terça-feira, 8 de maio de 2018


Polícia diz a deputados ter dados suficientes para chegar a assassinos de Marielle



Foto: Reprodução

Após participar nesta terça-feira (8) de reunião entre policiais e parlamentares sobre a investigação do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL), o deputado federal Jean Wyllys (PSOL) afirmou que a polícia acredita já ter evidências suficientes para chegar aos assassinos. Às vésperas de completar dois meses, o crime ainda não foi elucidado e ninguém foi preso.


"Ele [o delegado Fábio Cardoso, chefe da Divisão de Homicídios do Rio] disse que já tem informações suficientes para cruzar os dados e chegar aos assassinos, então ele está otimista", disse Wyllys.


O deputado também relatou que o delegado teria dito que diversas linhas de investigação foram descartadas e que "o cerco está se fechando". O policial teria afirmado ainda que os matadores foram muito bem treinados e "não são pessoas quaisquer" e que "pessoas assim, para executar um crime desses, não são baratas".


Além de Wyllys, participaram da reunião com Cardoso na manhã de hoje na Divisão de Homicídios, os deputados Alessandro Molon e Glauber Braga (PSOL), todos da Comissão de Externa da Câmara dos Deputados, que vem acompanhando os desdobramentos do caso.


Os parlamentares haviam pedido a reunião para cobrar resultados e esclarecimentos sobre os trabalhos da polícia.

"Nós viemos pedir informações e cobrar o esclarecimento da execução de Marielle e de Anderson que daqui a pouco vai completar dois meses, portanto é inaceitável que esse caso continue sem solução e é isso que a gente veio dizer", afirmou Molon.

UOL8.mai.2018 - Deputados Jean Wyllys e Alessandro Molon visitam Divisão de Homicídios no Rio

Arma do crime

Wyllys também afirmou que a Polícia Civil do Rio de Janeiro desfez a impressão de que não sabia que tipo de arma foi usada no crime.

Desde o assassinato, em 14 de março, as informações que vieram a público não explicavam bem se a arma usada era uma pistola ou uma submetralhadora. Porém, nesta semana, a polícia afirmou que a vereadora e seu motorista Anderson Gomes foram mortos com tiros disparados de uma submetralhadora MP5 de calibre 9 milímetros.

A divulgação do fato teria dado margem a especulações de que a polícia só descobriu qual foi o tipo de arma usada no crime quase dois meses depois que ele ocorreu.

"O delegado disse que, em momento algum, a polícia passou a informação de que a arma utilizada no crime era uma pistola 9 milímetros. A informação única que foi passada é que a munição era [de calibre] 9 milímetros o que quer dizer que, segundo ele, a polícia já sabia que era uma submetralhadora", afirmou Wyllys.

Antes da reunião, o deputado Molon havia apontado como um possível erro da polícia o fato de o IML (Instituto Médico Legal) não ter feito exames de raio-x nos corpos das vítimas devido a um equipamento quebrado. O exame poderia em tese revelar a trajetória dos projéteis dentro dos corpos.

Wyllys afirmou, depois do encontro, que o delegado Cardoso teria dito que, no caso específico dos assassinatos da vereadora e do motorista, tal exame não seria necessário. Porém, ele classificou como gravíssimo o fato de o aparelho estar quebrado no momento do crime.

"Temos a impressão de que a polícia não quer passar as informações para não prejudicá-las. Queremos crer que a polícia não está passando informações para não prejudicar as investigações", disse Wyllys.

Morre a mãe de Xuxa aos 81 anos, no Rio de Janeiro



Alda Meneghel, mãe da apresentadora Xuxa, morreu na manhã desta terça-feira (8), aos 81 anos. A informação foi confirmada pela assessoria de Xuxa. Alda sofria de Parkinson, doença que afeta principalmente a coordenação motora.

Segundo a assessoria da apresentadora, ainda não há laudo médico com a causa da morte nem informações sobre velório. G1!



Garoto recupera a consciência depois de pais assinarem doação de seus órgãos




Trenton McKinley acordou e contrariou o diagnóstico dos médicos no Alabama (Foto: Jennifer Nicole Reindl/Reprodução/Facebook)

O menino Trenton McKinley, de 13 anos, ficou gravemente ferido e recebeu um duro diagnóstico dos médicos. Os pais tomaram a decisão de doar seus órgãos, mas ele contrariou todas as previsões e recuperou a consciência em um hospital do Alabama.

De acordo com a "People", o acidente ocorreu há cerca de dois meses, quando McKinley estava na casa de um amigo. Ele estava em um pequeno trailler puxado por um buggy infantil. O amigo parou repentinamente e o veículo tombou.

"Eu bati no concreto e o trailler caiu sobre a minha cabeça", disse McKinley após acordar à emissora de TV americana Fox 10. "Depois disso, não lembro de nada". O garoto sofreu um trauma cerebral grave – sete fraturas no crânio.

"Tudo o que vi foi uma maca com os pés para fora balançando. Ele ficou morto por cerca de 15 minutos. Quando o ressuscitaram, me disseram que ele nunca mais voltaria ao normal. Me disseram que os problemas de oxigenação seriam tão ruins para o cérebro que permaneceria como um vegetal se conseguisse sobreviver", disse a mãe de McKinley, Jennifer Reindl.

O menino permaneceu desacordado por todo o tempo, até que os pais assinaram a doação de seus órgãos após o duro aval dos médicos. Ele respirava com a ajuda de aparelhos e chegou a passar por três cirurgias, mas não havia reagido ainda.

"Um homem responsável pela doação de órgãos veio e conversou com a gente sobre a doação de cinco órgãos para o hospital infantil, o que salvaria cinco crianças. Nós dissemos que sim", disse a mãe Jennifer Reindl à CBS News.

Mas, no mesmo dia, para surpresa dos pais e de todo o hospital, o menino começou a mostrar novos sinais. "No dia seguinte, estava agendado o teste final de ondas cerebrais para comprovação total da morte, mas os sinais vitais aumentaram", contou Reindl.

"Não há outra explicação que não seja Deus. Não há outra. Inclusive os médicos disseram isso", completou Reindl.

globo.com

VENDE-SE DOIS TERRENOS NO SERROTE BRANCO I




Vende-se dois terrenos no Serrote Branco I com as dimensões de 10x20m (cada terreno).



Valor promocional,  R$ 30 mil (cada terreno). Interessados podem entrar em contato com os seguintes números :  84 - 9.9613 - 3482 / 84 - 9.9905 - 0393.