Após 1 ano de isolamento, Marcola volta a conviver com a cúpula do PCC em prisão do interior de SP

10:12:00




Após um ano em total isolamento, com apenas duas horas de sol ao dia e sem acesso a nenhum tipo de meio de comunicação, Marco Willians Herbas Camacho, o Marcola, 49, voltou para a Penitenciária 2 de Presidente Venceslau, a 600 km da capital paulista, onde se encontra presa a cúpula da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital), conforme apontam investigações da polícia e denúncias do MP (Ministério Público).
Condenado a 232 anos e 11 meses de prisão, em regime fechado, por formação de quadrilha, roubo, tráfico de drogas e homicídio, Marcola é apontado pela Promotoria como o líder máximo do PCC desde 2001, quando teria liderado rebeliões em presídios
Além de Marcola, 11 homens que teriam cargos de chefia na facção retornaram ao mesmo local. Um outro homem, que também foi para o isolamento com Marcola, foi enviado a um presídio federal. Segundo a SAP (Secretaria da Administração Penitenciária), os presos chegaram na unidade prisional do interior do Estado por volta das 10h20 de segunda-feira (11)
Em dezembro do ano passado, ele e outros 12 acusados de serem integrantes do PCC foram para o regime de isolamento do Estado, o RDD (Regime Disciplinar Diferenciado), que fica no CRP (Centro de Readaptação Penitenciária) de Presidente Bernardes, cidade próxima de Presidente Venceslau, onde também estão presos chefes da facção.


Leia Também...

0 comentários