - que reduziu as vendas de automóveis e tirou muitos veículos de circulação no país. Entre os anos de 2015 e 2016, o RN teve redução na perda do PIB, 34,59%. Mesmo assim, foi o suficiente para deixar o Estado como a terceira federação a apresentar maior perda percentual do Nordeste.

Outro fator para a redução da estatística é o aumento da fiscalização, como a Lei Seca. “A violência no trânsito caiu de forma considerável, o que é um fato alentador. Ainda assim, o número de vítimas remete a um quadro de guerra. E a grande maioria concentra-se na faixa etária de 18 a 64 anos. Ou seja, pertence a um grupo em plena produção de riquezas para a sociedade”, analisou o diretor do CPES, Claudio Contador.

Acidentes de moto

O número de vítimas atendidas no Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel em decorrência de acidentes de motos caiu em 2016. Enquanto o hospital registrou 10.411 acidentados em 2015, no ano passado a unidade de saúde atendeu 8.729 pessoas, uma redução de 16,1%.

Apesar de apresentar uma redução no número de atendimentos entre os anos de 2016 e 2015, o Walfredo Gurgel constatou que o número de pacientes atendidos vítimas do trânsito cresceu vertiginosamente nos últimos 10 anos.

Em 2006, a média de atendimento de acidentados com motos no HMWG era de 405 pacientes no mês, em 2016, a média subiu para 727 pacientes. Em dados absolutos, o hospital registrou o atendimento de 4.860 pessoas em 2006 contra 8.729 pessoas no ano passado, um aumento de 79,6% no número de vítimas.

Maio Amarelo

Nesta quinta-feira (22), o hospital Walfredo Gurgel irá apresentar um balanço das atividades de prevenção aos acidentes de trânsito no Estado. O evento faz parte do movimento Maio Amarelo e é promovido pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap). Também serão apresentados no evento as perspectivas das ações educativas para o segundo semestre.

“Os acidentes de trânsito são cada vez mais graves, onerosos e, na maioria das vezes, fatais. Iniciativas como esta do Maio Amarelo são de extrema importância, uma vez que o tema está sempre em nosso dia a dia”, afirmou a diretora geral do HMWG, Maria de Fátima Pereira Pinheiro.


Tribuna do Norte 

Leia Também...

0 comentários