domingo, 26 de janeiro de 2020


URGENTE : TENTATIVA DE ASSALTO COM REFÉNS TERMINA COM CINCO INDIVÍDUOS MORTO EM CAICÓ

        Armamento aprendido no local

Uma tentativa de assalto na noite deste domingo (26), terminou com 5 indivíduos mortos após um confronto com Policiais militares em uma residência próximo a UFRN no Bairro Penedo.


Duas armas calibre 12 foram apreendidas e um revólver 38. Os 5 corpos foram encaminhados para identificação e necropsia no ITEP de Caicó.



Itamaraty confirma suspeita de infecção de coronavírus em brasileiros


O Ministério das Relações exteriores confirmou ao portal Metrópoles o caso de uma família brasileira isolada por suspeita de infecção por coronavírus nas Filipinas. A família, um casal e uma criança de 10 anos, estava em viagem a Wuhan, na China, onde o vírus foi inicialmente detectado. A embaixada brasileira em Manila tenta contato direto com eles.

De acordo com informações de um jornal local das Filipinas ABS-CBN, o filho do casal estaria com febre e dificuldades para respirar, e o pai estaria com garganta inflamada. Eles estão isolados em um hospital na cidade da província de Palawan, Puerto Princesa, contudo, o diagnóstico ainda não foi confirmado.

No sábado (25/01/2020), a doença foi registrada na Malásia e na Austrália, elevando a lista de países afetados pelo coronavírus. Com isso, já são quatro os continentes afetados pela infecção.


Incentivo a fontes de energia vai custar R$ 5,6 bilhões aos consumidores em 2020, diz Aneel



Os consumidores brasileiros vão pagar R$ 5,6 bilhões em 2020 para financiar políticas públicas de incentivo a fontes de energia, como eólica, solar, biomassa e até carvão, aponta estimativa da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Esse valor não inclui o custo do benefício dado a quem gera a própria energia por meio de painéis solares. Segundo a Aneel, esse subsídio deve atingir R$ 995 milhões em 2020 (leia mais abaixo).


O incentivo é uma das ações do governo no setor elétrico cobertas pela chamada Conta de Desenvolvimento Energético (CDE). O dinheiro que abastece esse fundo vem de um encargo cobrado nas contas de luz de todos os brasileiros.

A maior parte dos R$ 5,6 bilhões corresponde ao subsídio para o desenvolvimento de novas fontes renováveis de energia.

Esse subsídio beneficia – com desconto nas taxas de transmissão e distribuição – empresas que compram energia produzida por centrais eólicas, solares, de biomassa ou gerada por pequenas centrais hidrelétricas (PCH).
O que essas empresas deixam de pagar é cobrado dos demais consumidores, diluído nas contas de luz das unidades residenciais e comerciais. Para 2020, esse custo é estimado em R$ 5 bilhões.


Aeroporto de Natal perde mais de 200 mil passageiros em 5 anos.


Projetado para transportar mais de 10 milhões de passageiros por ano, o Aeroporto Internacional Governador Aluízio Alves, em São Gonçalo do Amarante, não atingiu, cinco anos e meio após o início da sua operacionalização, a estimativa estabelecida pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), no início da década passada.

Na contramão dessa perspectiva, o terminal aeroviário, o primeiro concedido à iniciativa privada no Brasil, acumula queda na movimentação de aeronaves e passageiros. De 2015 para 2019, o volume de passageiros transportados caiu 9,81% e o de movimentação de aeronaves, 21,08%.

Os dados foram publicados pela Tribuna do Norte a partir de pesquisas no portal do Aeroporto de Natal na internet.

No período em destaque, o terminal perdeu 253.630 passageiros. Deixaram de pousar e decolar no Aeroporto de Natal, nesse período, 4.771 aeronaves.

A Inframérica, empresa que administra o aeroporto, alegou à Tribuna do Norte que a crise econômica e a falência da companhia aérea Avianca foram os principais fatores para o desempenho negativo.

Fonte: Portal Grande Ponto

País não cria vagas com ganhos acima de 2 salários mínimos há 14 anos



O Brasil não cria vagas com rendimento acima de dois salários mínimos há 14 anos. Levantamento feito pelo GLOBO com base nos microdados do Caged, o registro de vagas com carteira assinada do governo, mostra que a partir de 2006 não houve saldo positivo nas contratações para qualquer faixa de renda com remuneração superior a duas vezes o piso nacional. As informações são de O Globo.

Incluindo os dados de 2019, divulgados na última sexta-feira, o país extinguiu 6,7 milhões de empregos com renda mais alta desde 2006. Ao longo do tempo, o mercado de trabalho passou a trocar vagas de maior qualidade por postos de menor rendimento. Foram criados 19,2 milhões de postos de trabalho desde 2006, porém, todos com renda de até 2 salários mínimos.