sexta-feira, 27 de janeiro de 2017


Henrique vai convidar Ministro da Integração para inauguração da adutora em Caicó


O ex-ministro do Turismo, Henrique Alves confirmou nesta quinta-feira (27) que vai convidar, já na próxima semana quando estará em Brasília, o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho para participar da inauguração da Adutora Emergencial de Caicó, quando a mesma estiver concluída. No contato, o ex-ministro que é presidente estadual do PMDB, partido que responde pelo DNOCS, responsável pelas obras explicou o atraso nos serviços.

“Primeiro e preocupação maior é acelerar para entregar no prazo prometido pelo DNOCS mesmo sob a descrença de muitos. E só demorou mais porque cálculos da CAERN estavam alguns defasados no tempo e DNOCS teve de corrigi-los. Agora surgiu um ocupante de área no perímetro de Jucurutu q não queria deixar tubos passarem.

Tivemos que ir ao DNIT, proprietário real da propriedade para resolver impasse, o que já fez. Mas atrasou 10 dias nisso. Tem Ainda complemento de tubos para levar até área ideal da Barragem Armando Ribeiro que previsão anterior também foi equivocada”, disse

Marcos Dantas / Plantão Caicó

PM apreende cocaína durante cumprimento de mandado de busca e apreensão em Caicó

    

Na tarde desta sexta-feira três guarnições da Polícia Militar (RP e GTO) sob o comando do Sub-Tenente Jadi cumpriram um mandado de busca e apreensão de drogas, armas e outros, em duas residências na Rua Athur Bernardes, conhecida como Rua dos Ciganos no Bairro Boa Passagem, Zona Norte de Caicó.

Em uma residência nenhum ilícito foi encontrado, já na outra casa de n° 294 foram encontrados no bolso de uma calça jeans um canudo com 3 trouxinha de substância análoga a cocaína e um pacote maior que continha mais 15 totalizando assim 18 trouxinhas da droga.

A droga foi localizada no bolso de uma calça jeans que estava dentro de um baú na cozinha da casa

MARIA DA CONCEIÇÃO ARAÚJO, de 56 anos conhecida por “menininha” e sua filha menor de 17 anos estavam na residência onde a droga foi encontrada. MARIA DA CONCEIÇÃO assumiu a posse da droga e disse ser usuária. Ela foi conduzida para a Delegacia de Polícia Civil de Caicó para os procedimentos cabíveis.

O Delegado Dr. Bruno Ferraz mandou que fosse feito um Auto de Exibição da droga e um TCO, baseado no Art. 28 da Lei 11.343/06 da Lei de Tóxicos, que diz respeito a guardar ou ter em depósito drogas ilícitas para consumo pessoal.

Caicó na rota da notícia / Plantão Caicó 

Polícia prende integrantes da facção Sindicato do RN

A Polícia Militar e o Exército Brasileiro desencadearam uma operação em combate ao crime organizado nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira (27), na comunidade Paço da Pátria, na zona Leste de Natal. Dorgas e armas foram apreendidas e um foragido da justiça recapturado.

De acordo com o Major Eduardo Franco, da assessoria de comunicação da PM, a atividade tem como finalidade principal desarticular o crime na localidade. "Já existem muitas drogas apreendidas e armas, além de um homem em débito com a justiça preso. As informações completas sobre a operação serão apresentadas na Sesed ainda nesta sexta", informou.

Na operação foram apreendidas seis armas de fogo, entre elas uma pistola de calibre restrito das Forças Armadas (9mm), 3 pistolas calibre .380, e 2 revólveres calibre .38, além de aproximadamente 22 kg de maconha, 3 barras de explosivos, bala clava, colete balístico e diversos materiais, como TV’s e aparelhos de som.

Também foram recapturados os foragidos Vanderson Barros Pacheco, de 30 anos, João Paulo Fernandes de Assis Lima, de 25 anos, e Rodrigo Januário Alves, 32 anos. Foi preso ainda na operação Josiel Gomes Bastos, de 28 anos. Há suspeitas de que os presos são integrantes da facção criminosa Sindicato do RN.

A operação contou com policiais militares de três unidades operacionais, entre o Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) e da Companhia de Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (ROCAM), além do Centro Integrado de Operações Aéreas (CEIOPAER) e da Polícia do Exército

Operação da PM e Exército apreende armas,drogas e munições


Nas primeiras horas da manhã desta sexta-feira (27), a Polícia Militar do Estado do Rio Grande do Norte e o Exército Brasileiro desencadearam uma operação conjunta no bairro Passo da Pátria, zona Leste de Natal.

A operação contou com policiais militares de três unidades operacionais, entre o Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE), Batalhão de Polícia de Choque (BPChoque) e da Companhia de Rondas Ostensivas com Apoio de Motocicletas (ROCAM), além do Centro Integrado de Operações Aéreas (CEIOPAER) e da Polícia do Exército Brasileiro.

Na operação foram apreendidas seis armas de fogo, entre elas uma pistola de calibre restrito das Forças Armadas (9mm), 3 pistolas calibre .380, e 2 revólveres calibre .38, além de aproximadamente 22 kg de maconha, 3 barras de explosivos, bala clava, colete balístico e diversos materiais, como TV’s e aparelhos de som.

