sábado, 13 de maio de 2017


VIGILANTE É MORTO A TIROS EM NÍSIA FLORESTA


Um vigilante de 26 anos foi assassinado a tiros na madrugada deste sábado (13) na cidade de Nísia Floresta, na Grande Natal. Segundo a Polícia Civil, Alisson Ferreira Cordeiro estava jogando sinuca em um bar, próximo ao campo do Cruzador, quando foi surpreendido por um homem encapuzado.

Ainda de acordo com a polícia, o vigilante ainda tentou fugir, mas foi baleado quando corria pelo campo. A polícia fez buscas pela região, mas não conseguiu encontrar o atirador. Até o momento não informações sobre a motivação do crime nem pistas do assassino.

O homicídio foi registrado pela delegacia regional, mas o caso será investigado pela DP do próprio município.

G 1

URGENTE : HOMICÍDIO NA ZONA OESTE DE CAICÓ

Por volta 14h 30 min deste sábado  (13), foi registrado um crime de homicídio no bairro Paulo VI na zona oeste de Caicó.

Ralison Almeida de Medeiros, vulgo Ralinho, de 24 anos, foi assassinado por cerca de 4 disparos de arma tipo escopeta calibre 12.

De acordo com informações, 4 indivíduos armados assassinaram a vítima e fugiram com destino ignorado.


Bolsa Família terá reajuste acima da inflação

O presidente Michel Temer deu aval, nesta sexta-feira, 12, para o reajuste do Bolsa Família acima da inflação acumulada até junho, a partir de 1º de julho. E o governo vai aproveitar o anúncio para lançar um pacote de medidas de estímulo à inclusão dos beneficiários do programa no mercado de trabalho.

O Palácio do Planalto quer incentivar a formalização do emprego nas famílias que recebem recursos do programa de transferência de renda, que foi vitrine do governo do ex-presidente Lula. De acordo com os dados do IBGE, até abril, a inflação medida pelo IPCA acumula o índice de 4,08% em 12 meses.

Quem estiver no Bolsa Família e conseguir emprego com carteira assinada vai poder continuar recebendo o benefício por mais dois anos, desde que a remuneração não ultrapasse três salários mínimos. Se perder o emprego nesse período, poderá automaticamente retornar ao programa. O número de inscrição continuará válido.

O pacote inclui a permanência de agentes do Sebrae nas cidades ou microrregiões do País para assessorar os participantes do programa a buscarem pequenos negócios. Uma linha de financiamento, que pode chegar a R$ 1 bilhão, será disponibilizada.

O Bolsa Família, assim como o auxílio-doença, está passando por um pente-fino para identificar se os beneficiários têm realmente direito à ajuda do governo. Isso contribuiu para zerar a fila das pessoas que aguardam para ingressar no programa.

O ministro do Desenvolvimento Social e Agrário, Osmar Terra, avaliou que o Bolsa Família é hoje o maior responsável pela não formalização do emprego. "As pessoas têm medo de perder o bolsa", disse. Ele deu como exemplo tratoristas de plantações no Sul do País que não querem ter carteira assinada para não perder o benefício.

Segundo o ministro, o programa deixou ter "viés estatista". "No governo anterior, o Estado era obrigado a manter as famílias pura e simplesmente", afirmou. Os prefeitos que facilitarem a inclusão produtiva dos beneficiários serão premiados.