segunda-feira, 2 de janeiro de 2017


Facção Família do Norte (FDN) mata integrantes do PCC no Amazonas


Apontada como a terceira maior facção do país, atrás apenas do PCC e do Comando Vermelho, a Família do Norte do Amazonas matou cerca de 60 detentos do Complexo Penitenciário Anísio Jobim, o Compaj. As mortes estão relacionadas com a disputa entre a FDN e o PCC. Para os investigadores ouvidos pelo Estado, não se trata de um rebelião e sim de um “limpa geral” da FDN contra integrantes da facção paulista no Amazonas.

A FDN atua no tráfico de drogas, em especial de cocaína, na região Norte do país por meio do domínio da “rota do Solimões”, responsável por escoar toda a droga produzida no Peru e Bolívia para os centros consumidores no Brasil e no exterior. Aliada do Comando Vermelho, a FDN foi alvo da operação La Muralla da Polícia Federal em 20 de novembro de 2015. Os principais líderes da facção foram presos e transferidos para presídios federais.

Na investigação que deu origem à La Muralla a Polícia federal já havia mapeado a disputa entre as duas facções. Em pouco mais de 06 meses de investigações, segundo a PF, “foram interceptadas e analisadas mais de 1 milhão e cem mil mensagens e chamadas telefônicas relacionadas a todo tipo de práticas criminosas, sendo coletados importantes elementos de informação e de prova de crimes como tráfico internacional de drogas, tráfico de armas, lavagem de dinheiro, evasão de divisas, homicídios, sequestros, torturas, corrupção de autoridades públicas e outros conexos, que são praticados e/ou planejados diariamente por praticamente por seus membros.”

Durante a investigação também foram realizadas 11 grandes apreensões de aproximadamente 2,2 toneladas de drogas, avaliadas em mais de 18 milhões de reais, além de armas de fogo de grosso calibre, que incluem submetralhadoras 9mm e granadas explosivas de mão.

Assim como outras facções, a FDN possui um estatuto próprio com os “pilares de hierarquia e disciplina, para difusão através de extrema violência aos detentos do sistema prisional amazonense”. A regra número um é que nada é feito ou definido sem a ordem ou aprovação de seus fundadores e principais lideranças que são: Gelson Lima Carnaúba, vulgo “G” e José Roberto Fernandes Barbosa, antigo traficante do bairro Compensa, conhecido pelas alcunhas de “Z”, “Messi” e/ou “Pertuba”.

NOTA do Ministério da Justiça

Sobre a rebelião ocorrida entre a tarde de domingo (1) e a manhã desta segunda-feira (2) no Complexo Penitenciário Anísio Jobim, em Manaus, o Ministério da Justiça e Cidadania informa que o ministro Alexandre de Moraes manteve durante todo o tempo contato com o governador do Amazonas, José Melo de Oliveira.

O ministro colocou-se à disposição do governador para tudo o que fosse preciso. O governador informou que neste momento a situação no complexo penitenciário já está sob controle. E que já utilizará para sanar os problemas os R$ 44,7 milhões de repasse que o Fundo Penitenciário do Amazonas recebeu do Fundo Penitenciário Nacional (Funpen) na última quinta-feira, 29 de dezembro.

Estadão / Plantão Caicó 

Barragem de Oiticica tem 51% das obras concluídas


A barragem de Oiticica, considerada a solução definitiva para a seca na região do Seridó, deve ficar pronta até o início de 2018.

Quando pronto, o reservatório de 566 mil m³ de capacidade será o terceiro maior do estado e abastecerá 17 cidades.

51% da construção está concluída, o andamento depende de repasses do governo federal. A obra, que faz parte do PAC, tinha previsão de entrega inicial para junho de 2014 mais devidos alguns problemas nas liberações dos recursos, tivemos esse atraso nas obras.

A barragem foi orçada inicialmente em R$ 311 milhões mais em julho do ano passado a mesma recebeu um aditivo de R$ 104 milhões e hoje a obra está orçada em R$ 415 milhões.

Milionários procuram lotérica para retirar prêmio da Mega da Virada

Movimento em lotérica começou tímido na manhã de hoje. (Foto: Fernando Antunes)

Três dos dez apostadores que acertaram as dezenas da Mega-Sena da Virada em Campo Grande já compareceram à lotérica Ferradura da Sorte, na Rua Rui Barbosa, para retirar o prêmio na manhã desta segunda-feira (2). De acordo com o dono do local, Diego Matsubara, de 20 anos, os novos milionários são orientados a procurar uma agência da Caixa Econômica Federal.

"Eles não podem retirar o prêmio na lotérica. Aqui eles confirmam que acertaram e são orientados sobre como proceder para retirar o prêmio", destacou.

Administrando o local há seis meses, ele relata que trás sorte para os clientes. Em meados de 2016 um apostador ganhou cerca de R$ 600 mil na Lotofácil. Com isso, o movimento aumenta. "A pessoa apostou na Lotofácil e ganhou aqui. Com os prêmios o movimento cresce, curiosos vêm perguntar e acabam jogando".

