domingo, 15 de setembro de 2019


Trote movimenta viaturas da Polícia na zona rural de Caicó

O COPOM do 6º BPM confirma que recebeu ligações telefônicas que davam conta de um possível acidente em uma comunidade rural próximo ao Distrito de Laginhas e que duas pessoas estavam em óbito.

A central acionou viaturas do 3º DPRE para averiguar a notícia, o que não passou de TROTE. A polícia deve apurar a responsabilidade da brincadeira que custou dinheiro e tirou viaturas da fiscalização urbana.

Nas redes sociais o assunto virou chacota e viralizou. Vídeo mostra os dois homens apontados como mortos no acidente. O TROTE deslocou viaturas que deviam está na rua patrulhando e levando segurança à população.

Por Jair Sampaio

Domingo com 5 terremotos no RN



Estações da Rede Sismográfica Brasileira (RSBR) operadas pela UFRN registraram neste domingo (15) uma sequência de tremores que atingiu a região de João Câmara, incluindo também os municípios de Bento Fernandes, Poço Branco e Pureza. Foram identificados pelo menos 5 eventos entre as 10h e 13h.

O maior tremor ocorreu às 11h14 e teve magnitude preliminar estimada em 1.5. O epicentro foi localizado na área acima de Riacho Seco, no município de Pureza, onde, em março de 1989, ocorreu o segundo tremor em magnitude (5.0) da sequência de sismos entre 1986 e 1993, na região de João Câmara.

Essa atividade sísmica foi a que causou maior impacto social devido a terremotos no Brasil, provocando extensos danos em edificações e pânico e fuga da população.

De acordo com o Laboratório Sismológico da UFRN, é impossível saber como a atividade sísmica relacionada à Falha de Samambaia vai evoluir, mas a UFRN segue o monitoramento permanente dessa atividade, visando obter dados que permitam informar a sociedade sobre o que realmente está ocorrendo na região e que servem para orientar ações de Defesa Civil.

Fonte: Portal Grande Ponto / Plantão Caico 

NA PREVENÇÃO AO SUICÍDIO, CVV ATENDE CERCA DE 2,5 MIL LIGAÇÕES EM NATAL POR MÊS


Foi a vontade de contribuir em um projeto social que fez com que Ademar Souza, de 63 anos, decidisse se candidatar ao processo seletivo de voluntários para o Centro de Valorização da Vida (CVV), 16 anos atrás. Quando entrou no serviço, muita coisa era diferente: além de não ser tão conhecido, o CVV não estava disponível em todo País. De lá para cá, muito mudou: desde julho deste ano, o CVV passou a funcionar em todas as capitais, através do número 188.

GOVERNO DO RN DEPENDENDO DA CAERN PARA NÃO PERDER RECURSOS DE OBRAS



Praticamente sem recursos da fonte 100 do Tesouro Estadual para investimentos em obras físicas, a governadora Fátima Bezerra (PT) está recorrendo à Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) para saldar contrapartidas financeiras com  o governo federal e dar continuidade a  obras de esgotamento sanitário em Natal e no  interior do Estado, no valor de pelo menos R$ 18 milhões, dos quais R$ 8,33 milhões, ainda no decorrer de setembro, visando a retomada de obras de saneamento em três cidades da região do Seridó, uma na região do Potengi e outra no Vale do Açu. Sem isso, o Estado perderia o prazo para pagamento das contrapartidas, as obras não seriam exexecutadas e o que já foi aplicado precisaria ser devolvido.

Por isso, o Governo do Estado encaminhou para votação na  Assembleia Legislativa, na quarta-feira (10), pedido de autorização para que a Caern assuma o pagamento de contrapartidas  reajustamentos e demais acréscimos financeiros nos  termos de compromisso e convênios firmados com a União, sob pena de ocorrer paralisação das obras contratadas ou cancelamento dos convênios, com a respectiva devolução dos recursos à União, devidamente corrigidos, causando prejuízos à população do Estado do Rio Grande do Norte.

“Devido ao estado de calamidade financeira nos cofres estaduais, o Governo enfrenta dificuldades em efetivar o pagamento dos serviços executados a título de contrapartida e reajustamento”, justifica a governadora, que também adiantou na mensagem governamental: “A aprovação do projeto de lei garantirá a retomada nas obras e a imediata liberação dos recursos da União, possibilitando a conclusão e funcionamento das obras públicas”.

O diretor presidente da Caern,  Roberto Linhares, disse que o projeto cuida de obras que pararam recentemente e estão praticamente conclusas e que se demorarem mais, não terminam.  “Estão esperando só a contrapartida para liberação de recursos da União e finalizarem”, disse.

Roberto Linhares afimrou que a Caern tem fluxo de caixa suficiente para cobrir as contrapartidas devidas pelo Executivo, no valor de R$ 8.328.5668,12 para serviços de esgotamento sanitário em São José do Seridó, Parelhas e São João do Sabugi, no Seridó; São Paulo do Potengi e Pendência, no Vale do Açu.

Tribuna do Norte