segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020


Militar brasileiro preso com 39 quilos de cocaína na Espanha recebe pena de seis anos


Sargento da Aeronáutica brasileira Manoel Silva Rodrigues, que foi detido na terça-feira (25) no aeroporto de Sevilha, na Espanha — Foto: Redes sociais/ Reprodução TV Globo


O sargento Manoel Silva Rodrigues, que foi preso na Espanha com 39 quilos de cocaína levados num avião da comitiva do presidente Jair Bolsonaro, em julho de 2019, fez um acordo com a promotoria espanhola e vai cumprir pena de seis anos e um dia de prisão.

É uma redução da condenação anterior, de oito anos. Rodrigues também deve pagar uma multa de 2 milhões de euros (cerca de R$ 9,5 milhões, na cotação atual).

Segundo a agência Efe, a pena foi diminuída depois da admissão de autoria por parte de Rodrigues — na corte, o sargento afirmou estar profundamente arrependido.

Rodrigues foi preso em Sevilha em 25 de junho de 2019. Ele havia viajado a Sevilha com 39 kg de cocaína na bagagem, e ia em um dos voos da comitiva que levava Jair Bolsonaro a um encontro do G20, no Japão. O presidente não estava no mesmo avião.

O brasileiro afirmou que sua missão era levar a droga até a Europa e voltar. Ao sair do aeroporto, ele iria para um centro comercial, onde aguardaria uma pessoa que daria um sinal.

Em 20 anos de limitar, nunca abriram nenhum processo contra mim, e eu nunca tive nenhuma sanção, mas meu salário não é muito alto e eu estava passando por dificuldades econômicas”, disse o condenado, segundo o jornal “ABC de Sevilla”.

Ele ainda afirmou que pretende voltar ao Brasil e trabalhar.

A promotoria considerou que o militar brasileiro foi sincero e reconheceu seus crimes.

G1


Carnaval de Recife/Olinda já tem mais de 20 casos de pessoas furadas com agulhas



Em sete dias, 23 pessoas teriam sido furadas por agulhas em festas de carnaval no Recife e Olinda, a informação foi passada pela  Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), por meio do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância à Saúde.

Dos 23 casos, 15 são do sexo feminino e 8 masculino. A Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) instaurou inquérito e está apurando os fatos.

Deste total, 21 deram entrada no Hospital Correia Picanço, sendo no último sábado (22), 12 pessoas relatando a mesma ocorrência. Os pacientes foram admitidos na unidade, referência estadual em doenças infecto-contagiosas, e, após triagem, 20 realizaram a profilaxia pós-exposição (PeP) para prevenir a infecção pelo HIV e outras infecções.