segunda-feira, 23 de janeiro de 2017


Explosão em hotel de Silvio Santos deixa feridos no Guarujá


EXAME

Fachada do Sofitel Guaruja Jequitimar, no Guarujá (SP) (SiteSofitel Guaruja Jequitimar/Reprodução)

São Paulo – Uma explosãono hotel Sofitel Jequitimar, no Guarujá, no litoral sul de São Paulo, deixou ao menos duas pessoas feridas. O empreendimento, localizado na praia de Pernambuco, é do empresárioSilvio Santos.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, o acidente foi causado por um vazamento de gás na cozinha. O fogo foi controlado por volta das 14h45 desta segunda-feira (23).

A fachada do hotel, segundo o Corpo de Bombeiros, teve a sua estrutura abalada e o estado de saúde das vítimas ainda não foi informado.

Cadeia Pública de Ceará-Mirim está com 50% da obra executada


A obra de construção da Cadeia Pública no município de Ceará-Mirim está com 50% dos serviços executados. Em andamento, a construção está em fase de execução das edificações das paredes das celas em concreto armado. Já estão finalizados a fundação, pisos em concreto com chapa de aço e muro de concreto. O prédio administrativo está em fase de acabamento. Finalizada, a unidade irá beneficiar o Sistema Penitenciário do RN com cerca de 600 novas vagas e seguindo as diretrizes de segurança do Departamento Penitenciário Nacional – DEPEN.

A previsão de entrega é para o final do mês de junho. O valor do investimento na unidade é de cerca de R$ 21 milhões, por meio de uma parceria entre o Governo do Estado e Ministério da Justiça, através da Secretaria da Justiça e da Cidadania (Sejuc) e a fiscalização da Secretaria de Infraestrutura (SIN).

Guerra de facções em Alcaçuz é por filiações e dinheiro


O portal Uol publica, no início da manhã de hoje, uma reportagem sobre a crise no sistema prisional.

Veja a matéria:

Na versão difundida, a disputa dentro da Penitenciária Estadual de Alcaçuz, em Nísia Floresta, na Grande Natal, é para que integrantes de apenas um dos grupos rivais –PCC (Primeiro Comando da Capital) ou Sindicato do RN– fique no local. A solução para esse problema é apresentada como única chance de paz no local.

Apesar de haver alguma verdade nisso, já que a disputa deixa mortos dos dois lados, o UOLapurou que há mais interesses envolvidos além de o de poupar vidas nessa disputa.

A guerra declarada tem motivações que envolvem demonstração de força junto ao Estado, a chance de aumentar o número de filiados e, por consequência, reforçar o caixa –já que ambas cobram mensalidades dos membros. Por isso, nenhum dos lados aceita sair do local –e deixaram claro isso ao governo.

Em meio ao fogo cruzado e para evitar uma nova barbárie, na quarta-feira (18) o governo do Estado transferiu 220 presos do Sindicato do RN de Alcaçuz para outras duas cadeias em Natal. A ação gerou umasérie de ataques nas ruas em retaliação, causando 32 atentados a ônibus, carros e delegacias.

Em vez de acalmar, a medida do governo acirrou os ânimos dentro de Alcaçuz. No dia seguinte (19) à transferência, uma batalha campal foi vista com o ataque de membros do Sindicato a integrantes do PCCno pavilhão 5 –com o saldo de ao menos três mortes. Uma faixa foi erguida para que a imprensa pudesse avistá-la: nela, pediam a saída do PCC e diziam que o Sindicato ainda estava forte no presídio.

Segundo apurou o UOL, mesmo com a saída de 220 detentos, o Sindicato tem –entre membros e “aliados”– cerca de 500 filiados em Alcaçuz. Nessa contabilidade extraoficial, o exército do PCC totaliza 500 irmãos.

Segundo o governo, a decisão de retirar integrantes do Sindicato foi tomada por questões logísticas –como o Sindicato tem domínio da região, não haveria como garantir a segurança de detentos do PCC.

