segunda-feira, 16 de janeiro de 2017


Temer estabelece prazo de um ano para construção de cinco presídios federais


Em uma tentativa de abrandar a atual crise no sistema carcerário, o presidente Michel Temer determinou ao ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, que a pasta conclua a construção de cinco presídios federais em até um ano.

A implantação dos estabelecimentos prisionais está prevista no Plano Nacional de Segurança Pública anunciado por Temer no último dia 5. De acordo com o presidente, a ideia é investir entre 40 milhões a R$ 45 milhões por unidade, que deverão ser divididas nas cinco regiões do País. Até o momento, apenas o Rio Grande do Sul teve a confirmação de que será um dos Estados contemplados.

Caicoense está sendo apontado como um dos líderes do massacre em Alcaçuz

A alta cúpula de segurança pública do Rio Grande do Norte está apontando 5 indivíduos como sendo os líderes do massacre no Presidio de Alcaçuz.

Os 5 presos foram identificados como.

Paulo da Silva Santos

João Francisco dos Santos, “Dão” – caicoense e condenado pelo assassinato do jornalista caicoense, F Gomes.

José Cândido Prado

Paulo Márcio Rodrigues de Araújo

Thiago Sousa Soares.

Todos membros do Primeiro Comando da Capital  ( PCC ).

Itep começa identificação de presos mortos na rebelião de Alcaçuz


O Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep) começou na tarde desta segunda-feira (16) o trabalho de identificação dos corpos retirados da Penitenciária Estadual de Alcaçuz depois da rebelião que deixou pelo menos 26 mortos no fim de semana.

Segundo o Itep, os corpos estão em uma carreta-frigorífico no quartel da Polícia Militar e serão levados de quatro em quatro para o Instituto. Os peritos coletarão as impressões digitais dos mortos e farão exame de raio-x da face, que deve ajudar a identificar os detentos pela arcada dentária.

Depois que todos forem examinados, os dados coletados serão cruzados com o sistema de identificação do Instituto, que entrará em contato com as famílias dos presos conforme eles forem identificados.

G1/RN

Operadora de celular dos Correios chega em fevereiro com foco nas classes C e D


Os Correios começarão a atuar como uma operadora móvel virtual (MVNO, na sigla em inglês) a partir de fevereiro. Denominada Correios Celular, esta será a primeira operadora móvel virtual no Brasil a atuar no regime de credenciada, associada a outra operadora, a EUTV, que venceu a Claro na licitação para a parceria. A operadora cuidará de todos os sistemas operacionais, enquanto os Correios se encarregarão do marketing e das vendas.

O projeto é focado no atendimento às classes C e D, tendo como diferencial a oferta de um plano simples e fácil de entender, aliado à confiança que esse público deposita na marca da empresa. Na primeira fase serão vendidos apenas planos pré-pagos, cujo chip e a recarga poderão ser comprados nas agências dos Correios.

Além disso, a operação terá elementos de promoção de inclusão social e digital, cujos detalhes serão revelados no lançamento oficial da MVNO, no mês que vem. O lançamento será gradual, avançando aos poucos pelo Brasil.

E, apesar de ter como público alvo as camadas sociais de menor renda, a Correios Celular não pretende entrar em guerra de preços com as demais operadoras. "Nossos diferenciais serão a simplicidade, a transparência para o cliente e a proximidade, com as nossas agências. E queremos promover a cidadania, levando inclusão digital e social para as classes D e E", afirma Ara Minassian, coordenador do projeto Correios Celular.

A meta do projeto é ambiciosa: atingir 1 milhão de assinantes no primeiro ano de serviço e ampliar este número para 8 milhões até 2022. Caso os números sejam conformados, a soma financeira do planejamento será de R$ 297,6 milhões em cinco anos.

Caicoense que foi vítima de disparos de arma de fogo em dezembro de 2016, foi a óbito na manhã desta segunda-feira (16), em Natal

O caicoense conhecido por "Roque Pereira da Silva", foi a óbito no final da manhã desta segunda-feira  (16), no hospital Walfredo Gurgel em Natal.

