NÃO CONSIGO VOLTAR PRA CASA, DIZ MARIDO DA PM ASSASSINADA EM NATAL

08:15:00

Vítima de assalto, Marcos Paulo da Cruz continua no Hospital da Polícia Militar, em Natal, mesmo após ter alta, porque não consegue autorização para embarcar por conta de uma norma da Anac

   
Nesta segunda-feira, dia 9, completam-se 15 dias desde que o sargento PM Marcos Paulo da Cruz foi alvejado por três disparos e viu sua mulher, soldado Caroline Pletsch, ser assassinada bem na sua frente, durante as férias, em Natal, Rio Grande do Norte.

Não bastasse a tragédia pessoal, o policial militar trava agora uma nova batalha. Silenciosa e longe da comoção que o caso provocou nas redes sociais. O sargento luta contra a burocracia. Ele quer voltar pra casa, pra Chapecó. Sonha em despedir-se da mulher, ver o filho, receber o carinho de amigos e familiares. Mas não consegue.

Segundo ele, uma norma da Anac impede que as companhias aéreas transportem passageiros feridos e em recuperação de cirurgias. O plano de utilizar uma aeronave do governo do Estado também foi descartado pelo mesmo motivo

Leia Também...

0 comentários