Usuária do Whatsapp tem conta clonada em nova modalidade de crime virtual


Depois do falso sequestro, um novo método de crime que pode se tornar comum é a clonagem da conta de Whatsapp, que dispensa a confirmação de dados e é bem articulada. Criminosos se fizeram passar por funcionários da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) executando uma atualização de segurança de dados no contato com Eliana Werneck, auxiliar da Justiça. Ela desconfiou se tratar de um golpe logo no início, mas, como não lhe foi pedido nenhuma informação pessoal, manteve a conversa com os bandidos. Crimes virtuais como este vêm crescendo, alerta especialista.

— A fala era muito boa, citava segurança virtual e dados criptografados. Eles só me perguntaram se era eu quem usava o aparelho e eu confirmei. O discurso era bom, com protocolo e dizendo que a ligação estava sendo gravada — explica Eliana.

Em seguida, ela foi alertada que receberia um código de segurança por SMS e que deveria informá-lo para validar a atualização. A sequência numérica era o que os criminosos precisavam para permitir a clonagem da conta dela no aparelho deles. Por fim, Eliana foi orientada a desligar o celular para que as supostas atualizações fossem feitas.

Ao encerrar o telefonema, ela desconfiou ter sofrido uma fraude de imediato. Ao tentar acessar o Whatsapp, uma tela dizia que o aplicativo estava sendo usado em outro aparelho. Nos cerca de cinco minutos que demorou para alertar à mãe que havia sido enganada, os criminosos já tinham feito contato se passando por ela. No discurso enviado a cerca de dez amigos, a mensagem supostamente enviada por Eliana dizia que sua conta bancária e os cartões de créditos estavam bloqueados. Ela conta que o golpe só não foi além porque ela agiu rápido e avisou aos amigos e familiares:

— Como eu desconfiei logo e publiquei nas redes sociais, ninguém chegou a ser vítima da fraude, mas poderia ter sido. Uma vez que meus contatos não responderam às mensagens, eles (os criminosos) não insistiram na conversa e nem mesmo passaram os dados bancários para os possíveis depósitos a nenhum deles.

A especialista em Direito Digital Cristina Sleiman defende que essa engenharia social — termo usado para esse tipo de crimes virtuais — está se tornando comum, como o falso sequestro em que os criminosos se passam pela vítima e extorquem a família. Ela explica que é necessária uma maior educação digital para evitar esse tipo de fraude:

— É importante que haja mais informação digital para todas as idades, desde a escola, já que estamos vivendo uma nova cultura. As pessoas precisam saber reconhecer esse tipo de fraudes para não se tornarem outras vítimas, porque a tecnologia é maravilhosa, mas há muitas pessoas mal-intencionadas que se aproveitam disso.

Em resposta, o Whatsapp informou que caso uma conta seja cadastrada em outros dispositivos, a ativação só é concluída depois da verificação de duas etapas, em que um código de seis dígitos é criado no aparelho de origem e inserido no novo, caso contrário, a ativação não é concluída. A plataforma reforça que os códigos de segurança são pessoais e não devem ser fornecidos para terceiros. Em casos de dúvidas, os usuários podem falar com o suporte pelo e-mail support@whatsapp.com, ou pelo próprio aplicativo, clicando em Configurações > Ajuda > Fale conosco. A comunicação pode ser feita em português e é importante repassar o máximo de detalhes.

O Especialista em Segurança da Informação, Leandro De Bom, corrobora que o processo de segurança do aplicativo é efetivo, assumindo que só o dono do celular tem acesso ao aparelho. Desta forma, ele defende a criação de bloqueios que impeçam o acesso ao aparelho como um todo:

— É necessário se blindar, criando senhas, porque caso o celular caia em mão errada, todos as contas abertas no aparelho, como as de banco e e-mails, ficam protegidas.

Procurada, a Anatel informou que desconhece e condena o tipo de fraude. A agência reforça que não realiza ligações para consumidores solicitando seus dados pessoais. Por fim, a Anatel recomenda ao consumidor que nunca forneça dados pessoais como CPF, data de nascimento ou endereço, senhas ou PINs, a não ser que tenha certeza da origem da chamada ou da mensagem. E que, em caso de dúvida, entre contato com a Anatel pela Central de Atendimento Telefônico gratuito, no número 1331 – ou 1332, para deficientes auditivos; pelo aplicativo “Anatel Consumidor” ou ainda com a própria operadora telefônica.

O Globo

Grupo Guararapes confirma permanência do Polo Industrial de Extremoz



Sem querer comentar o teor da proposta, Jairo Amorim explicou que convites como esses do Estado do Maranhão sempre surgem. Ele deixou claro que não foi a primeira e nem será a última vez que a empresa receberá proposta para se instalar em outro local, porém, confirmou que o grupo empresarial está satisfeito no Rio Grande do Norte, seu lugar de origem. Só ano passado, a Guararapes investiu R$ 34,6 milhões em suas fábricas no Estado, com foco especial na unidade localizada no Polo Industrial de Extremoz.

