'Se tivesse mais 30 ou 40 segundos teria consegui', diz bombeiro que tentou salvar morador de prédio

07:03:00


Bombeiro narra tentativa de resgate antes de desabamento de prédio em São Paulo

G1 - O bombeiro que tentou resgatar um morador do prédio que desabou no Centro de São Paulo disse que se tivesse mais 30 ou 40 segundos teria conseguido salvá-lo. Veja acima a entrevista.

O Sargento Diego orientava o rapaz, chamado Ricardo, a colocar o equipamento de segurança para ser içado quando o prédio desabou. O homem é dado como desaparecido.

"Ele dizia: 'Me tira daqui por favor', e eu respondi: 'Calma, confia em mim'", lembra o bombeiro. "A gente acreditava a todo momento que ia conseguir retirar ele de lá", disse.


Em oito segundos, prédio desaba e leva moradores ao desespero

"Fui orientando ele para ir se amarrando. A ideia era que passasse uma fita em volta do tórax dele. E depois ficaria preso. E depois a gente tiraria ele dessa situação”, disse o sargento.

“O problema maior foi que na hora que a gente ia retirar, o prédio caiu, tensionou a corda e ela não aguentou o peso, estourou. Não daria 30, 40 segundos, pra gente finalizar”, contou.


"Era o tempo de proteger o canto vivo e eu dar a ordem para ele sair com calma."

Veja o momento em que prédio desaba no centro de São Paulo

Os bombeiros fizeram um buraco em outro prédio para chegar até a laje de um prédio vizinho ao que foi incendiado. "Perguntei o nome dele, parece que era Ricardo. Não deu para ouvir, tinha muito barulho", explicou.

 

 

Bombeiro conta como tentou salvar homem de prédio que pegou fogo

Os moradores da ocupação também disseram que ele se chama Ricardo, com cerca de 30 anos.

Ele contou que começou a visualizar o homem da altura do 15º andar, da janela da cozinha. O sargento também contou que não visualizou outras pessoas no local e que o homem também não falou sobre outras vítimas.

"A gente fica chateado, com certeza. A gente queria ter tirado aquela pessoa de lá. Era uma vítima, uma pessoa que precisava de ajuda, que gritava por socorro. Mas a gente tem que entender que a equipe deu o melhor", disse o sargento. "Não tem como não se emocionar."


O bombeiro Sargento Diego relata a tentativa de salvar morador (Foto: Celso Tavares/G1)

O sargento explicou que não tinha, no momento da operação, o equipamento para resgates em grandes alturas. "Eu não tinha equipamento de salvamento em altura, que seria a parte técnica do Corpo de Bombeiros trabalhar", disse.

Ele tentou montar algo simples para o resgate usando um cinto de segurança chamado de "cinto alemão" preso a uma corda. "É uma cadeira. É um cinto que a gente usa em ocorrência."

"A ideia era ele passar o cinto pela perna, para ficar preso, e a fita tubular ele passou em volta do corpo, passou por baixo do braço e passar uma segunda vez. Deu um nó e ele já estava travado. Colocou a perna por dentro. Conseguimos fazer uma ancoragem usando outro cinto, que estava com outro bombeiro", ele descreveu.


Leia Também...

0 comentários