sexta-feira, 6 de dezembro de 2019


Polícia Civil prende em Goiaininha suspeito de matar jipeiro em confraternização


Policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) prenderam Ailton Berto da Silva, 50 anos, na tarde desta sexta-feira (06), na cidade de Goianinha. Ele é suspeito de ter matado Fantone Henry Filgueira Maia, no último sábado (30), durante uma confraternização de um clube de trilhas de veículos 4x4. O crime aconteceu na praia de Santa Rita, localizada no município de Extremoz.

Ailton Berto da Silva foi detido mediante o cumprimento de um mandado de prisão temporária expedido pela Justiça. De acordo com as investigações, o crime ocorreu durante um desentendimento que houve entre os participantes da festa. Ailton Berto sacou uma pistola e efetuou diversos disparos, atingindo Fantone Henry e mais duas pessoas que estavam no local. 

A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima através do Disque Denúncia 181. 

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

Potiguar de Umarizal ganha mais de R$ 1 milhão no maior prêmio da história do Poker nacional



O potiguar de Umarizal Antônio Madson, mais conhecido como ‘Urea’, ganhou o maior prêmio já pago em um torneio de Poker no Brasil. De origem humilde e natural de Umarizal, ele foi o grande campeão do Brazilian Series of Poder Millions e embolsar nada menos que R$ 1.170.000,00.

Na reta final do torneio, quando restavam três jogadores, foi feito um acordo e Madson, que era o líder em fichas, já garantiu 970 mil reais. Os três jogadores restantes passaram a disputar outros 270 mil reais. Depois de quase ser eliminado, em uma reação impressionante, Madson virou o jogo e sagrou-se campeão.

No discurso de campeão, Madson se lembrou das dificuldades que passou. Agradeceu a Deus e a sua mãe, a quem dedicou o título, emocionando a todos que estavam presentes e acompanhando o desafio pela internet.

Os que acompanham a trajetória de Madson, que joga poker há dez anos, são unânimes em dizer que a vitória do potiguar foi muito merecida

Fonte/ BG



CASO COAF: Suspensa há 4 meses, investigação sobre Flávio Bolsonaro é retomada pelo MP

Depois de quatro meses suspensa, a investigação sobre lavagem de dinheiro e peculato (desvio de dinheiro público) contra o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e seu ex-assessor Fabrício Queiroz será retomada no Ministério Público do Rio (MP-RJ).

O caso estava parado desde julho aguardando decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a legalidade do compartilhamento de informações sigilosas por órgãos como a Unidade de Inteligência Financeira (UIF, antigo Coaf) e a Receita Federal com o Ministério Público e órgãos policiais sem autorização judicial. O STF aprovou na última quarta-feira a tese para o compartilhamento. Os dados devem permanecer sob sigilo e só poderão ser repassados por meio de comunicações formais.

A defesa do senador sempre alegou que os dados solicitadas pelos promotores ao Coaf configurariam uma quebra de sigilo pelos detalhes nos relatórios sem que houvesse uma investigação formal em andamento, e que os dados teriam sido solicitados por e-mail.

No entanto, o MP-RJ divulgou ontem um ofício da presidência da UIF, em que o órgão explica como funciona o sistema de obtenção das informações sigilosas. Além disso, afirma que os dados pedidos sobre o senador em dezembro do ano passado foram requeridos por meio desse sistema.

O Globo


FGTS: saques de até R$ 500 para não correntistas da Caixa nascidos em setembro e outubro começam hoje





A Caixa Econômica Federal libera nesta sexta-feira (6) os saques de até R$ 500 do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) para não correntistas do banco nascidos em setembro e outubro.


Trata-se do sexto e penúltimo lote de saques para não correntistas, que totalizam R$ 3,3 bilhões para 9,1 milhões de pessoas. Os sete lotes pagarão cerca de R$ 25 bilhões para 62,5 milhões de trabalhadores.

No total, incluindo os correntistas da Caixa que já tiveram o dinheiro liberado, os saques imediatos do FGTS abrangem o total de 96 milhões de pessoas com R$ 40 bilhões nas contas vinculadas.