Contingente da Polícia Militar é insuficiente para garantir a segurança durante a eleição

08:41:00

No Rio Grande do Norte serão enviadas tropas federais para 97 municípios durante as eleições 2018. São 60 municípios a mais do que nas eleições gerais de 2014, quando o TSE havia aprovado o envio de Forças Armadas para reforçar a segurança em 37 municípios do estado. Isso, em parte ocorre porque o contingente da Polícia Militar é insuficiente.

Em ofício enviado ao Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte, o Governo do Estado destacou que existe um déficit no efetivo no Sistema de Segurança Pública do Estado, tendo ultrapassado o percentual de 70% para a Polícia Civil e de 30% para a Polícia Militar, implicando dessa forma “na impossibilidade de que seja garantida a lei, a ordem e a segurança das Eleições 2018 exclusivamente com o exíguo efetivo existente no Estado”.

Na Polícia Civil, o déficit é de 3.697 policiais. Existem 1.453 cargos ocupados para 5.150 previstos. Sem realizar concurso público há 13 anos, o déficit de policiais militares é de 5.466 postos vagos. São 7,7 mil policiais militares na ativa, número inferior aos 13,4 mil estabelecidos por lei estadual.

O déficit torna-se mais evidente no período eleitoral. O comandante da PM no Rio Grande do Norte, coronel Osmar Oliveira,  ressaltou que o apoio das forças federais é importante para o pleito diante da pouca quantidade de policiais, principalmente em cidades do interior do estado. “Temos que fazer com que o efetivo se desdobre porque temos dificuldades, frisou o comandante da PM”.

A necessidade de reforço fica evidente em diversos relatos de juízes eleitorais ao TRE, aos quais a TRIBUNA DO NORTE teve acesso.

Leia Também...

0 comentários