CHEGA A DEZ O NÚMERO DE MORTOS EM INCÊNDIO EM CRECHE, EM MINAS GERAIS

02:02:00

Neste sábado (7), morreu mais uma das crianças vítimas do incêndio da creche em Janaúba, no Norte de Minas Gerais, chegando a dez o total de mortos. Ela estava internada em estado grave no Hospital João XXIII, em Belo Horizonte. Dos dez mortos, oito são crianças , uma é a professora e o décimo é autor do atentado, vigia da creche.

A criança que morreu é uma menina de 4 anos, que havia sido transferida de Montes Claros, no Norte do estado, para Belo Horizonte, nesta madrugada. Doze crianças e duas mulheres seguem internadas em hospitais de Belo Horizonte. Quatorze crianças vítimas do ataque receberam alta do hospital na manhã deste sábado (7)..

O vigia da creche, Damião Soares dos Santos, incendiou o local na quinta-feira (5), ateando álcool e fogo nas crianças e nele mesmo. Ainda não se sabe o motivo do ataque. A professora que morreu, Helley Abreu Batista, de 43 anos, chegou a tentar impedi-lo fisicamente, e ajudou no resgate de crianças. Contudo, não resistiu aos ferimentos. Ela foi enterrada com honras de heroína.

O médico responsável pela equipe médica que atendeu as vítimas, Helvécio Albuquerque, disse que graças à “atuação conjunta de polícias, Corpo de Bombeiros, profissionais da saúde e de voluntários, além da sociedade civil, foi possível fazer todos os atendimentos e encaminhamentos necessários”.

Segundo Albuquerque, além do atendimento imediato, as vítimas vão precisar de uma série de cuidados, devido às queimaduras, e de acompanhamento psicológico, tanto para as vítimas quanto para as famílias. Segundo Albuquerque, quatro pessoas estão com 80% ou mais do corpo queimado, sendo que queimaduras que atingem acima de 70% do corpo são consideradas gravíssimas.

A prefeitura reforçou a necessidade de doações, que servirão tanto para questões imediatas quanto para garantir a qualidade do acompanhamento futuro das vítimas e famílias. Até o momento, foram arrecadados R$ 177 mil. A prestação de contas deverá ser feita mensalmente ao Ministério Público.

 

Jornal do Brasil

Leia Também...

0 comentários