Após tentativa de fuga, detento é baleado por agentes em Alcaçuz


O clima em Alcaçuz ainda é de tensão. Rebelados desde o último dia 14, a Secretaria de Justiça e da Cidania do Rio Grande do Norte (Sejuc) confirmou uma tentativa de fuga durante a madrugada desta segunda-feira (23), mas que terminou sem sucesso para os detentos.

Agentes do presídio, o maior do estado, evitaram a fuga do primeiro preso que foi baleado no braço ao tentar pular de um dos alojamentos por uma rede pendurada do lado de fora. Por conta da ação, outros presos desistiram da fuga e recuaram.

Nesta segunda, policiais da Força Nacional e agentes penitenciários encontraram um terceiro túnel escavado para fuga de detentos. A Sejuc afirma que ninguém fugiu.

G1/RN

Balanço do final de semana com 10 corpos necropsiados no ITEP em Mossoró

19 Janeiro: Severino Vitorino Lourenço de 40 anos de idade foi encontrado morto na tarde de hoje, 19 de janeiro, na zona rural de Assú. Segundo informações, a vitima fazia manutenção numa rede de irrigação em companhia de outro elemento, que figura como o principal suspeito do crime. O

19 de janeiro: José Felix Sobrinho de 47 anos de idade, residente no Assentamento Santa Paz, em Baixa do Meio, distrito de Guamaré, morreu vitima de acidente na BR 406, próximo a residência.

>20 de janeiro: Francisco Ednei Nunes Marques, “Branco do Jacú”, foi morto a tiros no Sítio Baixa Grande, na zona rural do de Portalegre. A Polícia Militar local acredita que a vítima, “Branco do Jacú” foi perseguida até o local, onde foi encontrado morto.

>20 de janeiro: Fabio Bonifácio da Silva de 33 anos de idade, foi baleado no final da noite de ontem na Rua Epitácio Pessoa nas barrocas e não resistiu.

>21 de Janeiro: Francisco Daniel Nogueira Lima, de 16 anos de idade, foi surpreendido por dois homens que lhe atingiram com vários disparos de arma de fogo, no centro da cidade de Pau dos Ferros e morreu no local. Daniel era suspeito de participar do assassinato do advogado Alex Ney Diógenes Almeida.

>21 de janeiro: José Ivanildo da Silva Costa, 37 anos de idade, Instrutor de Auto escola, foi baleado quando chegava para comprar bebida num posto da gasolina na cidade de Parau, no final da tarde de sábado.

>21 de Janeiro: Pedro Viriato de Souza Filho “Pedrinho” de 21 anos de idade, residente na Rua Sete de Novembro, bairro Cascalho na cidade de Alexandria, morreu em confronto com a Policia Militar de Alexandria, na manhã de hoje. Segundo informações, “Pedrinho” estava foragido da justiça.

>21 de Janeiro: Antônio Alves Marreiro de 44 anos de idade, residente na Rua Marechal Deodoro, nas Barrocas, morreu na manhã do dia 21 de janeiro, no Hospital Regional Tarcísio Maia em Mossoró. Ele foi baleado dentro de casa e há cinco dias estava internado, mas não resistiu.

Histórico da Ocorrência:

Na madrugada do dia 16 de janeiro, Antônio Marreiro, juntamente com dois filhos, foram baleados dentro de casa. Um dos filhos, Anderson da Rocha Alves, de 18 anos de idade, que seria o alvo dos criminosos, morreu no local. Outro filho, Ericsson Alves Marreiro de 16, sofreu um disparo na mão, foi socorrido juntamente com o pai. Os criminosos quebraram a porta dos fundos e invadiram a casa, onde a família dormia e executaram “Anderson” com disparos de pistola Ponto 40 e de escopeta calibre 12.