Roque sofreu uma tentativa de homicídio no dia 28 de Dezembro de 2016 no Bairro Boa Passagem, no mesmo dia o mesmo foi encaminhado para Natal e no dia de hoje (16), o seu quadro de saúde agravou-se e o mesmo foi a óbito na UTI do Walfredo Gurgel.

A vítima residia no Bairro Recreio e sofreu uma emboscada por três indivíduos desconhecidos que efetuaram 5 disparos de arma de fogo contra a vítima.

Presos cobram transferência de membros de facção e afirmam haver mais corpos dentro de Alcaçuz

Os detentos retomaram o controle da penitenciária estadual de Alcaçuz na manhã desta segunda-feira (16). Em cima dos pavilhões, os detentos de facções rivais estão trocando ameaças. Presos da facção "Sindicato do Crime do RN" cobra a saída de todos os membros do PCC, que teriam matado membros de facção rival entre sábado e domingo (15). Segundo os detentos, o número de presos mortos é superior ao divulgado pelo Governo do estado.

Sobre o teto do pavilhão 1, presos afirmam que o número de mortos é maior do que os 26 divulgado pelo Governo do Estado. De acordo com os detentos, ainda há corpos em valas e fossas do presídio.

A principal reivindicação é que os detentos do PCC, que estão no pavilhão 5, sejam transferidos para outras unidades prisionais. Os presos das duas facções estão trocando ameaças dentro do presídio e, segundo relatos iniciais, os presos do PCC estão ameaçando invadir o pavilhão 1

Presos se rebelam em mais um presídio do Rio Grande do Norte

G1/RN - Detentos do Presídio Provisório Professor Raimundo Nonato, em Natal, estão rebelados desde as 3h (4h de Brasília) desta segunda-feira (16). Segundo o governo do Rio Grande do Norte, a situação está controlada. Não houve fugas e não há informações sobre feridos. No fim de semana, uma rebelião em outro presídio do estado deixou 26 mortos.

De acordo com a Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc), os presos tentaram derrubar uma parede do presídio, mas a polícia interveio e evitou a fuga. O Grupo de Operações Especiais da pasta se prepara para entrar no presídio e debelar o motim.

A nova rebelião atrasou uma revista prevista para ocorrer na manhã desta segunda-feira na Penitenciária de Alcaçuz, onde ocorreram as mortes no fim de semana.

Conhecido como Cadeia Pública de Natal, o Presídio Provisório Raimundo Nonato não tem grades, que foram arrancadas em rebeliões anteriores. O estabelecimento tem 166 vagas projetadas, mas abriga 600 detentos, segundo um relatório de novembro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). As condições são consideradas "péssimas".

Corpos foram encontrados na fossa de Alcaçuz após rebelião


Presos durante rebelião do Centro Penitenciário Alcaçuz (Foto: AFP)

Alguns dos mortos da rebelião na Penitenciária Estadual de Alcaçuz foram encontrados dentro de uma fossa em frente ao pavilhão 4. A maioria foi decapitada e muitos dos mortos foram ainda esquartejados.

No local, cerca de 200 homens circulavam soltos devido à destruição de celas desde março. As informações são do Estadão.

O Instituto Técnico-Científico de Polícia do Rio Grande do Norte (Itep-RN) montava força-tarefa para identificar os detentos mortos na rebelião na Penitenciária Estadual de Alcaçuz.

A identificação dos mortos deve começar a partir de segunda-feira, 16, quando familiares devem apresentar fotografias dos presos.

Autoridades

Em coletiva a imprensa no início da noite deste domingo, 15, após um dia de inspeção na Penitenciária Estadual de Alcaçuz, na região metropolitana de Natal, as autoridades de segurança pública do Rio Grande do Norte informaram que 26 pessoas – não 27, como noticiado mais cedo – foram mortas durante um motim que começou no sábado, 14.

A rebelião - resultante de uma briga entre integrantes de facções criminosas rivais que cumprem pena na unidade - aconteceu no pavilhão 4 da penitenciária, quando detentos do pavilhão 5, que são mantidos separados, escaparam e deram início ao confronto. O motim foi contido no começo da manhã de hoje, 15. Houve mobilização de todas as forças policiais do estado para conter o conflito, evitando que se espalhasse para outros pavilhões.