Em todo o Estado, a empresa é responsável pela geração de mais de 20 mil empregos diretos. De acordo com Jairo Amorim, o tamanho da Guararapes e sua importância no contexto econômico nacional permite que sempre haja proposta para novos investimentos em outras localidades, regiões e até mesmo no exterior. Entretanto, Jairo Amorim reiterou que a empresa não abandonará suas origens.

Considerada um orgulho para os potiguares, Jairo Amorim avalia que a empresa vem sofrendo um rigor acima do normal. Contudo, ele acredita que todos os imbróglios judiciais serão resolvidos de maneira racional. Essa semana, por exemplo, houve uma audiência de conciliação em que a empresa e a Justiça. “Estamos nos entendendo e vai dar tudo certo porque queremos continuar no Estado cada vez mais presente. Queremos apenas que haja o mesmo critério de inspeção para todas as empresas”, reforçou Jairo Amorim.

Assaltante morto durante sequestro de adolescente respondia em liberdade por morte de PM de Santa Catarina

(Foto: Polícia Civil/Divulgação)

O Instituto Técnico-Científico de Perícia do Rio Grande do Norte (Itep-RN) identificou o assaltante morto em confronto com a Polícia Militar na tarde dessa quarta-feira (15) durante o sequestro relâmpago que também vitimou o filho do ex-prefeito de Lajes Benes Leocádio. O assaltante que tombou morto no confronto na Zona Norte de Natal. Trata-se de Mateus da Silva Régis, de 17 anos, um dos cinco indiciados pelo latrocínio (roubo seguido de morte) da soldado catarinense Caroline Pletsch, no último dia 26 de março deste ano, na Zona Norte de Natal.

Operação termina com 5 presos e drogas apreendidas na zona oeste de Caicó


Por volta 5:30 da manhã desta quinta-feira (16), equipes das Polícias Civil e Militar deram cumprimento a cinco mandados de busca e apreensão nos bairros João Paulo II, João XXIII e Paulo VI. Cinco pessoas foram presas e foram apreendidas várias pedras de crack, porções de maconha e cocaína, além de vasto conjunto probatório caracterizando o tráfico de drogas e possível envolvimento dos acusados com a facção criminosa, Sindicato do RN.

Os 5 presos foram ouvidos e nas próximas horas deverão ser encaminhados para o Presídio Pereirão na zona norte de Caicó.






URGENTE:HOMICÍDIO NA ZONA NORTE DE CAICÓ

Por volta 08:45 desta quinta-feira (16), foi registrado um crime de homicídio em frente ao cartel do corpo de Bombeiros na zona norte de Caicó. Um homem conhecido por "Neguinho dos Pastéis" foi morto a tiros.

A vítima seguia de bicicleta quando foi surpreendido por dois homens armados que dispararam vários disparos contra a vítima que tombou morto no local.

Até o momento não se tem informações dos acusados do crime.





Garçom caicoense morre vítima de infarto na madrugada desta quinta em Caicó

O jovem caicoense, Fábio Ramalho, mais conhecido por "gordete", faleceu por volta 01:30 desta madrugada, vítima de infarto. Gordete estava em sua residência na zona leste de Caicó quando passou mal e com poucos minutos o mesmo veio a óbito.

O corpo de  Fábio Ramalho será velado no centro de velório do sempre no centro de Caicó e o sepultamento as 16:00 horas no cemitério Campo Jorge na zona norte de Caicó.

Ministério libera R$ 80 milhões para investimentos em segurança no RN


O coordenador da bancada federal do Rio Grande do Norte, deputado federal Felipe Maia (DEM), esteve com o Ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, para solicitar a liberação de repasse de R$ 80 milhões para investimentos na área na segurança pública do Rio Grande do Norte. De acordo com o parlamentar, os recursos financeiros já estão assegurados para o repasse, pelo Governo Federal, mas precisam ser solicitados pelo Governo do RN, via Sistema de Convênios (Siconv) para incluir as demandas que englobam esse valor.

“O ministro informou que o recurso já está disponível, porém não pode ser liberado antes do período eleitoral. Mas, a solicitação via Siconv já deve ser feita para o repasse seja feito logo após as eleições, ou seja, até o final do ano o pleito será atendido”, comemorou o parlamentar.

No encontro, o parlamentar entregou um ofício do Governo do Rio Grande do Norte, com o Plano de Trabalho elaborado pela Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social, que pontua as principais demandas para implantação de políticas públicas de segurança e equipamentos necessários para a melhora do trabalho executado pelos profissionais da área.

“O orçamento solicitado será para viabilizar parte dos projetos, ações e aquisição de equipamentos que foram traçados pela Secretaria. Como coordenador da bancada potiguar fiz questão de entregar ao Ministro esse documento que elenca o plano estratégico para a segurança do nosso estado. Fiquei muito feliz em saber que os recursos serão liberados em breve. A bancada ficará atenta a esse repasse, pois sabemos que esta é uma demanda urgente para o RN”, afirmou Felipe Maia.