Com quatro atendentes e dois gerentes, o local está mais movimentado na manhã desta segunda-feira. O movimento que começou tímido começa a melhorar, de acordo com Diego. "Mais cedo não estava tão movimento, mas agora tem muita gente vindo", afirma Matsubara.

Aposta - Os dez ganhadores da Mega da Virada em Campo Grande investiram R$ 2.205.00 em três apostas. Os ganhadores registraram a aposta na quinta-feira (29 de dezembro) e os números foram escolhidos por eles e não pela Caixa Econômica.

A aposta foi feita por meio de bolão e o bilhete premiado em Campo Grande será dividido entre 10 pessoas que fizeram três jogos, sendo um com 8 números, outro com 9 e um com 10. Os número sorteados estavam na aposta de 9 números.

Além da Capital sul-mato-grossense outros cinco apostas acertaram os seis números sorteados no concurso 1.890 da Mega Sena. A premiação da Caixa Econômica Federal teve a bolada de R$ 220.948.549,30 e foi dividida com seis apostas, que acertaram os números 05, 11, 22, 24, 51 e 53.

Também acertaram os números apostadores de Trizidela do Vale (MA), Salvador (BA), Fortaleza (CE), Fazenda Vilanova (RS) e Belo Horizonte (MG).

Rebelião deixa 50 mortos em presídios do Amazonas

Rebelião no Complexo Penitenciário Anísio Jobim deixou dezenas de mortos em Manaus (Seap/Divulgação)

O Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) em Manaus está tomado, desde a tarde de domingo, por detentos que iniciaram a mais sangrenta rebelião da história do estado de Amazonas. De acordo com o Secretário de Segurança Pública, Sérgio Fontes, a rebelião está encerrada e há pelo menos 50 mortos. Segundo ele, o número pode chegar no máximo a 60.



Pelo menos 40 cabeças e mais de uma centena de pedaços de corpos já chegaram ao Instituto Médico Legal de Manaus. “A polícia científica agora terá de montar um quebra-cabeças para saber que parte pertence a quem”, disse uma fonte ao site de Veja. Oficialmente, a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas ainda não se manifestou quanto ao número de mortos.


Veja também

Os presídios estão localizados no quilômetro 8 da BR 174 (que liga Manaus a Boa Vista) e foram tomados por bandidos que integram a Família do Norte (FDN), a maior facção na região Norte do país. Cerca de 300 detentos teriam conseguido fugir e, até o fim da noite, 15 haviam sido recapturados.

Dentro das cadeias, no entanto, a FDN iniciou o ataque aos rivais do Primeiro Comando da Capital (PCC). Em outubro, pelo menos 25 morreram em rebeliões em Rondônia, Roraima e Acre nesta disputa de controle. A guerra foi um dos motivos que fizeram o PCC paulista (maior facção do país) rachar com o Comando Vermelho, que se aliou à FDN.

Em vídeos que circulam entre policiais, há uma cena em que detentos enfileiram cinco cabeças decapitadas e e as identificam por nomes que seriam membros do PCC.

Houve confronto com a PM quando policiais tentaram retomar o controle do Compaj. Uma dezena de funcionários foi feita refém. Todos foram liberados na manhã esta segunda-feira.

O secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes, classificou a rebelião como massacre. “Alguns corpos foram jogados para fora das unidades, então existem mortos”, disse em uma entrevista coletiva.

Veja / Plantão Caicó 

Entregador de biscoitos encontra-se desaparecido na Cidade de Caicó

Um entregador de biscoitos José Paulino encontra-se desaparecido desde da tarde de ontem (01), quando o mesmo saiu de sua residência no Bairro Boa Passagem para fazer  entrega de biscoitos em alguns pontos comerciais de Caicó e não apareceu mais.


Quem souber qualquer informação que leve ao paradeiro do mesmo, por favor entre em contato com os familiares pelo telefone 084 - 9.9960-9226.

Tá beba? Marília Mendonça cai no palco e paga mico ao dançar o funk “Deu Onda”, do MC G15


Durante show da virada em Alagoas, na madrugada deste dia 1º de janeiro a cantora sertaneja Marília Mendonça se aventurou ao cantar e fazer a coreografia do funk “Deu Onda”, do MC G15, que é a última moda entre os famosos e influenciadores digitais brasileiros. Digo, que Marília tentou né, mores? Porque ao cantar parte do refrão que diz: “Você sentando, mozão, me deu onda”, nossa #gordinha #linda e #diva deu uma “sentada violenta”, se desequilibrou e caiu no chão pagando aquele mico.

Mas como suas composições fizeram de Marília uma mulher rica e com condições, né mores? Ela foi rapidamente socorrida por sua produção e voltou a cantar sem sofrer nada mais grave. #UmSucessoSó

Bol  / Plantão Caicó