Governo lança plano para promover autonomia das famílias de baixa renda e incentivar saída do Bolsa Família

06:07:00



O governo federal lança nesta terça-feira (26), às 11h, o Plano Progredir, que irá promover a autonomia dos beneficiários do Programa Bolsa Família e das pessoas inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais. O presidente da República, Michel Temer, e o ministro do Desenvolvimento Social, Osmar Terra, participam da cerimônia no Palácio do Planalto.

Com a coordenação do MDS (Ministério do Desenvolvimento Social), o Progredir reúne ações de qualificação profissional, incentivo ao empreendedorismo e acesso ao mercado de trabalho.

“É um programa vinculado ao público do Bolsa Família, a população mais pobre do Brasil, que visa criar oportunidade de emprego e renda para essa população. Não é um programa para tirar as pessoas do Bolsa Família”, disse o ministro.

Apesar disso, o ministro trata o novo programa do governo como uma “forma de emancipação” do Bolsa Família. “Ninguém pode passar fome, mas o Bolsa não deve ser um projeto de vida”, afirmou Terra.

Em 2 anos, segundo o ministro, o governo pretende “emancipar” 1 milhão de famílias do Bolsa Família

“A gente precisa trabalhar para que essas pessoas tenham renda e não precisem mais do benefício, que tem um valor médio de R$ 179 por família. Isso, sim, é desenvolver socialmente o país”, completou.

A lista de espera para o ingresso no programa está zerada, mas não há previsão, por ora, de aumento no valor do benefício, que foi reajustado em 12,5% em 2016.

Para 2018, o Bolsa Família pode ter o orçamento reduzido. De acordo com o MDS, em 2017 o valor destinado ao programa foi de R$ 29,3 bilhões, enquanto para o próximo ano a previsão orçamentária é de R$ 26 bilhões.

Contudo, o governo ainda discute internamente, após a aprovação da nova meta fiscal, ampliar o valor.

“As pessoas não precisam ficar com medo de perder o Bolsa Família caso consigam emprego, façam os cursos ou tomem o empréstimo. Elas ficam no programa enquanto for necessário para adquirir autonomia”, complementou o secretário-executivo do MDS, Alberto Beltrame.

O governo também busca parcerias com entidades que representam setores, como supermercados, hotéis e shoppings, para capacitar jovens de famílias de baixa renda.

Conforme o MDS, será desenvolvido um site para registrar as vagas, no qual será possível analisar a oferta e se candidatar ao trabalho. Os interessados podem acessar o portal, mas o governo deseja que os Cras (Centros de Referência de Assistência Social) auxiliem os trabalhadores.

Outro eixo também prevê ações de educação financeira, por meio de cursos e do uso de material preparado pelo Banco Central. Até o próximo ano, devem ser ofertadas aulas a 100 mil famílias e assistência técnica a cerca de 1,7 milhão de autônomos.

Leia Também...

0 comentários