No RN, dois idosos são vitimas de violência por dia

10:09:00

A possibilidade de sofrer algum tipo de violência nas ruas é uma preocupação constante de grande parte dos brasileiros. Para alguns segmentos da população, no entanto, é dentro de casa que, muitas vezes, se encontram seus principais abusadores. Das mais de 37 mil denúncias de violência contra idosos feitas ao Disque 100 em 2018, 52% tiveram como agressor algum familiar da vítima. Para especialistas, a situação revela as barreiras que ainda existem para as denúncias, que não representam a totalidade da demanda de órgãos como o Ministério Público, nem a totalidade dos casos, que em grande parte sequer chegam a denunciar.

No ano de 2018, 1.638 pessoas foram suspeitas de ter cometido algum tipo de violência contra idosos no Rio Grande do Norte. Dessas, 57,5% eram familiares da vítima. O número de suspeitos supera o número total de denúncias feitas ao Disque 100, que foi de 823 em 2018. De acordo com o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, ao qual o canal está vinculado, isso acontece porque uma única denúncia pode ter mais de um suspeito.

“Nós percebemos essa particularidade da violação de direitos humanos por parte da família tanto com idosos, como com pessoas com deficiência e crianças e adolescentes”, afirma Juliana Silva, pesquisadora que atua no Centro de Referência em Direitos Humanos Marcos Dionísio (CRDH), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.

Proporcionalmente à população, os números do Disque 100 colocam o RN em 2º lugar no ranking nacional em denúncias de violência contra a pessoa idosa, posição que vem sendo ocupada desde 2016 pelo Estado – antes, ele estava na 3ª posição.

Se considerarmos apenas os números do relatório, isso significa que, em média, dois idosos foram vítimas de violência por dia no Estado no ano de 2018, a maior parte delas cometida em suas próprias casas. O número de denúncias teve um aumento de 4% em relação ao ano anterior no Estado, mas a última grande variação que foi apresentada foi dos anos de 2011 para 2012, quando o Estado saltou de 324 para 722. Nacionalmente, o crescimento no número de denúncias foi de 13%.

Tribuna do Norte

Leia Também...

0 comentários