sexta-feira, 22 de fevereiro de 2019


Meteorologistas preveem chuvas dentro da média entre março e maio no RN

As chuvas no semiárido potiguar devem ficar dentro da média nos meses de março, abril e maio de 2019, segundo previsão de meteorologistas do Nordeste e do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC/Inpe) que estiveram reunidos em Natal nesta quinta-feira, 21. No Rio Grande do Norte, o semiárido é composto pelas regiões Central, Oeste e boa parte do Agreste.

Se a previsão for confirmada, deverá chover mais este ano do que no ano passado. Em 2018, choveu no RN apenas 7% abaixo da média esperada, o que indicou que o Estado se recupera de seis anos de seca severa (chuvas bem abaixo da média).

A conclusão dos meteorologistas se deu após análise dos campos atmosféricos e oceânicos de grande escala (vento em superfície e em altitude, pressão ao nível do mar e temperatura da superfície do mar, entre outros fatores) e de relatórios de vários institutos de meteorologia do Brasil, como Inmet, Funceme e o próprio CPTEC/Inpe.

Em todo o Rio Grande do Norte, a média de chuva prevista para o trimestre é 433 mm acumulados. A região mais chuvosa deve ser a Leste, onde está a capital, Natal. A média esperada nessa área é de 533,8 mm. No Agreste, deve chover abaixo da média: 343,2 mm acumulados.

De acordo com o meteorologista Gilmar Bristot, da Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN (Emparn), o Fenômeno El Niño segue atuando no Oceano Pacífico Equatorial com intensidade fraca, mas ocupando uma grande área na superfície. “A permanência dessa condição vem ocorrendo de acordo com os resultados dos modelos de previsão de anomalia de TSM, e projetam que essa condição permanecerá nos próximos meses”, afirmou Bistrot, que participou da reunião climática.

Os meteorologistas também observaram que o Oceano Atlântico Sul deve se manter mais aquecido que a parte norte. Essa condição termodinâmica no comportamento do Atlântico é necessária para que ocorra o deslocamento e a manutenção da Zona de Convergência Intertropical, principal causador das chuvas no Norte e no Nordeste do País entre fevereiro e maio.

Em janeiro, a reunião climática – que aconteceu em Fortaleza (CE) – concluiu que choveria acima da média entre fevereiro e abril. E, segundo a Emparn, vem chovendo bem desde então. Até esta sexta-feira, 22, já são 105 municípios potiguares com volume acumulado de chuvas de normal a acima do normal, o que para os meteorologistas já caracteriza o início do período chuvoso no sertão potiguar.

Participaram da elaboração desse prognóstico para o período chuvoso no semiárido nordestino representantes da Emparn e da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac); da Agência Executiva de Águas do Estado da Paraíba (Aesa); do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia (Inema); do CPTEC/Inpe; e da Universidade Federal Rural do Semiárido (Ufersa).

Agora RN

Privatização dos aeroportos de João Pessoa e Campina pode inviabilizar voos de grandes aeronaves


O Senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB-PB) está alertando para uma preocupação sobre a decisão do Governo Federal de privatizar os aeroportos de João Pessoa e Campina Grande, cujo leilão já foi anunciado e vai ocorrer no dia 15 de março, na Bovespa. O alerta foi feito durante discurso na tribuna do Senado Federal.

Segundo os dados apresentados pelo governo para a 5ª Rodada de Concessões de Aeroportos, o Bloco Nordeste inclui os aeroportos de João Pessoa, Campina Grande, Recife, Aracajú, Maceió e Juazeiro do Norte. O aeroporto de João Pessoa movimenta 1,4 milhão de passageiros por ano, enquanto o de Campina Grande movimenta 150 mil. Porém, com as concessões esses números poderão cair drasticamente, afirma o Senador.

