sexta-feira, 22 de março de 2019


Cantor morre ao atirar em si mesmo por engano gravando clipe com arma


Carter, que era considerado uma estrela em ascensão no country, morreu aos 35 anos durante gravação em Houston, nos Estados Unidos.
O cantor de country Justin Carter morreu após disparar acidentalmente contra si mesmo no sábado (16).

Em entrevista à emissora de TV americana Fox News, a mãe de Carter, Cindy McClellan, disse que ele estava gravando um novo clipe em Houston, no Texas, quando tirou uma arma de seu bolso e “atirou em seu olho”. A arma estava sendo usada no vídeo.

Carter, que era considerado uma estrela em ascensão no country, morreu aos 35 anos. Um dos empresários disse que Justin “tinha muito potencial para ser um próximo Garth Brooks”, citando a maior estrela do estilo.

“Por favor, mantenha a família de Justin em suas orações e dê privacidade neste momento difícil. Justin não está mais conosco, ele foi embora. Sentiremos saudade de você, que sempre foi cheio de alegria, riso e amado por tantas pessoas em sua vida”, disse a família nas redes sociais do cantor.

PF deflagra operação na Paraíba, prende dono de shopping e cumpre mandados no RN

A terceira fase da Operação Xeque-Mate foi deflagrada na manhã desta sexta-feira (22), na Paraíba. Um mandado de prisão preventiva está sendo cumprido contra o empresário Roberto Santiago, no bairro do Bessa, em João Pessoa, acusado de participar do esquema de corrupção e fraudes licitatórias no município de Cabedelo, Região Metropolitana de João Pessoa.

Outros 11 mandados de busca e apreensão nas residências dos investigados também estão sendo cumpridos pela Polícia Federal e pelo Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) em residências dos investigados, na Paraíba e no Rio Grande do Norte. Os mandados foram expedidas pela 1ª Vara Criminal da Justiça Estadual de Cabedelo. Também foram sequestrados 20 imóveis dos investigados, avaliados em mais de R$ 6 milhões.

O objetivo da terceira fase da operação é desarticular o esquema de corrupção e fraudes licitatórias referentes aos contratos de manejo de coleta de lixo da Prefeitura de Cabedelo. Os contratos investigados superam a quantia de R$ 42 milhões. A operação contou com a participação de 65 policiais federais.

Os investigados devem responder pelos crimes de formação de organização criminosa, lavagem de dinheiro, corrupção ativa e fraude licitatória.

Operação Xeque-Mate

A operação Xeque-Mate tem o objetivo de desarticular um esquema de corrupção na administração pública de Cabedelo, na Grande João Pessoa, mais precisamente na Câmara Municipal e na Prefeitura. A ação foi coordenada pela Polícia Federal, em conjunto com o Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba.

A operação foi desencadeada a partir de uma colaboração premiada do ex-presidente da Câmara de Cabedelo, Lucas Santino. A operação também investiga a compra do mandato de Luceninha (PMPB), permitindo que o então vice-prefeito, Leto Viana (PRB), assumisse o cargo.

Primeira fase

Durante a primeira fase da operação “Xeque-Mate”, a Polícia Federal cumpriu 11 mandados de prisão preventiva, 15 sequestros de imóveis e 36 de mandados busca e apreensão expedidos pelo Tribunal de Justiça da Paraíba, no dia 3 de abril.

G1