sexta-feira, 4 de setembro de 2020


CONFIRMADO 23 NOVOS CASOS DE COVID-19 E 42 PESSOAS RECUPERADAS NESTA SEXTA-FEIRA (04), EM CAICÓ


Nesta sexta-feira (04), a Secretaria Municipal de Saúde vem por meio desta divulgar o registro de 23 novos casos de COVID-19 no município, sendo TODOS comunitários. Comunicamos também mais 42 pessoas recuperadas na comunidade.

Com relação aos casos de hoje, são 11 homens e 12 mulheres. Destes 01 são crianças. Os casos residem:

05-Walfredo Gurgel.
02-Vila Altiva.
01- Barra Nova.
01- Paraíba.
02- Recreio.
01- Nova Descoberta.
01-Serrote Branco.
05-Paulo Vi.
01- Soledade.
02-Boa Passagem.
01-Penedo.
01- Itans.

Destes 04 foram confirmados por TR e 19 por RT-PCR.

@plantaocaico 

Polícia Civil prende suspeitos por tráfico de drogas em Caicó


Policiais civis da Delegacia Municipal de Caicó prenderam em flagrante, nesta sexta-feira (04), João Paulo de Souza Araújo, mais conhecido como “JP” e Jardel Calazancio de Medeiros. Eles foram presos pela suspeita da prática do crime tráfico de drogas.
 
As diligências foram iniciadas após o recebimento de denúncias anônimas, informando que uma residência localizada no bairro Recreio, no município de Caicó, estava sendo utilizada como ponto de venda de drogas. 

Durante a ação, os policiais civis apreenderam no imóvel: uma balança de precisão, porções de cocaína, sacos plásticos utilizados para embalar as drogas e R$ 2.474.00 (dois mil quatrocentos e setenta e quatro reais) em dinheiro fracionado.

João Paulo e Jardel Calazancio foram conduzidos até a delegacia e encaminhados ao sistema prisional, onde ficarão à disposição da Justiça. A Polícia Civil solicita que a população continue enviando informações de forma anônima, através do Disque Denúncia 181.

@plantaocaico 

Anticorpos contra coronavírus duram no mínimo quatro meses, diz estudo islandês

Um novo estudo da Islândia fornece garantias de que nossos anticorpos contra o coronavírus que causa COVID-19 podem durar pelo menos quatro meses — presumindo que eles sejam realmente produzidos.

O estudo, publicado no New England Journal of Medicine na terça-feira (1º), analisou amostras de sangue coletadas de mais de 30 mil pessoas na Islândia, um pouco menos de 10% da população total do pequeno país nórdico.

Elas incluíram mais de 4 mil pessoas com teste positivo para o novo coronavírus, SARS-CoV-2, ou suspeitas de terem sido expostas a alguém com o vírus. As amostras foram testadas para vários tipos diferentes de anticorpos adaptados especificamente para o vírus.

Ao todo, eles estimam que pouco menos de 1% do país tenha contraído COVID-19 durante a primeira onda do surto, que começou a perder força no final de abril. Eles também estimaram que mais da metade de todos os casos foram detectados por meio de testes anteriores. E o mais importante, eles descobriram que o nível de anticorpos nesses sobreviventes não caiu de maneira perceptível até quatro meses após a infecção inicial.

“Nossos resultados indicam que os anticorpos antivirais contra o SARS-CoV-2 não diminuíram em 4 meses após o diagnóstico”, escreveram os autores.

As descobertas do estudo entram em conflito com algumas estimativas anteriores de quanto tempo os anticorpos podem durar em pessoas que contraem COVID-19. Mas essas estimativas mais pessimistas vêm de estudos com amostras pequenas, enquanto pelo menos um estudo grande, mas preliminar, dá suporte à ideia de que os anticorpos podem durar meses na maioria das pessoas.

Esse estudo analisou amostras de sangue coletadas de quase 20 mil pessoas na cidade de Nova York, onde ocorreu o surto mais letal de COVID-19 relatado até agora, e descobriu que os anticorpos neutralizantes permaneceram estáveis ​​por três meses. É possível — até provável — que os anticorpos possam durar mais de quatro meses, mas não se passou tempo suficiente para os cientistas coletarem e analisarem os dados relevantes para ter certeza.