É que a concessionária vencedora terá que cumprir algumas obrigações, que preveem adaptações técnicas. Dentre elas, a mudança nos tipos de aeronaves que podem operar nos dois aeródromos paraibanos. Atualmente, segundo cadastro da Agência Nacional de Aviação Civil – ANAC, os aeroportos de João Pessoa e Campina Grande são homologados para garantir operações com aeronaves 4C, operadas pelas principais companhias aéreas brasileiras (Latam e Avianca operam com o A319, A320 e A321; enquanto que a Gol opera com o Boeing 737-800).

Contudo, alerta Veneziano, o novo operador aeroportuário terá obrigação de adequar os aeroportos para receber aeronaves da categoria 3C (categoria menor que a atual). “Assim, nestes aeroportos, as grandes companhias aéreas brasileiras não terão o conforto necessário para operar com suas aeronaves, da categoria maior, a 4C”.

Retirada do ILS de Campina Grande – Outro alerta feito por Veneziano trata do ILS, equipamento conseguido pelo então Senador Vital do Rêgo Filho (hoje Ministro do Tribunal de Contas da União – TCU). O ILS, equipamento de pouso por instrumento de precisão, foi instalado no aeroporto de Campina Grande para auxiliar manobras de aeronaves em condições adversas, mas nunca chegou a operar em sua plenitude, devido a adequações na pista e na área de escape que nunca foram feitas.

O relato técnico a que Veneziano teve acesso informa que poucos aeroportos no Brasil dispõem de ILS e que o de Campina Grande nunca funcionou de forma plena por conta da “proximidade da Terminal de Passageiros da Pista de Pouso e Decolagem e do Pátio de Aeronaves, ferindo a ‘rampa de aproximação’ do equipamento”.

“Com a obrigatoriedade do operador aeroportuário de adequar todo o sistema de pista e pátio para garantir apenas a operação por instrumentos não-precisão, o aeroporto de Campina Grande corre o risco, mais uma vez, de não garantir o funcionamento pleno deste importante equipamento, conseguido pelo então Senador Vital do Rêgo”, afirmou.

Outro detalhe levantado por Veneziano é que esta será a primeira vez que haverá concessões em bloco, cabendo ao vencedor do leilão administrar todos os aeroportos do respectivo bloco. No caso do Bloco Nordeste, o aeroporto de Recife, com uma movimentação de 7,8 milhões de passageiros ao ano, será o grande atrativo, o que, fatalmente, desestimulará o vencedor de investir nos aeroportos de João Pessoa e Campina Grande. “Será que o concessionário não irá desestimular as operações nos aeroportos menores, para fomentar a operação no seu aeroporto maior?”, questionou o parlamentar.

Rota da cocaína ‘Natal-Holanda’ tem nova apreensão e volume passa de 10 toneladas em 4 meses, diz Receita Federal

Por Anderson Barbosa, G1 RN

A polícia holandesa apreendeu nesta semana 2,4 toneladas de cocaína no Porto de Roterdã. Esta foi a quarta vez, desde outubro do ano passado, que drogas são encontradas escondidas dentro de contêineres, em meio a carregamentos de frutas que embarcaram no Porto de Natal, o que totaliza quase 7 toneladas do pó.

Somando este total às 3,3 toneladas de cocaína descobertas no terminal marítimo potiguar na semana passada, o volume passa de 10 toneladas em menos de 4 meses. As informações foram confirmadas ao G1 pelo setor de vigilância e repressão da Receita Federal.

A rota marítima internacional de drogas Natal-Holanda foi revelada pela Polícia Federal também na semana passada, justamente com a descoberta de drogas no Porto de Natal. De acordo com a Companhia Docas do Rio Grande do Norte (CODERN), estas foram as primeiras apreensões de entorpecentes da história do terminal, aberto desde 1932.

