ÁLVARO DIAS ESCLARECE SOBRE PEDIDO DA PGR

18:29:00



Nota do vice prefeito de Natal sobre o pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, que pede a destituição de quem se efetivou na Assembleia Legislativa:

Confira:

Venho aqui, manifestar minha surpresa com relação à nota publicada hoje (27) dando ênfase sensacionalista a meu nome, mesmo a despeito de o assunto em questão ainda não estar decidido e envolver 163 casos individuais relacionados.

Tal atitude demonstra uma clara intenção de me atingir e denegrir minha imagem, motivado por interesses outros, não se sabe a que pretexto. Não posso deixar de manifestar minha estranheza e indignação pela insistência na divulgação de um tema por diversas vezes “requentado”, 16(dezesseis) anos após meu mandato na Presidência da Assembleia Legislativa, até mesmo citando atos que ocorreram antes de tal período, o que, me permita, caracteriza forte teor de perseguição pessoal.

Todos os servidores da Assembleia Legislativa, exceto os nomeados mediante um único concurso, realizado em 2015, são oriundos de outros poderes, uma vez que naquela Casa não existia quadro funcional de carreira.

Todos os atos de relotações funcionais foram originados por decisão da Mesa Diretora, com a assinatura de seus membros, entre os quais o então primeiro-secretário e hoje Governador do Estado, Robinson Mesquita de Faria.

Portanto, esse fato não se caracterizou em decisão unilateral minha, mas de um colegiado, representado pela Mesa Diretora.
Vale ressaltar que os funcionários da Assembleia Legislativa, exceto aqueles admitidos por seleção recente, feita através do único concurso realizado, obedeceram aos mesmos critérios utilizados para relotação das pessoas citadas.

Aumenta minha surpresa e indignação, por observar que apenas estas, são expostas e questionadas, quando se encontram em idêntica situação de todos os outros funcionários.

Outro fato: é sabido e comprovado que famílias ligadas ao Poder Executivo e de sobrenome por demais conhecido e coincidente ocupam funções comissionadas em vários órgãos do Executivo atual, sem que exista qualquer denúncia ou investigação sobre a flagrante prática de nepotismo, o que, somente por isso, desautoriza qualquer indignação seletiva maldosa.

Por fim, o caso encontra-se sob análise e apreciação da Justiça, sendo precipitada e irresponsável, qualquer condenação midiática antecipada, de quem quer que seja feita pela imprensa, atendendo muitas vezes, somente a interesses inconfessáveis.

Álvaro Dias
Vice-prefeito de Natal

Leia Também...

0 comentários