Por mais reconfortantes que sejam, esses resultados não provam que os sobreviventes estão completamente protegidos contra reinfecção. Tanto neste estudo quanto no estudo de Nova York, cerca de 10% das pessoas com COVID-19 confirmado aparentemente não produziram anticorpos detectáveis ​​para SARS-CoV-2, e são essas pessoas que podem ser mais suscetíveis a uma segunda infecção.

Os poucos relatos confirmados de reinfecção até o momento também não descartaram que ela pode acontecer mesmo em pessoas que têm anticorpos. Dito isso, é muito provável que os anticorpos forneçam algum nível de imunidade ao COVID-19, seja na prevenção por completo ou atenuando a gravidade da reinfecção.

O estudo da Islândia também nos fornece outra estimativa de quão mortal o COVID-19 pode ser em uma população. Ele encontrou uma taxa de mortalidade por infecção (também conhecida pela sigla IFR) de 0,3% na Islândia. Este número leva em consideração todos os casos, incluindo aqueles sem sintomas. Esta IFR é menor do que as estimativas em outros países, mas está dentro da faixa que outros estudos encontraram.

A fatalidade do COVID-19 na população provavelmente depende muito de fatores como a distribuição de idade e saúde média dos residentes de um país e se os surtos locais estão sobrecarregando os hospitais da região ou não. Tratamentos implementados recentemente e futuros, como esteroides, também podem diminuir ainda mais o risco de morte ao longo do tempo.

Na Islândia, o COVID-19, felizmente, nunca ganhou ao mesmo nível de outros países. Até 2 de setembro, havia apenas 10 mortes relatadas relacionadas à doença viral no país, enquanto há apenas cerca de 100 casos ativos atualmente e um pouco mais de 2 mil casos notificados no total.

GIZOMODO-UOL - @plantaocaico 


Senado aprova aumento do prazo de validade da carteira de motorista para até 10 anos

Em sessão remota nesta quinta-feira (3), o Plenário do Senado aprovou o projeto que altera o Código de Trânsito, ampliando para 10 anos a validade da carteira de motorista (PL 3.267/2019). Foram 46 votos a favor e 21 contrários, além de uma abstenção. De iniciativa do Poder Executivo, a proposta foi aprovada na Câmara dos Deputados no final de junho. Como foi modificado no Senado, o projeto retorna para nova votação na Câmara.
O projeto estabelece várias alterações no Código de Trânsito Brasileiro (CTB — Lei 9.503, de 1997). Entre elas, a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) passará a ter validade de dez anos para condutores com até 50 anos de idade. Hoje, a regra geral é de cinco anos de validade. A proposta também estabelece cinco anos para condutores entre 50 e 70 anos de idade; e três anos para condutores com 70 anos ou mais.
O texto determina que os exames de aptidão física e mental sejam realizados por médicos e psicólogos peritos examinadores e altera regras para o uso da cadeirinha ou do assento de elevação, acrescentando referências de peso e altura ao limite de 10 anos de idade. O projeto do governo também estabelece regras mais brandas para a retenção da carteira e para exames toxicológicos. Para a suspensão da carteira, o número de pontos pode chegar a 40, conforme a situação — o dobro do que é hoje.
Fonte: Agência Senado - @plantaocaico 

Proposta de reforma administrativa chega ao Congresso Nacional


O governo federal apresentou ao Congresso, nesta quinta (3), um projeto de emenda à Constituição que integra a reforma administrativa. Ele cria quatro novos tipos de vínculos para futuros funcionários públicos e garante estabilidade a apenas um deles.⠀
A proposta também prevê o fim de férias superiores a 30 dias por ano; aumentos retroativos; adicional por tempo de serviço; aposentadoria compulsória como punição;  e progressão ou promoção baseada exclusivamente em tempo de serviço, entre outros pontos.⠀

As mudanças valeriam apenas para novos ingressantes no funcionalismo público, seriam válidas para os três níveis (municipal, estadual e federal) e todos os Poderes (executivo, legislativo e judiciário).
InfoMoney - @plantaocaico