domingo, 8 de dezembro de 2019


CRUZEIRO É REBAIXADO PELA PRIMEIRA VEZ EM SUA HISTÓRIA

           Fotos: Marcelo Alvarenga

Cruzeiro perde para o Palmeiras por 2 a 0 e é rebaixado pela primeira vez em sua história. Revoltada com o resultado, parte da torcida depredou o Mineirão e PM interveio com bomba e balas. O árbitro encerrou a partida antes dos 45 minutos da segunda etapa.

Folhapress


Sócio teria levado calote do cantor Thullio Milionário, diz site


          Foto: Reprodução/redes sociais


O cantor Thullio Milionário, famoso por beijar fãs no palco, está em disputa com seu ex-empresário e sócio Cirilo Pereira Luz. O empresário mantinha um contrato de representação com cláusula de exclusividade com o cantor e foi afastado sem prévio aviso das tarefas contratadas. As informações são do site Paraíba Polêmica.

Cirilo foi admitido como sócio da empresa Milionários Administradora de Shows e Produtora de Eventos Ltda. ME, sucessora da empresa Milionários Produções e Eventos Ltda. – ME, através do Aditivo Consolidado nº 01, datado de 05 de março de 2018, com registro na JUCERN – Junta Comercial do Estado do Rio Grande do Norte sob nº 20180187392, de 14/05/2018.

Segundo o aditivo, o empresário passou a integrar os quadros societários da empresa juntamente com o cantor, ocasião em que se retirou da sociedade a empresária Deize Rosiane Paulino. Pelo novo pacto, Cirilo ficou com 153 mil cotas e a administração da empresa, e o Thullio com 147.000 mil cotas.

Cabia a Cirilo a produção musical, atividade de gravação de som, diversas ações para a montagem de palco, consultoria em publicidade e atividades de intermediação e agenciamento de serviços e negócios em geral. Além das apresentações/shows, o empresário tinha direito também a 50% do cachê recebido de todos os patrocínios e campanhas publicitárias onde a marca “THULLIO MILIONÁRIO” ou imagem dos artistas da Banda fosse veiculada.

Para surpresa do empresário, o cantor rompeu a relação contratual sem qualquer motivo e transferiu para a empresa individual ULTRA PROMOÇÕES E EVENTOS EIRELI, CNPJ nº 23.626.845/0001-92, que tem o senhor Rogério Medeiros Cabral Júnior como titular, todas as operações, contratações e movimentações financeiras oriundas dos shows e patrocínios previstos nos contratos acima referenciados.

O faturamento de 1,5 milhão foi destinado a investimentos em Ônibus, equipamento de som, produção de CDs e deslocamentos, entre outros gastos. Com Cirilo fora do contrato foram realizados 45 (quarenta e cinco) shows nos meses de março, abril e maio de 2019, bem como 140 (cento e quarenta) shows nos meses de junho, julho, agosto, setembro, outubro e novembro, através da empresa ULTRA.

Paraíba Polêmica / BG 


Bolsonaro vai revogar decisão que excluiu 17 profissões do MEI

O presidente Jair Bolsonaro informou hoje (7), em mensagem no Twitter, que determinou o envio ao Comitê Gestor do Simples Nacional de proposta de revogação da medida que aprova a revisão de uma série de atividades que podem atuar como  microempreendedores individuais (MEI). A medida resultou na exclusão de algumas profissões do programa.

Em nota, a Secretaria Executiva do Simples Nacional informou que a proposta será encaminhada ao Comitê Gestor do programa, como também a proposta de ampla revisão da lista das 500 atividades que podem atuar como MEI.

A resolução com a lista dos profissionais excluídos foi publicada na edição dessa sexta-feira (6) do Diário Oficial da União.

Na lista estão astrólogo, canto/músico, disc jockey (DJ) ou video-jockey (VJ), esteticista, humorista e contador de histórias, instrutor de arte e cultura, instrutor de artes cênicas, instrutor de cursos gerenciais, instrutor de cursos preparatórios, instrutor de idiomas, instrutor de informática, instrutor de música, professor particular e proprietário de bar, com entretenimento.

Agência Brasil /  Portal Grande Ponto


Pesquisadores dão os primeiros passos em direção à vacina da Aids


A Aids é uma doença ainda incurável, mas, graças ao avanço da medicina, pode ser controlada com medicamentos. Cientistas seguem buscando formas de enfrentar a infecção pelo HIV, e uma das estratégias promissoras é a estimulação do sistema de defesa do corpo humano.

Com esse objetivo, pesquisadores americanos desenvolveram um agente imunógenoque consegue ativar a produção de um grupo de anticorpos que lutam contra o vírus.

As descobertas foram publicadas na última edição da revista especializada Science e podem contribuir para o desenvolvimento de uma vacina.

“A razão pela qual não temos uma vacina é porque o sistema imunológico não deseja produzir o tipo de anticorpos necessários para neutralizar o vírus. Esse trabalho é uma prova de conceito de que podemos projetar o sistema para criar um ambiente em que os anticorpos certos possam ser produzidos”, destaca, em comunicado, Barton F. Haynes, diretor do Duke Human Vaccine Institute (DHVI), nos Estados Unidos, e um dos autores do estudo.

Haynes e colegas levaram anos de pesquisa para identificar os anticorpos neutralizantes (bnAbs), células de defesa que surgem em soropositivos. Segundo a equipe, ocorre um problema no sistema imunológico quando o corpo é infectado  pelo vírus. Ele passa a identificar alguns bnAbs como um perigo e, com isso, células de defesa desligam a produção desses anticorpos.

Outro problema é que os bnAbs requerem mutações raras em sua composição genética, o que ocorre com pouca frequência. Os pesquisadores rastrearam essas mutações relevantes. Em seguida, desenvolveram uma proteína para ativar a produção dessas alterações raras. Em testes com ratos, a proteína conseguiu estimular a produção dos anticorpos neutralizantes. Em uma nova etapa do estudo, os investigadores deram foco a uma segunda linhagem de bnAbs, que também está relacionada às mutações raras. Eles desenvolveram um segundo imunogênico, que foi testado em macacos, e obtiveram os mesmos resultados.

Para a equipe, esse novo sistema facilita o desenvolvimento de uma vacina contra a Aids. “Identificamos as mutações necessárias para combater o HIV que o sistema imunológico não produz facilmente.

Agora, podemos projetar uma vacina capaz  de estimulá-las. Mostramos que podemos superar esse grande obstáculo. Sem a seleção adequada de antígenos, podem ser necessárias várias décadas de análises para obter anticorpos eficazes. Podemos acelerar esse cronograma projetando imunógenos que consigam estimular as mutações que são essenciais para a formação dessas células de defesa”, diz Kevin Saunders, também autor do estudo.