terça-feira, 14 de agosto de 2018


Dia 18 é o dia D da campanha de vacinação contra a poliomielite e sarampo


O sábado, dia 18 de agosto, será o Dia D de mobilização para a Campanha Nacional de Vacinação contra a poliomielite e contra o sarampo. A campanha teve início dia 6 e segue até 31 de agosto, realizada pelo Ministério da Saúde em parceria com as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde. Devem ser vacinadas crianças de um ano até quatro anos 11 meses e 29 dias.

A campanha tem como objetivo manter elevada cobertura vacinal contra a poliomielite nos municípios, para evitar a reintrodução do vírus selvagem da poliomielite, bem como vacinar os menores de cinco anos de idade contra o sarampo e a rubéola, para manter o estado de eliminação dessas doenças.

“Ressaltamos que no próximo sábado, dia 18, acontecerá o Dia D de divulgação e mobilização Nacional para a Campanha de Vacinação contra a poliomielite e Sarampo. Orientamos que todos os pais e responsáveis, principalmente aqueles que não podem levar seus filhos na semana para ser vacinados, não percam a oportunidade de levá-los e com isso garantir a proteção destes contra essas doenças e evitar a reintrodução das mesmas em nosso Estado”, explica a coordenadora do Programa Estadual de Imunização da Sesap, Katiúcia Roseli.

As campanhas contra poliomielite foram iniciadas em 1980, estando o país livre da doença desde 1990. Com relação às campanhas contra o sarampo, estas são realizadas desde 1995, com a vacinação de população alvo específica que, na grande maioria das vezes, abrange as crianças de um a quatro anos de idade.

Meta

O público-alvo da campanha corresponde a 11.213.278 crianças no Brasil e 188.861 no Estado do Rio Grande do Norte. A meta mínima a ser alcançada corresponde a 95% de cobertura vacinal contra poliomielite e sarampo. Após a primeira semana de Campanha o Estado vacinou apenas 8,2% do público alvo para a Poliomielite e 8% para o Sarampo, mostrando que um número muito pequeno de crianças foram levadas até as Unidades Básicas de Saúde até a presente data.

PREFEITO DE CAICÓ RECEBEU R$ 70 MIL EM PROPINA POR CONTRATOS NA ILUMINAÇÃO PÚBLICA, FIZ MP

Preso preventivamente nesta terça-feira (14) e afastado do cargo de prefeito de Caicó, Robson Araújo (PSDB) chegou a receber R$ 70 mil reais em propina por meio de um esquema fraudulento no setor de iluminação pública do município, segundo o Ministério Público do Rio Grande do Norte.

Ainda de acordo com os promotores, o envolvimento do chefe do poder Executivo com o esquema fraudulento começou antes mesmo de ele ser empossado, em novembro de 2016.
A investigação sobre a participação do prefeito foi iniciada após um acordo de delação premiada ter sido firmado entre os empresários Allan Emannuel Ferreira da Rocha e Felipe Gonçalves de Castro, presos na operação Cidade Luz, com o MP.

Nas delações, Allan Emannuel e Felipe Gonçalves admitiram que negociaram com Robson Batata, como o prefeito é conhecido, a continuidade da prestação dos serviços de manutenção da iluminação pública mediante pagamento de propina. Eles batizaram de ‘lâmpada’ cada pagamento de R$ 1 mil que era efetuado. Entre as provas, os empresários apresentaram aos investigadores trocas de mensagens com o chefe do poder executivo.

Vice Marcos do Manhoso deve ser empossado ainda hoje como prefeito de Caicó



O vice-prefeito Marcos do Manhoso (PP) ainda não foi informado oficialmente da decisão (Foto: Reprodução)

Com a prisão e afastamento do prefeito Batata Araújo (PSDB), durante a Operação Tubérculo desencadeada pelo Ministério Público na manhã desta terça feira (14), a cidade de Caicó deve ser administrada nas próximas horas pelo vice-prefeito Marcos do Manhoso (PP). O vice ainda não foi informado oficialmente da decisão.



Operação prende prefeito e vereador de Caicó



Uma operação do Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) prendeu nesta terça-feira (14) o prefeito de Caicó Robson Batata Araújo e o vereador Lobão Filho da cidade e ainda um lobista suspeitos de corrupção ativa e passiva, associação criminosa, tráfico de influência, lavagem de dinheiro e dispensa indevida de licitação.

A operação Tubérculo cumpriu três mandados de prisão, e outros seis mandados de busca e apreensão na cidade seridoense e em Natal. Além de presos preventivamente, o prefeito Robson de Araújo e o vereador Raimundo Inácio Filho foram afastados dos cargos. O lobista Edvaldo Pessoa de Farias teve prisão temporária decretada.

A operação Tubérculo é desdobramento das operações Cidade Luz e Blackout. Ao todo, 12 promotores de Justiça, 22 servidores do MPRN e 28 policiais militares participaram da operação Tubérculo. Os gabinetes do prefeito e do vereador foram alvos dos mandados de busca e apreensão.

PERDI A CHAVE DO CARRO, E AGORA ?



"Tenha sempre uma ou duas chaves reservas do seu veiculo, assim você evita dor de cabeça e principalmente dor no BOLSO!"

Em Caicó você tem a Caicó Auto Chaves.

Chaves codificadas para automóveis nacionais e importados.

Observação  !

Consertamos módulos de Air Bag e ABS !!
Consertamos buzina de toyota hilux e corola em geral !!

Contatos - 84 - 9. 9668-8485

WhatsApp - 84 - 9.9945-5859

Conta de luz só irá baixar com revisão de regras, diz diretor da Aneel

A alta no preço das contas de luz só vai ser solucionada se houver revisão das regras sobre encargos setoriais, subsídios do setor elétrico embutidos na conta de luz, sobre o risco hidrológico e diminuição nos tributos cobrados na distribuição de energia, defendeu hoje (13) o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Romeu Rufino.

As tarifas de energia subiram em média cerca de 15% este ano, acima da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) entre janeiro e julho ficou em 2,94%. De acordo com Rufino, que amanhã passa o comando da agência reguladora para o diretor André Pepitone, esse custo tem que ser “revisitado”.

“Esse é um ponto que tenho manifestado permanentemente a minha preocupação. Alguns itens que compõem a tarifa têm que ser discutidos. O nível de tributação incidente sobre energia elétrica é exagerado e isso precisa ser repensado, pois em alguns casos os valores podem chegar a quase 40% do custo, disse à Agência Brasil.

A revisão do risco hidrológico é outro ponto defendido por Rufino como necessário para propiciar a redução nas contas. O risco hidrológico, ou GSF, na sigla em inglês, é apontado como uma das principais variáveis que influenciam na cor da bandeira tarifária, ao lado do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD), que é o preço da energia elétrica no mercado de curto prazo.