PM CONFIRMA QUE FACÇÃO DE ROGÉRIO 157 CONTROLA A PARTE ALTA DA ROCINHA

18:24:00



RIO - A Polícia Militar usou o seu perfil oficial no Twitter para confirmar que o Comando Vermelho está controlando o tráfico de drogas na parte da Rocinha, em São Conrado, na Zona Sul do Rio. A corporação publicou fotos na rede social que mostram pichações com as iniciais da facção criminosa. Já a parte baixa da favela ainda estaria sob o comando do grupo criminoso Amigos dos Amigos (ADA). Moradores da comunidade já temiam uma nova guerra entre dois grupos após a saída das Forças Armadas da Rocinha, na última sexta-feira.

Em um dos lados da disputa na Rocinha está a quadrilha de Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157. Ele era aliado de Antônio Francisco Bonfm Lopes, o Nem, que está preso desde 2011. Em agosto, porém, os dois se desentenderam e passaram a ser rivais. Com isso, Rogério deixou a ADA, facção de Nem, e se juntou ao CV. Agora, essa ruptura está explícita nos muros de uma Rocinha dividida.

A disputa entre eles começou em agosto, quando Nem enviou, da Penitenciária Federal de Rondônia, a ordem para que Rogério deixasse a Rocinha. Ele não saiu do morro. No dia 13 de agosto, três homens de confiança de Nem foram achados mortos num carro, na Estrada da Gávea. Mês passado, outros aliados do antigo chefe foram expulsos do morro — incluindo sua mulher, Danúbia de Souza Rangel, de 33 anos. A cúpula da ADA decidiu, então, expulsar Rogério da favela, dando início ao confronto aberto.

Na manhã desta segunda-feira, moradores voltaram a relatar barulhos de disparos na comunidade. Ainda não há informações sobre as circunstâncias em que ocorreu o tiroteio. De acordo com a Polícia Militar, os disparos foram na parte alta da favela.

Policias da UPP #Rocinha identificaram em alguns pontos pichações com a inscrição de uma facção criminosa diferente da que atuava na área.

Os tiros assustaram cerca de quatro turistas que faziam um passeio na comunidade com um guia turístico da empresa Jeep Tour. Eles deixaram a comunidade e embarcaram rapidamente no veículo da empresa, que foi embora. Segundo um policial do Batalhão de Polícia de Choque (BPChq), os disparos foram feitos contra eles no momento em que faziam uma ação de reconhecimento do terreno dentro de becos na região chamada Roupa Suja.

O agente contou que uma moradora passou por eles dizendo que um rapaz de camisa vermelha, portando um fuzil, estava escondido num dos becos, preparado para atirar. Uma grande varredura foi feita na localidade, mas ninguém foi encontrado.

Após os tiros, policiais do batalhão de choque e de outras unidades entraram em alerta. Um caminhão blindado da Polícia Militar se deslocou para a religião e está posicionado em frente a um dos acessos.

Cerca de 500 PMs estão na comunidade com o objetivo de prender bandidos envolvidos numa disputa pelo controle do tráfico na região. Há também uma ação no Morro do Vidigal, comunidade vizinha.

Leia Também...

0 comentários