sábado, 10 de março de 2018


FLÁVIO ROCHA VISITA OFICINA DE COSTURA QUE GERA 30 EMPREGOS NA ZONA RURAL DE PARELHAS

Tiago Rebolo/Agora Imagens

Empresário está em Parelhas, no Seridó potiguar, para lançar o movimento "Brasil 200"

Em passagem por Parelhas, no Seridó, para lançar o movimento “Brasil 200”, o empresário Flávio Rocha visitou na manhã deste sábado, 10, uma oficina de costura localizada na zona rural que integra o projeto Pró-Sertão (Programa de Interiorização da Indústria).

Na F e L Confecções, Rocha cumprimentou 30 costureiras da região que finalizam peças que são encaminhadas à Guararapes.

“Essa oficina mostra a capacidade transformadora deste projeto, e o poder público, infelizmente, está contra isso”, disse Flávio, em referência à ação do Ministério Público do Trabalho.

A F e L tem 2 anos e meio de atuação e gera empregos e só foi erguida graças ao Pró-Sertão. “Sou muito grato ao Pró-Sertão, pois assim conseguimos dar oportunidades de trabalho em uma região tão difícil”, destaca o empresário Luís Andrade, de 25 anos, administrador da oficina.

A costureira Liliana Azevedo conta que, se não fossem as facções têxteis, dificilmente haveria tantas oportunidades de emprego na região. “Aqui somos bem tratadas. Não tenho do que reclamar. Sou muito feliz por esse projeto, pois Há poucas oportunidades”, diz a empregada. “Acho um absurdo essa ação contra o projeto”, complementa.

A F e L produz cerca de 50 peças por dia.

Agora RN

ADQUIRA O SEU IMÓVEL COM CONDIÇÕES ESPECIAIS E OS MELHORES PLANOS DO MERCADO




Residencial Acácia, um empreendimento com 60% comercializado.

Localizado no Loteamento Serrote Branco I, com rede de água e energia.

Descrição do Imóvel

Garagem

Sala de Estar

Cozinha Americana

Dois Dormitórios

Bwc Social

Área de Serviço

Jardim

Valor do imóvel : R$ 120.000,00 (Financiamento Pelo Programa Minha Casa, Minha Vida).

Central de Vendas : 84 - 9.9613 - 3482 / 84 - 9.9905 - 0393.

NOVO LAUDO PSIQUIÁTRICO DIZ QUE ACUSADO DE TENTAR MATAR PROMOTORES É "SEMI IMPUTÁVEL"


O Diário Oficial do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte da sexta-feira, 10, traz a homologação de um novo laudo de insanidade mental de Guilherme Wanderley Lopes, ex-servidor do Ministério Público Estadual, acusado de tentar matar a tiros, em março de 2017, três promotores de Justiça. O documento pode provocar uma reviravolta no caso, pois a análise diz que o atirador “não tinha plena capacidade de entendimento e determinação” no momento do crime.

O laudo é assinado pelo psiquiatra forense João Batista de Souza, do Instituto Técnico de Polícia Científica do Rio Grande do Norte (ITEP). O documento argumenta que Guilherme Wanderley Lopes apresenta a condição clínica de semi-imputabilidade, quando o não se tem plena capacidade de entender o caráter ilícito do ato praticado.

O resultado da perícia, entregue à justiça no dia 05, pode configurar numa mudança no processo de Guilherme Wanderley. A partir de agora, a defesa do ex-servidor tem uma nova ‘arma’ processual, pois o laudo aponta que o acusado não tinha domínio de si quando tentou matar o procurador Rinaldo Reis e os promotores Wendell Bethoveen e Jovino Pereira.

“Concluo que à época dos fatos, o periciando apresentava transtorno mental tipo reação à experiência estressante, com desenvolvimento de ideação prevalente homicida e culminando com uma crise catatímida, acarretando grave distorção para o seu psiquismo como um todo, configurando uma perturbação de saúde mental no sentido da lei, fazendo com que não tivesse a plena capacidade de entendimento e determinação”, escreveu o psiquiatra João Batista de Souza.

Homologado, o documento se encontra na Segunda Vara Criminal de Natal. O caso está com o juiz José Armando Ponte Dias Júnior. “As conclusões serão devidamente apreciadas por este Juízo no momento oportuno da prolação da decisão que encerra a primeira fase do rito dos crimes da competência do Tribunal do Júri, quando formará sua convicção pela livre apreciação da prova produzida”, anotou o magistrado.

POLICIA PRENDE MEMBROS DO TRIBUNAL DO CRIME QUE PUNIRAM MULHERES COM TIROS NAS MÃOS


A polícia Civil de Caicó conseguiu elucidar delitos praticados pelo chamado, “Tribunal do crime”, que condenou duas mulheres em 2017, a serem punidas por que tinham praticado furtos na zona oeste de Caicó. Elas foram punidas com disparos de arma de fogo, nas mãos. O delegado Leonardo Germano, confirmou a prisão de 4 suspeitos. Um outro envolvido morreu vítima de um acidente automobilístico.
No dia 20 de novembro de 2017, Juliana Virgínia de Medeiros, também conhecida como Cega, foi capturada e levada para dentro de uma casa no Bairro Frei Damião. Lá, recebeu a punição que já havia sido imposta pelo auto comando da facção Sindicato do RN. Ela foi atingida por um disparo de arma de fogo em uma das mãos. Os executores foram: Maycon Mateus dos Santos (Têteu), que morreu em acidente automobilístico em 2017; Lucas Tadeu de farias (Lucas Bombado) e Lázaro Tadeu dos Santos Souza, ambos presos com mandados de prisão.
O delegado disse que Têteu, era um dos líderes da facção nas ruas. No dia de seu sepultamento, foram ouvidos disparos de arma de fogo na região do cemitério, na zona norte de Caicó.
No dia 21 de novembro de 2017, as ordens foram de capturar, Eliane Lopes da Silva. Ela foi levada para uma casa no Bairro João XXIII e lá também recebeu a punição, um tiro em uma das mãos. Nesse caso, quem agiu foi, Thiago Alves Dantas da Silva e Pedro Paulo do Nascimento, ambos detidos esta semana por força de mandado de prisão preventiva.
O delegado lembrou que eles praticaram crime de tortura e que facção tenta instalar um estado paralelo. “Esse caso era um verdadeiro desafio ao estado democrático de direito, na medida em que uma facção quer estabelecer um tribunal próprio e executar suas sanções e todas elas de absoluto atentado à dignidade humana”, destacou.