segunda-feira, 16 de dezembro de 2019


Acidente com moto mata jovem no município de Jardim de Piranhas


Um jovem de 21 anos, identificado pela polícia científica como Graciel Alves de Lima, morreu nesta madrugada vítima de acidente com sua moto.

Ele trafegava por via carroçável no município de Jardim de Piranhas, por volta de 1h da madrugada, quando caiu e com o impacto foi a óbito.

Familiares do rapaz acreditam que o acidente tenha sido motivado por consumo de bebida alcoólica. Ele teria passado todo o domingo bebendo.





Polícia Civil prende homem por homicídio contra criança em Natal


Policiais civis da 1ª Delegacia de Plantão Zona Sul de Natal prenderam em flagrante, neste sábado (14), um homem pela prática do crime de homicídio contra uma criança de cinco anos, no bairro Nova Descoberta, na Zona Sul de Natal. 

De acordo com as investigações, o suspeito é padrasto da vítima e teria envenenado a criança com um raticida, quando a mãe saiu de casa. Ao retornar, a mãe percebeu que algo estava errado com o filho e o socorreu imediatamente para o hospital. A criança não resistiu e foi a óbito, tendo sido solicitado pela Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) o exame pericial ao ITEP. 

Diante do resultado preliminar indicando o envenenamento, e com base nos depoimentos, foi realizada a prisão em flagrante do suspeito. O homem foi encaminhado para o sistema prisional, onde ficará à disposição da Justiça. A Polícia Civil pede que a população continue enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS.

Bolsonaro diz que preço dos combustíveis está alto para o consumidor e que quebra do monopólio da Petrobras pode reduzir custos



O presidente Jair Bolsonaro reconheceu nesta segunda-feira (16) que o preço dos combustíveis está alto no Brasil e disse que a quebra do monopólio da Petrobras é uma das formas de diminuir o valor para o consumidor.

“Lá na refinaria o preço está lá embaixo, fica alto [para o consumidor] por causa de impostos estaduais, ICMS [Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços] basicamente, e, depois, o monopólio existe na questão da distribuição e nós estamos buscando quebrar esse monopólio para diminuir o preço. Só com a concorrência ele pode diminuir”, disse ao deixar o Ministério da Infraestrutura, após reunião, em Brasília.

A Petrobras possui o monopólio do refino de combustíveis no Brasil e, apesar de não ter o monopólio também da venda e distribuição, é líder nesse mercado.

De acordo com Bolsonaro, a equipe econômica tem trabalhado buscando soluções para o barateamento dessa energia, com o estímulo aos investimentos no setor.

“Estamos fazendo o possível para baratear o preço do combustível, reconhecemos que está alto no Brasil”, afirmou o presidente da República.

“Preço médio do diesel na refinaria [é de] R$ 2,26, e aí tem impostos estaduais, municipais também, custo da logística, da distribuição, tem o lucro do posto”, afirmou.

Sobre o etanol, Bolsonaro disse que a proposta é autorizar a venda direta das usinas até aos postos de combustível.

“Tem caminhões de transporte que andam 400 quilômetros para entregar etanol a 1 km da usina, isso é um absurdo. Tem gente que é contra porque há interesses de grupos econômicos no Brasil, Não é fácil buscar solução para tudo, mas estamos fazendo o possível. [Com] um pouco de colaboração por parte de outros setores da sociedade, em especial o político, dá para resolver esse assunto”, finalizou.

Agência Brasil


GNV passará a ser vendido por quilo em 2020


A venda de gás natural veicular (GNV) sofrerá mudanças em 2020. O Inmetro abre nesta segunda-feira consulta pública para que o combustível passe a ser vendido por quilogramas, e não mais por metro cúbico (m³), como ocorre hoje. A mudança visa a reduzir a possibilidade de erro e fraude nos postos. O preço final para encher o “tanque”, diz órgão, não vai mudar.

A ideia é que a nova medida de comercialização passe a ser usada nos postos ainda no primeiro semestre de 2020.

O Inmetro explica que, para vender o GNV por metro cúbico, é preciso que, a cada carga recebida, o posto ajuste a densidade para garantir a medição correta na bomba.

Mas essa informação pode demorar até 30 dias para chegar ao posto e ainda é passível de erro. Na prática, isso pode significar o pagamento pelo consumidor de metros cúbicos de gás que não chegaram ao cilindro do veículo.