Investigadas em esquema de laranjas do PSL dizem que verba delas ajudou Bolsonaro

10:06:00


As três principais candidatas do PSL suspeitas de serem laranjas em Pernambuco afirmaram, em depoimentos à Polícia Federal, que as gráficas que aparecem nas prestações de contas realizaram trabalhos encomendados para impulsionar a candidatura do presidente Jair Bolsonaro, também do PSL. De acordo com a reportagem da Folha de São Paulo, as três negaram terem participado de irregularidades.
A reportagem conta ainda que uma das investigadas disse que todos os dias um contêiner com material gráfico saía do comitê do partido para ser distribuído em todo o estado. Ela ainda alegou que todos os candidatos do partido produziram material para Bolsonaro.
De acordo com a publicação, um ex-dirigente do PSL de Pernambuco tido como interlocutor entre o partido na esfera estadual e a campanha nacional de Bolsonaro disse em depoimento que, quando havia necessidade de produção de material de campanha, seja para Bolsonaro, seja para candidatos a deputados, fazia o pedido diretamente a assessores de Luciano Bivar, deputado federal e presidente do PSL.
As três candidatas são investigadas por terem recebido R$ 781,6 mil em dinheiro público do PSL apesar de não haver sinais de que tenham feito campanha efetiva, caso revelado pela Folha em fevereiro.

Leia Também...

0 comentários