domingo, 4 de novembro de 2018


Criança de um ano morre após ser baleada na cabeça em Mossoró

Uma criança de um ano e seus pais foram baleados na noite deste domingo (04) no bairro Malvinas na região Leste de Mossoró. Os três foram socorridos para a Unidade de Pronto Atendimento – UPA, do Alto de São Manoel, mas a criança acabou não resistiu à gravidade dos ferimentos.

Segundo informações, a família estava na praça do conjunto quando elementos armados passaram pelo local de motocicleta efetuando vários disparos. Os tiros teriam atingindo o três, porém, Anthony Caleb Bezerra da Silva, de pouco mais de um ano, foi alvejado na cabeça e acabou morrendo na UPA.

O pai da criança, Iranilson Bezerra da Silva, 26, e a esposa Debora Maria Bezerra de Souza, de 20 anos, foram socorridos para a UPA do São Manoel e posteriormente transferidos para Hospital Regional Tarcísio Maia - HRTM.

Viaturas da Polícia Militar fazem diligências pela região na tentativa de localizar os suspeitos pelo ato criminoso.

 Ismael Sousa / PLANTÃO CAICÓ

Governador eleito do RJ reafirma: “Bandido com arma na mão tem que morrer”

Wilson Witzel, governador eleito do Rio, disse em entrevista a O Globo, que uma de suas metas para a segurança pública é reduzir a taxa de homicídios por 100 mil habitantes abaixo de dois dígitos.

O ex-juiz federal e ex-fuzileiro das Forças Armadas reafirmou que traficantes com fuzil na mão devem ser abatidos por policiais. “Bandido com arma na mão tem que morrer”, reafirmou.

Witzel já vinha defendendo o abate de criminosos portando armas, principalmente fuzis, desde a campanha

Fusão entre Boeing e Embraer continua, diz Bolsonaro


O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL) afirmou  que dará permissão para a continuidade da fusão entre a Boeing e a Embraer.

"Fusão da Embraer com a Boeing continua. Sem problema nenhum", afirmou Bolsonaro a jornalistas durante uma coletiva de imprensa no Rio.

Jato comercial E190 da Embraer
ANTÔNIO MILENA/ABR
Vender Embraer para a Boeing fere soberania nacional, diz sindicalista
Durante a campanha eleitoral o presidente eleito já havia dito que daria apoio para a continuidade do processo de fusão.

A Embraer não é uma das mais importantes empresas brasileiras e uma das maiores do mundo no setor de aviação civil. A empresa também mantém projetos militares, como o avião KC-390. A possível fusão excluiria os projetos de defesa.

O empresa não é estatal e o governo é acionista minoritário no empreendimento. No entanto, mesmo não sendo dono das maior parte das ações o governo possui a chamada "golden share", o que lhe assegura direito de voto nas decisões da companhia.

Bolsonaro também afirmou na coletiva que a Petrobras deveria fazer parcerias e vender algumas de suas áreas.