quarta-feira, 19 de agosto de 2020


Confirmado 28 novos casos de Covid-19 e 61 pessoas recuperadas nesta quarta-feira (19), em Caicó

A Secretaria Municipal de Saúde vem por meio desta divulgar 62 casos recuperados e 28 novos casos confirmados de COVID-19:

Sendo 13 homens e 15 mulheres. Destes 02 são crianças. Os casos residem:
01- Nova Descoberta;
05-Centro;
02-Boa Passagem
02-Paraiba
02-Walfredo Gurgel
01- Paulo VI
05- João XXIII
01- Alto da Boa Vista
01- Recreio
01- Canutos e Filhos
01- Castelo Branco
01- Serrote Branco
01- Vila Altiva
01- Nova Caico
01- Soledade
01- Darcy Fonseca.
01- Centro de Atendimento Socioeducativo (CASE)

Destes 12 foram confirmados por TR e 16 por RT-PCR.

@plantaocaico 

Covid-19 : Brasil registra 1.212 óbitos e 49 mil casos nas últimas 24h; São 111 mil mortes e 3,4 milhões de infectados

O Ministério da Saúde divulgou os dados mais recentes sobre o coronavírus no Brasil nesta quarta-feira (19):

Registro de 1.212 óbitos nas últimas 24h, totalizando 111.100 mortes;

Foram 49.298 novos casos de coronavírus registrados, no total 3.456.652 pessoas já foram infectadas.

O número total de recuperados do coronavírus é 2.615.254, com o registro de mais 61.075 pacientes curados. Outros 730.298 pacientes estão em acompanhamento.

@plantaocaico 


Polícia Civil prende policial militar suspeito por envolvimento no homicídio do jovem Gabriel


Policiais civis da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) deflagraram, na manhã desta quarta-feira (19), a Operação “Romanos 12:19”, com o objetivo de cumprir mandado de prisão temporária e mandados de busca e apreensão em desfavor de investigado pelo crime de homicídio que vitimou o jovem Giovani Gabriel de Souza Gomes. As diligências resultaram na prisão de um policial militar e na apreensão de uma viatura da Polícia Militar; ele foi preso no local de trabalho.

Giovani Gabriel foi visto pela última vez na manhã do dia 5 de junho deste ano, quando saiu de casa no bairro Guarapes, em Natal, para ir de bicicleta à casa da namorada em Parnamirim. Na semana seguinte ao desaparecimento, os policiais civis chegaram a encontrar suas sandálias e a bicicleta em uma área de vegetação em Parnamirim, próxima à casa da namorada. O corpo do jovem Gabriel foi encontrado no dia 14 de junho, em uma região de mata na comunidade Pau Brasil, em São José de Mipibu - a 30 km de Natal e a 20 km de Parnamirim. A perícia inicial apontou marca de tiro e braços atados.

De acordo com as investigações, o crime de homicídio ocorreu logo após o jovem Gabriel ser confundido com um suspeito da prática de um crime de roubo de um veículo, no bairro de Emaús, no município de Parnamirim. De acordo com o delegado Márcio Lemos, um dos envolvidos no roubo era muito parecido fisicamente com a vítima do homicídio, o jovem Gabriel.  

“O crime de roubo, segundo as investigações, teria sido muito violento. Um dos suspeitos teria apontado uma arma de fogo para a cabeça de uma criança de um ano”, destacou o delegado. Ainda segundo ele, um dos familiares das vítimas do crime de roubo era um policial militar, que, está sendo investigado por possível envolvimento no caso. 

Segundo o coronel do Comando do Policiamento do Interior, Castelo Branco, o processo interno de investigação (no âmbito da Polícia Militar) está ocorrendo de forma célere para que os devidos responsáveis sejam punidos, caso seja comprovada a autoria e materialidade da prática do crime que vitimou o jovem Gabriel. O policial militar, que possuía mandado de prisão temporária em seu desfavor, está preso no quartel da PM, onde permanecerá à disposição da Justiça.

A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia 181.

Fonte: Secretaria de Comunicação Social da Polícia Civil/RN – SECOMS

STF proíbe uso de helicópteros em operações nas comunidades do Rio de Janeiro

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta terça-feira (18) impor novas restrições para a realização de operações policiais em comunidades do Rio de Janeiro.

A decisão limita o uso de helicópteros, determina a preservação de vestígios de crimes e proíbe o uso de escolas e unidades de saúde como bases operacionais das polícias militar e civil. A votação foi concluída à meia-noite e realizada de forma eletrônica, no plenário virtual da Corte.

O julgamento foi motivado por uma ação protocolada pelo PSB (Partido Socialista Brasileiro) para impor limites à atuação policial devido à “excessiva e crescente letalidade” nas operações.

A maioria dos ministros acompanhou voto do relator, Edson Fachin, para estabelecer parâmetros para a realização das operações, como restrição ao uso de helicópteros apenas nos “casos de observância da estrita necessidade”, preservação de todos os vestígios de crimes, vedada a remoção de cadáveres sobre o “pretexto de suposta prestação de socorro”, além de obrigar a anexação de fotos e laudos de necropsia às investigações para futura “revisão independente”.

A decisão também cria diretrizes para operações que forem realizadas nas proximidades de escolas, creches, hospitais e unidades de saúde.

Os policiais devem evitar operações durante os horários de entrada e saída dos estudantes e obriga a criação de protocolos de comunicação entre a polícia local e as áreas de educação e saúde para garantir a segurança de alunos, professores e pacientes.

O uso das instalações de escolares e de saúde como base também fica proibida.

No início do mês, o STF tomou a primeira decisão para limitar as operações policiais em comunidades do Rio. Pela decisão, as operações poderão ser deflagradas somente em casos excepcionais com comunicação prévia ao Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro, órgão responsável pelo controle externo da atividade policial.

A Polícia Militar do Rio afirmou que mantém o seu compromisso de seguir atuando dentro de seus princípios institucionais e que a decisão do STF será respeitada. A Polícia Civil também disse que vai cumprir a decisão e que mantém seu compromisso institucional com a sociedade.
@plantaocaico