O secretário estadual da Justiça e da Cidadania, Walber Virgolino da Silva Ferreira, disse que o cenário no interior de Alcaçuz após a rebelião era de barbárie, com as estruturas muito danificadas e corpos mutilados. Dois corpos foram carbonizados, um semicarbonizado e todas as outras vítimas foram decapitadas.

O diretor do Instituto Técnico-Científico de Polícia (ITEP) , Marcos Brandão, informou que os 26 corpos foram acondicionados em sacos próprios e levados para uma carreta refrigerada sob o cuidado da polícia militar. “Amanhã começam os trabalhos de necrópsia e identificação”, informou. Ele não deu prazo para a identificação das vítimas, mas informou que as famílias de detentos que estiverem em busca de informações devem ir até o ITEP, e não ao presídio de Alcaçuz.

O secretário estadual de Segurança Pública e Defesa Social, Caio César Marques Bezerra, disse que durante a tarde as forças policiais, incluindo autoridades, soldados e peritos, entraram na penitenciária para realizar a contagem dos presos, a análise da extensão dos danos estruturais e avaliar a quantidade de vítimas mortas e feridas. Também foram feitas revistas nas celas e apreendidas armas caseiras. Um detento fugiu durante a rebelião, mas foi encontrado rapidamente.

Sobre as medidas para evitar um novo massacre, o secretário Virgolino disse que forças de segurança estão na unidade e o policiamento foi reforçado para a noite. “O período noturno exige mais cuidado para evitar que grupos rivais entrem em conflito. A vigilância foi reforçada dentro do presídio, nas guaritas e nos arredores da unidade.”, disse. Ele também informou que homens da Força Nacional estão reforçando a proteção do perímetro da unidade.

O secretário de segurança informou que amanhã haverá uma nova inspeção no presídio pelas forças policiais, incluindo tropa de choque e outras, que vão entrar de novo no local em busca de armas brancas que possam ter sido usadas nas execuções.

A Polícia Civil disse que esta semana serão instaurados os inquéritos para investigar as mortes. Sobre a transferência de líderes da rebelião para outros presídios, o secretário Bezerra disse que elas vão acontecer se houver necessidade, mas que ainda é cedo para se ter uma posição oficial. “As transferências serão realizadas de acordo com o resultado das investigações e vão ocorrer se for necessário”, falou.

Iceberg gigante está se formando e pode se soltar a qualquer momento


Um gigantesco iceberg está se formando na Antártida. O imenso bloco de gelo que se desprende de uma geleira e fica flutuando no oceano é um dos dez maiores já registrados na história.

O bloco de gelo chamado Larsen C, é como se fosse uma prateleira com 350 metros de profundidade apoiada em águas geladas. Ele está localizado no lado oeste da Antártida, a aproximadamente 800 quilômetros ao sul da base brasileira Estação Antártica Comandante Ferraz.

No ano passado, cientistas britânicos afirmaram que uma rachadura no Larsen C estava aumentando rapidamente. O aumento foi mais perceptível em dezembro passado. Conforme pesquisadores, apenas 20 quilômetros de gelo impedem o imenso bloco de 5 mil metros quadrados (o equivalente a 500 mil campos de futebol ou à área do Distrito Federal) de se soltar. O temor é pelas consequências disso. Os estudiosos estão preocupados sobre o impacto do desprendimento desse iceberg do restante da plataforma de gelo, já que a ruptura da Larsen B em 2002 aconteceu de forma muito semelhante.

Os cientistas acreditam que o aquecimento global tenha antecipado a provável ruptura do iceberg, mas não têm evidências suficientes para embasar essa teoria. Segundo estimativas, se todo o gelo da Larsen C derreter, o nível dos mares aumentaria cerca de 10 cm. Para Adrian Luckman, da Universidade de Swansea, no País de Gales, responsável pela pesquisa, as prováveis consequências podem ser o colapso da plataforma nos próximos anos ou décadas. “Ainda que o impacto imediato não atinja os mares, trata-se de um grande evento geográfico que mudará a paisagem do continente gelado”, disse.