quinta-feira, 12 de dezembro de 2019


Caixa anuncia nova redução de juros para crédito imobiliário e pessoal

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta (12) a redução das taxas de juros do crédito habitacional e em produtos de crédito pessoal. A taxa efetiva mínima do crédito imobiliário para imóveis residenciais passou de 6,75% ao ano mais a Taxa Referencial (TR), hoje zerada, para 6,5% ao ano mais a TR.

A redução abrange tanto as concessões pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH), regulamentado pelo governo, quanto pelo Sistema Financeiro Imobiliário (SFI), de livre negociação, e vale para os contratos firmados a partir da próxima segunda-feira (16). Para conseguir o benefício, entretanto, o cliente deve optar em receber salário pelo banco e manter relacionamento com a Caixa, com a contratação de outros produtos ou serviços.


Você vai pagar taxa do cheque especial mesmo sem usar; saiba o que fazer


Muita gente viu a notícia de que o Banco Central limitou os juros do cheque especial a um teto de 8% ao mês. Mas muitos outros não perceberam uma outra regra criada junto: os bancos vão poder cobrar uma tarifa mesmo de quem não usa o cheque especial. A partir do dia 1º de junho, basta ter um limite de cheque especial acima de R$ 500 para ser obrigado a pagar essa tarifa.

Ou seja, mesmo que você não entre no cheque especial, o banco poderá cobrar uma taxa de você. Só não pagarão essa tarifa os clientes que tiverem até R$ 500 de limite. Acima disso, todos pagarão. O valor máximo dessa taxa será de 0,25% do limite por mês. O que você deve fazer com isso? Cancelar o seu limite? Reduzir para R$ 500? Esperar para ver o que o banco vai oferecer? Entenda a seguir.

Como funciona a nova taxa

Se você tiver um limite de até R$ 500,00, o banco não pode cobrar nenhuma tarifa. Apenas os juros sobre o que você utilizar. Mas se você tiver um limite além de R$ 500 no cheque especial, o banco poderá tarifar você. Por exemplo: se seu limite for de R$ 1.000,00, a instituição financeira poderá cobrar, todos os meses, R$ 1,25, ou seja, 0,25% sobre o valor que excedeu R$ 500.

Se você entrar no cheque especial, essa tarifa deverá ser descontada dos juros. Ou seja, se você passou um mês no cheque especial, com um crédito de R$ 1.000,00, sendo a taxa de juros de 8%, você vai pagar R$ 80 de juros, menos R$ 1,25 que havia sido pago de tarifa.

Banco tem que avisar antes

Na regra criada pelo Banco Central, está determinado que os clientes têm que ser avisados até um mês antes de começar a cobrança da tarifa. “O banco tem que entrar em contato com todos os clientes para avisar sobre a nova cobrança, caso resolva adotá-la. Assim, é o consumidor quem fará a escolha”, afirma Guilherme Farid, chefe de gabinete do ProconSP.

Segundo o Banco Central há 80 milhões de clientes de bancos que têm um limite acima de R$ 500. Outros 19 milhões de consumidores têm o limite de crédito no cheque especial abaixo dos R$ 500. Então, há um universo grande de consumidores que precisam ser avisados.

Devo reduzir meu limite para R$ 500?

Alguns consultores dizem que o melhor é antecipar-se e pedir ao banco a retirada do limite caso a instituição decida cobrar a tarifa sobre o cheque especial. Outros dizem que é bom negociar antes. Pode ser que o banco não cobre a tarifa no seu caso ou cobre menos. E um limite especial mais alto, que você já tenha, pode ser útil em alguma emergência.

Se o banco começar a cobrar a tarifa sem avisar, cabe até uma ação. Se o consumidor não contratou um serviço e foi cobrado sem sua clara solicitação, fica caracterizada prática abusiva, prevista no artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor, diz o Procon-SP.

“Sem dúvida, o cliente tem que se antecipar e pedir o ajuste no limite do cheque especial para até R$ 500, ou negociar para que não haja a cobrança da tarifa. Afinal, existe o risco de o cliente começar a pagar sem sequer a perceber a cobrança da tarifa no meio dos juros”, afirma a educadora financeira da Dsop Educação Financeira, Ana Rosa Vilches.

Limite não pode virar parte do salário

A mesma consultora alerta que abrir mão do limite no cheque especial exige mais atenção com as contas. “Cheque especial é, como o nome diz, algo especial. Infelizmente muitos brasileiros consideram o cheque especial um complemento de renda. Acabam esquecendo de contabilizar os custos dos juros e, quando vão ver, entraram em uma dívida grande”, diz Ana Rosa.

