quinta-feira, 5 de setembro de 2019


POLÍCIA CIVIL FECHA EMPRESA DE ESTAMPAGEM DE PLACAS DE AUTOMÓVEIS E PRENDE DOIS HOMENS EM MOSSORÓ


Policiais da 2ª Delegacia Regional de Polícia (DRP) de Mossoró, com apoio da Divisão de Polícia do Oeste (DIVIPOE) realizaram, nesta quarta-feira (04), uma operação com objetivo de fiscalizar irregularidades cometidas por empresas de estampagem de placas de veículos, localizada nas proximidades do DETRAN neste município. Na ocasião, duas pessoas foram detidas por irregularidades no estabelecimento.

No momento da abordagem policial, um funcionário da empresa foi flagrado colocando uma placa de forma irregular. O motorista do caminhão, que pagou R$: 170,00, disse não saber que o serviço estava sendo realizado ilegalmente. O delegado responsável pela operação, Luiz Fernando, explicou que a placa que deveria ter sido colocada no veículo deveria ser a padrão Mercosul e não a do modelo antigo. Ainda segundo o delegado, o lacre que estava na placa era de uma motocicleta, o que caracteriza crime de adulteração de sinal identificador de veículo automotor.

Outro crime identificado foi a prática de usurpação do exercício de função pública, caracterizado por assumir indevidamente as atividades de determinado cargo. De acordo com o delegado Regional, a empresa não estava credenciada junto ao DETRAN. "Diante destas irregularidades, decidimos interditar o estabelecimento e recolher o material de trabalho até que seja regularizado junto aos órgãos de trânsito do município", sinalizou.

O funcionário identificado como Erick Vinicius Soares foi autuado pela prática dos crimes de  usurpação do exercício da função pública e adulteração de sinal identificador de veículo automotor. O motorista do caminhão, Flávio Ricardo da Silveira, foi autuado em flagrante por adulteração de sinal identificador de veículo automotor. O dono da empresa, que não foi localizado, responderá a inquérito na Delegacia de Furtos e Roubos de Mossoró.

Os dois homens foram conduzidos até a DEFUR de Mossoró e encaminhados ao sistema prisional, onde ficarão à disposição da Justiça.

Secretário garante cobrir 13° de 2019 e parte de atrasados

Secretário Aldemir falou sobre programação com extraordinários (Foto: BSV)

Com a chegada de recursos da cessão onerosa do pré-sal e da venda da folha de pagamento ao Banco do Brasil, o Governo do RN planeja pagar uma parte dos salários atrasados e das dívidas com fornecedores, além de todo o 13º salário de 2019 para os servidores.

Foi o que afirmou o secretário estadual de Planejamento e Finanças, Aldemir Freire, em entrevista ao Jornal da Tarde (Rádio Rural de Mossoró) desta quarta-feira (4).

Da venda da folha, o governo terá R$ 123 milhões para salários e da cessão onerosa o RN estima receber R$ 450 milhões, recursos extras que chegarão aos cofres do estado no final deste ano.

Saulo Vale

Datafolha : Moro mantêm alto índice de aprovação popular e supera até Bolsonaro



O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, é o membro do governo Bolsonaro mais bem avaliado pelos brasileiros, e tem um patamar de apoio da população que supera até mesmo o próprio presidente. Os números são do Datafolha e foram divulgados nesta quinta-feira (05) pela Folha de São Paulo.

Segundo a pesquisa, Moro é conhecido por 94% dos entrevistados, taxa mais alta do Planalto. Entre os que afirmam conhecê-lo, 54% avaliam sua gestão à frente do Ministério como ótima ou boa. Outros 24% consideram regular e 20% ruim ou péssima - 2 % não responderam.

Em comparação a Bolsonaro, são 29% dos entrevistados que aprovam sua gestão, 30% o consideram regular e 38% ruim ou péssimo (2% não responderam).

O bom resultado obtido por Sergio Moro surge em meio as muitas polêmicas que seu nome se envolveu nos útimos meses, em especial diante dos vazamentos de mensagens trocadas pelo ministro com procuradores da Lava Jata, quando ainda era juiz federal.

Fonte: Portal Grande Ponto

Reforma da previdência avança no Senado. Veja os próximos passos no Congresso


reforma da Previdência deu na quarta-feira um importante passo no Senado, com a aprovação da admissibilidade da matéria pela  Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), partindo para a avaliação do plenário. Mas ainda há um longo caminho a percorrer e o projeto poderá sofrer alterações.

Para evitar que o texto principal, aprovado pela Câmara em agosto seja alterado e tenha de retornar para reavaliação dos deputados, o relator da proposta no Senado, Tasso Jereissati (PSDB-CE) desmembrou a proposta em duas partes. A principal terá a retirada de alguns pontos, mas preservará a espinha dorsal do texto aprovado, podendo ser promulgada rapidamente.

A segunda é a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) paralela, com mudanças efetivas, como inclusão de estados e municípios, que, depois de aprovada pelos senadores, terá de passar pelo crivo da Câmara.

Com o resultado da votação das duas propostas nesta quarta na CCJ, elas serão encaminhadas ao plenário do Senado para receber emendas. Se a proposta principal receber sugestões de novas modificações, o que exige 27 assinaturas de senadores, ela precisa voltar para a CCJ para que as emendas sejam apreciadas pelo relator.

Tasso terá 48 horas para analisar as sugestões e, após um intervalo de cinco sessões do plenário da Casa, remeterá o texto de volta para a votação do colegiado. Se houver acordo, esse prazo pode ser encurtado. Aprovada em dois turnos (mínimo de 41 votos),  a reforma será promulgada.

De acordo com o cronograma, a votação deve ocorrer no dia 24 de setembro em primeiro turno e no dia 10 de outubro, em segundo. Já a PEC paralela terá de retornar obrigatoriamente para a CCJ, se receber emendas ou não. Na Comissão, será designado um relator que vai elaborar um parecer e ele será votado normalmente quanto à sua admissibilidade.

A tendência é que o senador Tasso Jeiressati seja escolhido também como relator desse texto. Só depois disso, essa PEC será encaminhada ao plenário do Senado para votação.

Segundo a presidente da Comissão, Simone Tebet (MDB-MS), esse processo pode demorar uma semana ou um pouco mais, com a realização de audiências.

Aprovada em dois turnos no plenário do Senado, a PEC seguirá para a Câmara dos Deputados, onde passará pela CCJ da Casa, por uma comissão especial e pelo plenário, também em dois turnos – onde será necessário 308 votos para ser aprovada.

O GLOBO

Professora baleada pelo ex-companheiro passou por cirurgia e encontra-se na UTI

A professora Maria Elizete Pereira, que foi baleada quatro vezes na tarde desta quarta-feira (04),  passou por cirurgia no Hospital Regional de Caicó e por volta 22:00 a vítima foi levada para UTI do Hospital.

De acordo com informações, o ex-companheiro de Elizete, Marinho Bezerra de Araújo, de 59 anos,  teria se desfeito de um veículo para adquirir a arma de fogo usada no crime. Os peritos do Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP) junto equipe da Polícia Civil, realizaram os levantamentos de evidências no local do crime, na rua Renato Dantas, Centro de Caicó.