>22 de janeiro: Derlane da Silva Araújo de 20 anos de idade, residente na Rua Professora Libania Lopes Pessoa, no bairro Vertentes, em Itajá, foi executado com disparos de escopeta calibre 12, dentro de casa, na Rua Drº João Baltazar, no bairro Subestação em Baraúna. Os criminosos arrombaram um portão de ferro, a porta e as janelas da casa onde a vítima dormia, com disparos de escopeta. Ele ainda tentou escapar, mas foi morto brutalmente, no quintal da residência. Derlane teve o rosto desfigurado pelos disparos. Outra pessoa que estava com ele na residência, foi levada pelos criminosos, na mala de um carro.

>22 de Janeiro: Juranilson Gomes dos Santos, “Sal da Discovery” de 41 anos de idade, residente na Rua Gibani Suassuna, no centro de Patu, trafegava de carro com a esposa e 03 filhos, perdeu o controle do carro numa curva e capotou varias vezes. Segundo registro, o acidente aconteceu às 17 horas. Sal da Discovery foi atendido no local e socorrido para o Hospital Regional Tarcísio Maia em Mossoró, onde morreu por volta de 8 horas. A esposa e os filhos sofreram pequenos ferimentos e não corre riscos de morrer.

Bandidos desfilam armados em frente a quartel da Marinha


Bandidos em frente a um quartel da Marina, na Penha, no Rio (VEJA.com)

Avenida Brasil, 10.940. O endereço do Centro de Instrução Almirante Alexandrino (CIAA), na Penha, zona Norte do Rio, é a porta de entrada de quem sonha ingressar na Marinha brasileira. Há anos, no entanto, a unidade convive com uma incômoda ameaça: os traficantes da Favela Kelson’s. A qualquer hora da noite ou do dia, criminosos fortemente armados desfilam pela região, deixando os próprios militares acuados, dentro ou fora dos quartéis.

Desde ontem, duas imagens circulam nas redes sociais e mostram, de forma inequívoca, quem é que dita as regras no pedaço. Em uma delas, o criminoso com o fuzil nas mãos passa pelo muro do CIAA, atras do poste e ao lado de uma barricada feita com concreto dentro de latões de lixo e trilho de trem. A foto foi feita justamente por um sentinela pela brecha de uma das torres de segurança. “A ordem é para não atirar. Só agimos se tentarem entrar na unidade. Do muro para fora é com a PM”, afirma um sargento da Marinha.

Veja também

A outra foto é ainda mais impressionante. Também feita à luz do dia, ela mostra o encontro de 11 criminosos na esquina da Kelson’s, todos armados com fuzis, vários com mochilas, carregadores, pistolas.

A convivência com este incomodo vizinho não é novidade para os militares. Em março de 2014, quatro homens armados com fuzis e pistolas invadiram a unidade militar tentando escapar de uma operação policial do Bope na favela. O grupo acabou rendido e preso. “Mas é um tabu isso aqui. Ninguém pode falar do assunto, e ao mesmo tempo ninguém toma uma providência para expulsar o trágico da nossa porta”, diz outro militar que serve na unidade.

Força Nacional encontra dois túneis fora de Alcaçuz e apreende drogas


Policiais da Força Nacional encontraram dois túneis na área externa próxima ao Pavilhão 5 de Alcaçuz. Um deles estava camuflado. Também foram encontrados drogas e celulares que seriam arremessados para dentro do presídio.

Um dos túneis encontrados teria aparecido após parte da areia desabar em decorrência das chuvas deste domingo. O outro estava camuflado com mato, e a polícia não sabe se ele teria sido usado para fugas durante as rebeliões desta semana.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do RN, o túnel que estava camuflado já foi fechado e o mesmo deverá ser feito com o que desabou por causa das chuvas.

Próximo aos dois buracos, os policiais da Força Nacional encontraram uma sacola contendo drogas, como maconha e cocaína, e mais quatro aparelhos celulares. Foram realizadas diligências e abordagens na área, no entanto, ninguém foi preso até o momento.

G/RN