“Se a pessoa não consegue nem sequer administrar as contas, como vai perceber a tarifa e os juros que o banco está cobrando?”, diz ela.

Melhor pagar multa por atraso ou juros do cheque?

Entre as dicas, está a de reduzir opões no débito automático. Assim, se aquela fatura mais pesada cair no dia em que sua conta estiver com pouco saldo, o boleto vai voltar. É melhor pagar a multa do que cair nos juros do cheque especial, dizem os consultores.

O que é mais barato: crédito pessoal ou cheque especial?

Se faltar dinheiro, é melhor pedir um crédito pessoal porque as taxas de juros são inferiores à metade das cobradas no cheque especial.

Para se ter uma ideia, a taxa média cobrada no cheque especial é de 12,4% ao mês. Vai cair para 8% a partir de janeiro do ano que vem, de acordo com a regra criada pelo Banco Central.

A taxa média no crédito pessoal é de 5,9% ao mês. Se for uma linha de crédito consignado, ou seja, vinculada a salário, esse custo cai para 2,5%, no caso do trabalhador do setor privado, e a 1,4%, para o funcionário público.

UOL /  BG


Prefeitura de Caicó adquire moto-caçamba para a coleta do lixo


O Município de Caicó passará a contar com mais um veículo para a frota da Infraestrutura e Serviços Urbanos, na área de coleta de lixo. A prefeitura de Caicó adquiriu uma moto-caçamba, sendo que a licitação ocorreu no dia 22 de novembro, às 8 horas, com a participação da IDEAL MOTOS, Comercial MOTOTEC Honda e Fusco Motoseguradora & Implementos Rodoviários. A Ideal Motos sagrou-se vencedora do Item 01 – uma moto 0km 2019/2020 pelo preço de R& 10.559,00. 

Já o item 02 – O triciclo (caçamba) teve como vencedora a empresa Mototec Honda pelo preço de R$ 29.000,00. Na fase de recursos, a empresa Fusco alegou que a Mototec não possuía a LCVM (Licença para Uso da Configuração de Veículo ou Motor) e a Mototec apresentou suas contra razões, inclusive apresentando a LCVM. O recurso da Fusco foi negado após análise da Procuradoria e a Mototec foi declarada vencedora por apresentar o menor preço. A homologação das empresas vencedoras da referida licitação já foi publicada no Diário Oficial dos Municípios do Rio Grande do Norte. 


RACHA NO PSL

A Justiça de Brasília suspendeu a punição aplicada pelo PSL a 18  parlamentares, entre eles o filho do presidente Jair Bolsonaro, o deputado Eduardo Bolsonaro. Os parlamentares foram punidos com suspensões e advertências. A decisão entendeu que há falhas no processo. O grupo é contrário ao presidente do partido, Luciano Bivar. 

Foto: Lula Marques / CBN Brasil.
 

Top Car e Ippon veículos encerram atividades em Natal


A Top Car, concessionária da marca Mitsubishi, e a Ippon Veículos, da Suzuki, estão encerrando suas atividades em Natal neste mês. Em comunicado publicado nas redes sociais, as lojas que foram destaques na cidade nos anos 2000 agradecem a confiança dos clientes e parceiros, sem dar muitas explicações.

É mais um caso de empresas de sucesso que fecham as portas no Rio Grande do Norte.

Fonte : Gustavo Negreiro.


Onda de assaltos assusta e causa medo à população de Caicó


Na noite desta quarta-feira (11), um comerciante foi vítima de assalto e teve o dinheiro levado por dois indivíduos desconhecido.

Na última segunda-feira (09), dois criminosos abordaram o dono de uma loja de material para construções que fica na zona norte de Caicó, roubando do mesmo aproximadamente R$ 16 mil em espécie e fugiram em uma motocicleta. Na noite da última terça-feira um grupo de sacoleiros foram vitimas de um assalto na saida de Caicó para Jucurutu, essa ação rendeu mais de R$ 50 mil para os criminosos e um Policial foi ferido com dois tiro na cabeça.


Nova redução de juros para linha de crédito nos bancos

Com a redução da taxa Selic para 4,5%, o Banco do Brasil e Caixa Econômica anunciaram  uma nova redução nas taxas de juros para linhas de crédito.

O BB já divulgou os novos valores e a Caixa vai detalhar os índices nesta quinta-feira (12).