Brasil pode sofrer com estiagem prolongada

O Brasil pode sofrer com um prolongamento da estiagem, que já dura cinco anos, de acordo com pesquisa realizada pelo Grupo de Trabalho em Previsão Climática Sazonal (GTPCS), ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC). Para os estados do país que estão em situação mais precária hoje, Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte, a tendência é piorar.

No documento, o grupo reforçou sua preocupação com o quadro hídrico da região Nordeste, devido à previsão negativa para os meses de fevereiro a abril deste ano. Os reservatórios costumam se recuperar nesse período, conhecido como estação chuvosa. No entanto, em 2017, as precipitações devem ficar abaixo da média histórica.

Segundo o coordenador-geral de Pesquisa e Desenvolvimento do Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais), José Marengo, caso o quadro de estiagem se confirme e os reservatórios do Nordeste não tenham recuperação significativa, os impactos sociais e econômicos podem ser grandes.

Há ainda um "acentuado risco" de esgotamento da água armazenada em represas e açudes entre novembro desse ano e janeiro de 2018, de acordo com os pesquisadores do grupo, que indicam, mais uma vez, que Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte têm os índices mais preocupantes.

Dificuldades no Centro-Oeste e Norte

Nas últimas semanas, o Distrito Federal passou a viver um regime de racionamento de água, devido ao baixo nível de seu principal reservatório. De acordo com o pesquisador, as nuvens concentradas na região Sul podem não ter força para chegar à região central do país.

Outra área que desperta atenção é o extremo norte da região Norte, especialmente nas áreas leste e nordeste de Roraima. “A preocupação se deve ao aumento do potencial de queimadas, principalmente a partir de fevereiro. Se a cobertura vegetal diminui, o solo fica mais exposto, elevando ainda mais a temperatura. É um ciclo vicioso”, explicou Marengo.

Polícia Militar recupera objetos roubados de arquidiocese em Caicó

O Seminário Diocesano Santo Cura d´Ars foi fundado por Dom José de Medeiros Delgado, primeiro bispo da Diocese de Caicó, localizado no Largo Dom Manoel Tavares, 19, bairro Paraíba, foi violado e teve objetos furtados.

Ao receber a notícia do furto, a Polícia Militar de Caicó, por meio do seu comandante, major Costa, iniciou diligências, e por volta das 18:00 horas dessa noite, 26, todo o material foi recuperado por PM's do Ronda Escolar.

O padre Bruno, coordenador do seminário diocesano, foi à delegacia para receber todo o material recuperado pela Polícia Militar. Ele agradeceu o empenho e elogiou a perseverança dos homens que fazem a Polícia Militar em Caicó.

Jair Sampaio / Plantão Caicó

Robinson vai mandar "lacrar" Alcaçuz, um dos maiores prejuízos da história do RN


Os grandes empreendedores costumam enxergar nas crises, as oportunidades. No setor público, as crises são ótimas oportunidades para mostrar lambanças e desperdícios feitos no passado, e Alcaçuz é um grande exemplo disso.

Nesta quinta-feira (26), o governo do estado admitiu que pretende fechar a penitenciária. “Vou mandar lacrar Alcaçuz e vamos acabar com a sua existência amaldiçoada”, disse o governador Robinson Faria na entrevista que deu ao RNTV 1ª edição.

Até de forma irônica, Robinson disse que iria “devolver à natureza”, se referindo às dunas da região onde foi construída a penitenciária, mas que verá também a possibilidade de fazer um “parque”, para evitar invasões. A sugestão do prefeito de Nísia Floresta é a implantação de uma escola de formação profissional para o turismo, o que seria até mais simbólico.

Mas se tem uma coisa que a gente sabe fazer em momento de crise(s) é contar. Enquanto o Rio Grande do Norte conta moeda por moeda para pagar o servidor público, há quase 20 anos o governador Garibaldi Filho e o secretário de Justiça e Cidadania, Carlos Eduardo, inauguraram uma penitenciária em cima de uma duna. Foram gastos R$ 10 milhões para construção do presídio.

Em 2010, o então governador Iberê Ferreira inaugurou, no último dia do seu governo, a Penitenciária Estadual Rogério Coutinho Madruga (pavilhão 5) que, apesar de ter custado mais R$ 10,98 milhões, não poderia ser usado por inadequações na obra. A mesma, que prometia ser de segurança máxima, foi reinaugurada em outubro de 2011 e interditada novamente em julho de 2012 por problemas na rede elétrica.

Em 2015, mais dinheiro. Robinson anunciou a destinação de R$ 15 milhões para recuperar várias unidades prisionais deterioradas com a rebelião de março daquele ano. E o maior estrago foi aonde? Os quatro pavilhões de Alcaçuz foram reformados.

Tudo isso para, apenas HOJE, descobrirmos que não vale a pena construir/manter um presídio ali. Aliás, hoje não falta quem condene o prédio. Tem político defendendo até a “implosão”. Situação muito diferente de 1998, quando “ninguém contestou”, segundo Garibaldi.

Alcaçuz foi, realmente, “um grande equívoco” e precisa ser desativada. Um exemplo de como é fácil jogar fora o dinheiro público. Meu desejo é que o governo tenha boa sorte, que aproveite alguma coisa daquele lugar, e que depois de mais uma crise, a população enxergue a oportunidade de contestar.