domingo, 28 de abril de 2019


Delegado da Polícia Civil morre após ser baleado por policiais militares


Um delegado da Polícia Civil morreu após ser baleado por policiais militares, durante ação policial realizada na madrugada deste domingo (28), na cidade de Itabuna, sul da Bahia.

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP), os PMs, que integram o 15° Batalhão de Polícia Militar (BPM), estariam apurando uma denúncia de roubo, na Avenida Mário Padre, quando ocorreu o caso.

O órgão não detalhou quantos policiais militares participavam da ação e nem como ocorreu o disparo contra a vítima. Em nota, o Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (Sindpoc) informou, entretanto, que o delegado José Carlos Mastique de Castro Filho teria sido baleado no peito ao tentar entregar a arma dele para os PMs, durante a abordagem.

Segundo o Sindicato, a vítima estava com uma namorada, em um posto de combustíveis da cidade, quando ocorreu a ação.

A SSP informou que o delegado chegou a ser socorrido, mas não resistiu. O corpo dele foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Itabuna. Não há detalhes sobre o sepultamento.

O caso está sob investigação da 6ª Coordenadoria de Polícia Civil do Interior (Coorpin). Em nota, a SSP-BA informou que Corregedoria Geral da SSP acompanha o caso. O órgão não detalhou se os PMs envolvidos na ação foram afastados.

Ainda em nota, o Sindicato dos Policiais Civis da Bahia (Sindpoc) repudiou a ação dos policiais militares e informou que também acompanha o caso.

Também em nota, o Sindicatos dos Delegados do Estado da Bahia (Adpeb) prestou condolências à família e amigos do delegado José Carlos Mastique.

A Adpeb destacou que “a verdade dos fatos somente poderá ser levantada através de uma acurada investigação, a qual já está sendo feita pelos delegados, investigadores e escrivães da 6ª Coorpin”.

“Por sua vez, exigimos da Polícia Civil da Bahia o mais absoluto empenho, responsabilidade e dedicação nesta apuração, porquanto, todas as circunstâncias deverão ser reveladas e suas evidências consubstanciadas para que o crime e eventuais excessos praticados possam ser comprovados e seu autor incurso nas penalidades legais”, diz a nota da Adpeb.

Ainda segundo a Adpeb, o velório do delegado José Carlos Mastique ocorrerá neste domingo (28), a partir das 17h, no SAF/Itabuna, em frente ao Clube Grapiúna, e o sepultamento será na segunda-feira (29), às 9h, no Cemitério Campo Santo, também em Itabuna.

G1 

Empresa potiguar de água de coco começará a exportar para a Europa

Considerada amiga da natureza por reutilizar 100% da casca do coco em sua plantação, a Empresa AcquaCoco agora vai trabalhar também com exportação. A primeira remessa de produtos jenuinamente potiguares para a Europa está prevista para acontecer no início do mês de maio.

“Contamos com uma importante consultoria do Instituto Euvaldo Lodi (IEL), onde identificamos nossa capacidade para trabalhar com exportação, e a partir do próximo mês vamos enviar nossos produtos para a Europa”, Explicou o empresário Diogo Gaspar, proprietário da AcquaCoco.

A água de coco envazada e o coco verde são os carros-chefes da empresa, mas ela também produz vários derivados de frutas, como polpa de coco, doce de coco, sucos de frutas tropicais, assai, polpa de assai, e em maio também vai lançar um novo produto que é o Coco Diamante, o tradicional coco verde com um toque a mais de seleção e elegância, pois se apresenta totalmente sem a casca dura.

Diogo explicou que está no mercado desde 2002, e que desde 2015 está com uma nova fábrica totalmente planejada no município de Maxaranguape/RN. “Esta fábrica teve um investimento planejado com novas linhas de produção e investimento também em tecnologia de alimentos”, concluiu.

Fonte: Site Fiern

Sem Avianca Brasil, setor de aviação vai ficar mais concentrado e preço das passagens pode subir

O provável fim da Avianca Brasil vai mudar a equação do mercado aéreo nacional. Para os consumidores, o risco é de haver aumento no valor das passagens. Para as empresas do setor, o desafio é dar conta de atender a demanda de viajantes que será herdada da quarta maior companhia do país.

De imediato, a saída de cena da Avianca Brasil vai ampliar a concentração em um setor já marcado por poucas opções para os consumidores, o que tende a provocar uma alta dos preços dos bilhetes aéreos. Os últimos dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) mostram que, no segundo trimestre do ano passado, a tarifa média de voos domésticos foi de R$ 321,78, uma queda de 3,9% em relação ao mesmo período do ano anterior.

No primeiro trimestre de 2019, Gol, Latam e Azul foram responsáveis por quase 88% dos embarques em voos nacionais, de acordo com a Anac. A Avianca respondeu por 11,9% da demanda, enquanto as demais companhia aéreas tiveram uma participação bem modesta, de apenas 0,4%.

"Para o consumidor, é péssimo acabar com a Avianca. É um concorrente a menos, é um modelo de negócio a menos. É ruim para o consumidor e para a sociedade", afirma o professor de transporte aéreo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Respicio do Espírito Santo.

G1
0