Lula decide nas próximas horas como cumprirá ordem de prisão. Petistas defendem que ele não se entregue

08:39:00


O ex-presidente Lula decide nas próximas horas como cumprirá a ordem de prisão determinada pelo juiz Sergio Moro, que deu prazo até as 17h de hoje para o petista se apresentar na sede da Polícia Federal em Curitiba. Um grupo de petistas quer que ele não se entregue e force a polícia a prendê-lo na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo. Ao mesmo tempo, alguns advogados de defesa do ex-presidente defendem que ele se apresente voluntariamente à Polícia Federal nesta sexta-feira.

Lula passou a madrugada na sede do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, onde apoiadores fazem uma vigília.

O ex-presidente se reuniu com lideranças de esquerda, como a ex-presidente Dilma Rousseff, o deputado Paulo Pimenta, o senador Lindbergh Farias, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, Manuela d´Ávila (PCdoB), Luiz Marinho, os governadores Camilo Santana (Ceará) e Wellington Dias (Piauí), Guilherme Boulos, lider do MTST, e Wagner Santana, presidente do sindicato do ABC. Por volta de 2h da madrugada, Lula foi até uma janela do prédio e acenou para apoiadores.

Quando a ex-presidente Dilma Rousseff desceu ao saguão do prédio, os manifestantes reunidos no local inciaram um grito em coro: “Não vai prender, vai ter luta”.

Lula tem conversado com aliados sobre o que deve fazer, mas ainda não anunciou a sua decisão.

– Foi uma prisão ilegal, ainda faltava o tempo dos embargos dos embargos, então, se é isso mesmo que estão fazendo, eles que venham aqui no meio do povo. É a minha posição – disse o líder do PT no Senado, Lindbergh Farias (RJ), um dos defensores da estratégia de o presidente não se entregar.

Reservadamente, a ideia também é defendida por outras lideranças.

– Vai ser com um mar de gente aqui na frente. Quem se entrega parece que tem culpa, e não é o caso do presidente Lula. Vamos ter uma imagem para rodar o mundo e o Brasil – acrescentou Lindbergh.

A deputada federal Maria do Rosário (PT-RS) defendeu, em sua conta no Twitter, que Lula não se entregue em Curitiba, como foi determinado por Moro.

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) e movimentos de esquerda como Frente Brasil Popular, União da Juventude Socialista do PCdoB e Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) convocaram a militância para fazer a vigília contra a prisão de Lula em frente à sede do Sindicato do ABC.

O GLOBO

Leia Também...

0 comentários