sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020


Após quase 5 anos, Caern voltará a usar açude Gargalheiras para abastecimento


Após quase 5 anos, Caern voltará a usar açude Gargalheiras para abastecimento


As chuvas no Seridó fizeram o açude Marechal Dutra, o Gargalheiras, atingir a marca de 6,79% de medição volumétrica. Por este motivo, a Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) iniciou, em fase de testes, a reativação da captação de água pelo manancial. De acordo com a gerente da Regional Seridó, Rosi Gurgel, estão sendo observadas as condições operacionais como vazão e qualidade da água, para a captação ser feita definitivamente pelo Gargalheiras.

A Caern deixou de captar água pelo Gargalheiras em 1º de setembro de 2015. A princípio, quando o sistema for colocado definitivamente em funcionamento, Acari terá seu abastecimento por rodízio. Já Currais Novos continuará sendo abastecida pelo açude Dourado. De toda forma, a Caern está trabalhando na reativação do sistema que vai do Gargalheiras para Currais Novos. Caso o açude Dourado entre em colapso, o abastecimento volta a ser pelo Gargalheiras.

Mesmo com as últimas chuvas, é necessário compreender, que a recuperação de mananciais leva tempo e necessita de bons volumes de chuvas. É importante que a população colabore fazendo uso racional da água em todas as regiões do Estado.

Fonte: Portal Grande Ponto



Polícia Civil deflagra Operação “Pecúnia Doc” e define afastamento de cinco servidores do DETRAN/RN


A Polícia Civil do Rio Grande do Norte, por meio da Delegacia Especializada de Defesa do Patrimônio Público e do Combate à Corrupção (DECCOR), deflagrou, na manhã desta sexta-feira (7), a Operação “Pecúnia Doc”. A ação resultou no afastamento de cinco servidores do Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN/RN) e na prisão em flagrante de um homem, pela suspeita da prática do crime de porte ilegal de arma de fogo. Além disso, dois despachantes foram descredenciados e dois “atravessadores” estão impedidos de entrar na sede do Detran/RN. 

A investigação já ocorria há mais de um ano. Não foram constatados indícios de uma organização criminosa. Os envolvidos, dois servidores efetivos e três comissionados, serão investigados pela suspeita da prática do crime de corrupção passiva. Os despachantes e “atravessadores” serão investigados por corrupção ativa. Os valores variavam entre R$ 15,00 a mais de R$ 1.000,00, para vistorias em carros que estavam em outros estados. 
Para os veículos que seriam vistoriados, sem estarem presentes no pátio do Detran, devido às irregularidades que poderiam ser apontadas, ocasionando a possível apreensão, os valores cobrados pelos envolvidos eram os mais altos. 

Além disso, os servidores do órgão podem responder pela suspeita da prática do crime de prevaricação. Todos os envolvidos já receberam a determinação judicial para o afastamento dos respectivos cargos, para que não o utilizem mais em busca de benefícios e interesses pessoais. 

Ainda segundo as investigações, a prática dos crimes desta natureza era muito comum. Um dos “atravessadores”, que não possuí vinculo, por meio de credenciamento, com órgão, atuava há mais de 20 anos nesse sistema de corrupção.

Durante a coletiva de imprensa, estiveram presentes a delegada-geral, Ana Cláudia Saraiva, o delegado-geral adjunto, Odilon Teodósio, o diretor da Grande Natal (DPGRAN), e a delegada titular da DECCOR, Karla Viviane.

Guindaste tomba e mata operador no interior do RN.

Um operador de guindaste morreu na tarde desta quarta-feira (05) durante o trabalho no município de Serra do Mel, no Oeste potiguar. O guindaste tombou, a vítima caiu em cima de uma peça metálica e morreu no local.

De acordo com informações do Corpo de Bombeiros do estado (CBMRN), o operador estava trabalhando no parque eólico do município quando teria pegado uma peça metálica com o guindaste. Pouco depois, teria tentado movimentar outra peça e o guindaste acabou tombando.

No entanto, segundo o CBMRN, as circunstâncias do acidente ainda serão investigadas. O operador foi identificado como Gilvan de Lima Freire.

Morre Popeye, o principal matador do cartel de Escobar e responsável por mais de 3.000 mortes


John Jairo Velázquez Vázquez, o Popeye, durante visita ao túmulo de Pablo Escobar em 2015
O sicário John Jairo Velázquez Vázquez, o Popeye, durante visita ao túmulo de Pablo Escobar em 2015 – Raul Arboleda – 2.dez.15/AFP

 

Morreu na madrugada desta quinta-feira (6) o narcotraficante John Jairo Velázquez Vázquez, 54. Conhecido como Popeye, ele é considerado o principal e mais cruel assassino da história do cartel de Medellín, organização que foi chefiada por Pablo Escobar (1949-1993).

O sicário (termo usado para identificar os assassinos que trabalham para os cartéis) foi condenado por ter matado mais de 200 pessoas, incluindo sua própria mulher, e de estar por trás do planejamento ou de fazer parte da execução de vários atentados que causaram a morte de mais de 3.000 pessoas.

Popeye —que era homem de confiança de Escobar— estava preso, mas tinha sido transferido no final do ano passado a um hospital por conta da metástase de um câncer no esôfago.

Condenado à prisão perpétua em 1992 por terrorismo, homicídio, tráfico de drogas e outros crimes, ele ficou 23 anos preso, obtendo a liberdade em 2014.

Quatro anos depois, porém, voltou à prisão e respondia a um processo por tentar extorquir famílias do Departamento de Antioquia —região onde o cartel operava— que tinham ficado com propriedades antes controladas pela facção criminosa.

Um dos crimes mais famosos de que ele participou foi o assassinato do então candidato à Presidência da Colômbia, Luis Carlos Galán, em 1989.

Galán, que estava em plena campanha eleitoral e era um feroz crítico da atuação dos cartéis de droga no país, foi morto a tiros durante um comício para 20 mil pessoas na cidade de Soacha (região metropolitana de Bogotá).

Naquele mesmo ano, o cartel de Medellín mirou o sucessor de Galán como candidato do Partido Liberal, César Gavíria —que acabou vencendo as eleições no ano seguinte.

Popeye planejou matá-lo num atentado contra um avião da Avianca em que Gavíria viajaria, mas o então candidato mudou de planos na última hora e acabou escapando —a aeronave foi derrubada, matando as 107 pessoas a bordo.

Também em 1989, o cartel usou 500 kg de dinamite para explodir a sede da Dian (o órgão aduaneiro do país), matando mais de 60 pessoas e ferindo mais de 600.

Popeye era conhecido por ser o estrategista que planejava o sequestro de autoridades e figuras públicas.

A tática era usada para pressionar o governo colombiano a tomar ações que beneficiassem os narcotraficantes —como evitar a aprovação de uma lei que permitiria que os criminosos fossem extraditados para os EUA.

Assim, o cartel de Medellín foi responsável por mais de 250 sequestros, entre eles o do hoje ex-presidente Andrés Pastrana e o de Francisco Santos, ex-vice-presidente e atual embaixador da Colômbia nos EUA.

FOLHAPRESS


POSTO DE COMBUSTÍVEIS É ALVO DE ASSALTO NO CENTRO DE CAICÓ


Por volta 23:00 desta quinta-feira (06), um indivíduo armado praticou um assalto no Posto Albuquerque que fica ao lado da Escola Kenedy no Centro de Caicó.

O criminoso rendeu o frentista e robou  uma bolsa com uma certa quantia em dinheiro e em seguida fugiu a pé em direção ao Bairro Boa Passagem na zona norte de Caicó.