Coincidência inédita na Mega-Sena provoca dúvidas nas redes sociais; matemáticos explicam

11:50:00

Os números sorteados no último concurso da Mega-Sena geraram teorias da conspiração em função de uma semelhança entre eles: todos fazem parte de uma mesma dezena, a 50. Foi a primeira vez que isso aconteceu, o que deu margem para teorias a respeito da loteria. Nas redes sociais, algumas pessoas chegaram a classificar o sorteio como fraude, roubo e até viram o fato como sinal de corrupção. Mas era possível que as bolas escolhidas fossem 50 - 51 - 56 - 57 - 58 - 59, como aconteceu no sábado (23).

As sessenta dezenas da Mega geram mais de 50 milhões de possibilidades --são precisamente 50.063.860 combinações possíveis. Delas, apenas uma garante o prêmio no concurso. No sábado, quatro apostas --um bolão em Salvador, e jogos individuais em Canoas (RS), Maranguape (CE) e Marabá (PA)-- dividiram mais de R$ 38,5 milhões.

"Existe uma diferença entre improvável e impossível", pontua o professor Waldeck Schutzer, chefe do Departamento de Matemática da Ufscar (Universidade Federal de São Carlos).

"Essa sequência de números não é improvável nem impossível". Segundo o matemático, só seria impossível sair esses números se 50, 51, 56, 57, 58 nem 59 estivessem entre as dezenas possíveis de serem sorteadas.

Uma sequência impossível, ainda de acordo com ele, seria uma com o número 61, por exemplo, já que não está entre 1 e 60. Como a combinação sorteada não é impossível, consequentemente, também não é improvável, afirma o matemático.

"Todas as combinações têm a mesma probabilidade", pontua Schutzer, que atribuiu a estranheza de alguns sobre o concurso à falta de conhecimento de algumas pessoas sobre teorias de probabilidade. "O conhecimento que as pessoas têm sobre probabilidade é muito pouco e insuficiente".

Questionada sobre os comentários postados nas redes sociais, a assessoria de imprensa da Caixa não respondeu até o momento.

Escolha

Escolher números tão próximos um do outro pode ter sido uma opção do próprio apostador ou então da própria máquina de apostas da Caixa, que faz a combinação o quando o jogador não quer determiná-la, a chamada aposta "surpresinha". 

Tanto é possível escolher esses "números polêmicos" que 152 apostas fizeram a quina, ou seja, tinham cinco das seis dezenas sorteadas. Outros 4.816 jogos acertaram a quadra, com quatro dos seis números.

Nos últimos anos, a reportagem tem levantado quais foram as dezenas mais sorteadas na Mega. Em cada uma das ocasiões, matemáticos sempre apontaram que a chance de cada dezena sair é a mesma.

"Qualquer um dos 60 números da Mega tem a mesma possibilidade de ser sorteado. O processo não guarda memória do passado. Não adianta pensar que 'esse número saiu mais'", diz o professor do Departamento de Matemática do Centro Universitário FEI Fábio Gerab. Dos números do último sábado, o 57 foi o que mais saiu no ano passado: 14 vezes.

Para o professor de matemática da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) Gilcione Nonato Costa, o melhor mesmo é nem chegar perto de uma lotérica. "Minha dica é cruel: é não jogar", diz. "A probabilidade de acertar é quase nula".

Um dos principais alvos de dúvidas de alguns é com relação às bolas numeradas. Elas, que possuem o mesmo peso, de acordo com medições periódicas do Inmetro [Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia], são colocadas nos globos de sorteio na frente do público. Pessoas da plateia liberam as bolas, que, por fim, formam a combinação.

Além de auditores no local, uma equipe da Caixa em Brasília monitora o sorteio, não importa o local do país em que ele aconteça.

Como polêmica ou não envolvendo os números do último concurso, a Mega volta a ser sorteada na próxima quarta-feira (27), com prêmio estimado em R$ 2,5 milhões.

UOL

Leia Também...

0 comentários