Por causa das apreensões ocorridas em Natal, as exportações de mercadorias e produtos para a Europa estão suspensas. Segundo o Comitê Executivo de Fruticultura do Rio Grande do Norte, a única empresa transportadora que atua no terminal com rota de exportação de frutas potiguares para a Europa, a CMA-CGM, tem uma remessa de 400 contêineres prevista para março, mas o envio deixará de ser feito pelo Porto de Natal e passará para o Porto do Mucuripe, em Fortaleza, no Ceará. Segundo a própria Codern, cerca de 43 mil toneladas de frutas são embarcadas, por mês, no Porto de Natal. O G1 não conseguiu falar com a empresa.

Já no Porto de Roterdã, ainda de acordo com a Receita Federal, a primeira apreensão de drogas que se tem notícia – feita em meio a um carregamento de frutas que partiu de Natal – aconteceu em outubro de 2018. Na ocasião, foram encontrados 2,3 toneladas de cocaína. Depois, em janeiro, foram descobertos mais 408 quilos. E ainda houve, no dia 13 deste mês, a apreensão de 1.850 quilos.

Segundo a Polícia Federal, o tráfico marítimo entre Natal e a Europa vêm ocorrendo sempre de forma semelhante. Primeiro, a cocaína é embalada em tabletes. Depois, tudo é escondido em meio a carregamentos de frutas que são exportadas dentro de contêineres, que por sua vez atravessam o Oceano Atlântico em navios cargueiros.

Além de desembarcarem em Roterdã, muitas vezes os contêineres que saem de Natal também são descarregados no Porto de Antuérpia, na Bélgica. Neste último, apesar da apreensão de 50 toneladas de entorpecentes somente em 2018, ainda não há registro de drogas que teriam partido da capital potiguar.

Para ler matéria completa CLIQUE AQUI.

Rota do tráfico internacional de cocaína tem o Porto de Natal como ponto de embarque — Foto: Rodrigo Cunha/G1

LK MULTIMARCAS

Short tactel PoloVip
tamanhos P ao XG

Valor R$ 45,00
no cartão

ou R$ 39,90
a vista

LK MULTIMARCAS
9.9927-8030

Força Nacional vem para Mossoró


Nesta sexta (22), ficou determinado pelo Ministro da Justiça, Sérgio Moro, o envio da Força Nacional para reforçar a segurança no entorno da Penitenciária Federal de Mossoró. Os agentes de segurança chegarão ao estado no próximo dia 26. Os agentes ficarão no Rio Grande do Norte por 180 dias. O número de pessoas irá trabalhar na operação não foi informado.

A chegada da Força Nacional ocorre em decorrência de uma manifestação do Diretor-Geral do Departamento Penitenciário Nacional. O órgão argumentou sobre a necessidade de ações da Força Nacional de Segurança Pública em apoio ao Sistema Penitenciário Federal.

MPT pede bloqueio de bens do Flamengo do Rio



O Ministério Público do Trabalho (MPT) pediu hoje (21) o bloqueio e penhora dos bens do Clube de Regatas do Flamengo. A medida, segundo nota do MPT, é para “garantir o pagamento de indenizações trabalhistas, a serem apuradas em ação principal futuramente ajuizada, de todos os envolvidos no incêndio que vitimou fatalmente dez jovens”. A ação está na 13ª Vara.

Ontem (20), o Ministério Público e a Defensoria Pública do Rio de Janeiro pediram o bloqueio de R$ 57,5 milhões das contas clube e o fechamento imediato do Centro de Treinamento George Helal, o Ninho do Urubu, onde no dia 8 ocorreu o incêndio no alojamento dos atletas de base, que matou dez pessoas e feriu três.

Combustível de qualidade você vai encontrar nos postos santana e Boa Passagem

Aqui você encontra um preço super promocional em gasolina comum e aditivada!

Posto Santana I fica na Av. Coronel Martiniano no Centro de Caicó. Funcionamos 24 horas.

O Posto Boa Passagem fica na Av. Rui Mariz no Bairro Boa Passagem. Funcionamos 24 horas.

O Posto Boa Passagem é o único posto de Caicó que vende gás veicular.

Contatos : 84 - 3417 - 2652