quinta-feira, 5 de novembro de 2020


Rogerio Marinho libera mais 200 mil reais para calçamento em Caicó



O Ministro do Desenvolvimento Regional Rogerio Marinho liberou nesta quinta-feira(5) mais 200 mil reais para investimento em pavimentação de ruas na cidade de Caicó.

Ao Prefeito Batata, Rogerio garantiu a liberação imediata de mais 200 mil tão logo que os valores depositados hoje sejam utilizados na pavimentação de ruas em Caicó.

@plantaocaico 

Confirmado 5 novos casos de Covid-19 nesta quinta-feira (05), em Caicó

Nesta quinta-feira (05), a Secretaria Municipal de Saúde vem por meio desta divulgar o registro de 05 (CINCO) novos casos de COVID-19 no município, sendo TODOS comunitários. Comunicamos também, a recuperação de 09 pessoas na comunidade.

Com relação aos casos de hoje, foram 03 Homens e 02 Mulheres.
Os casos residem:
01- Zona Rural;
02- Paraíba;
01- Alto de Boa Vista;
01- Walfredo Gurgel.

Destes, 04 foram confirmados por TR e 01 por RT-PCR.

@plantaocaico 


Pacto Federativo: proposta de Guedes pode extinguir 1.217 cidades brasileiras com menos de 5 mil habitantes; sete em cada dez desse porte têm mais de 50% das receitas compostas por repasses do FPM



Um ponto polêmico presente na proposta do Pacto Federativo, proposto pelo governo federal, compreende a ideia de extinguir municípios para desafogar os orçamentos de estados e municípios. A ideia que matuta na cabeça do ministro da Economia, Paulo Guedes, envolve a união de municípios com menos de 5 mil habitantes e ostensivamente dependentes de repasses da União. Segundo um levantamento do site Virtu News, o Brasil tem 1.217 municípios que poderiam deixar de existir até 2025. A redução representaria o fim de 2.434 cargos de prefeito e vice-prefeito, além de uma redução nos números de vereadores – seriam extintos quase 11 mil cargos, dos quase 55 mil hoje no país como um todo – e de funcionários municipais (mais de 30 mil cargos seriam fechados). Essas cidades têm em comum a baixa população e a baixa arrecadação de impostos próprios, responsáveis por menos de 10% da receita total.

O levantamento foi feito com base em dados do Tesouro Nacional e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE. Constatou-se que praticamente sete em cada dez cidades desse porte têm mais de 50% das receitas compostas por repasses do Fundo de Participação dos Municípios, o FPM. Segundo o levantamento, esses micromunicípios são, em geral, mais ricos que as pequenas e médias cidades. As cidades com menos de 5 mil habitantes abrigam cerca de 2% da população brasileira apenas, mas controlam 10% do FPM. No ano passado, o FPM transferiu 93,4 bilhões de reais – dos quais 37% foram para municípios com 15% da população brasileira. As cidades com 26% dos habitantes do país ficaram com uma fatia menor dos recursos, ou 18% da dinheirama. As cidadelas receberam, em média, 2.408 reais por pessoa. Os municípios de 500 mil a 1 milhão de habitantes, por sua vez, receberam 177 reais por habitante.

Na distribuição per capita desses recursos, de acordo com os dados analisados, as cinco cidades que contaram com maiores parcelas têm menos de 1,5 mil habitantes cada. São elas Serra da Saudade (MG), Borá (SP), Engenho Velho (RS), Cedro do Abaeté (MG) e Araguainha (MT). Dentre elas, Serra da Saudade recebeu 10 mil reais por habitante em sua cota no FPM, aponta o Virtu News. Nos municípios com até 5 mil pessoas, os repasses do FPM correspondem a 55% receita corrente do município. O levantamento mostra ainda que a Receita Corrente Líquida — a soma de receitas tributárias, contribuições, transferências correntes e outras — per capita média de municípios de até 5 mil habitantes é de 5 mil reais, contra média inferior a 3 mil reais das cidades de 20 mil a 50 mil pessoas. Desde 1990, foram criados 1.079 municípios, um aumento de 24%, e as cidades de até 5 mil habitantes, que eram 16% até então, passaram a representar 23% do total em 2010.

Veja - @plantaocaico 


Entenda como funciona a eleição presidencial nos Estados Unidos



A eleição dos Estados Unidos é uma das disputas presidenciais mais importantes do mundo, mas diferente do que ocorre no Brasil e em muitos outros países, o pleito americano é bastante complexo e muitas pessoas não entendem como ele funciona.

Para conseguir compreender o seu funcionamento é preciso ter duas coisas em mente: nos EUA o voto não é obrigatório e a eleição é indireta.

O primeiro ponto afeta a forma como a campanha é feita, já que os candidatos precisam se esforçar não só em ganhar os votos, mas fazer com que os eleitores saiam de casa e votem. Isso em um processo em que a eleição ocorre na primeira terça-feira de novembro e não é feriado, ou seja, as pessoas trabalham normalmente e precisam se organizar caso queiram ir votar.

Já o fato de ser uma eleição indireta é o que mais confunde quem não está acostumado com o processo. Basicamente, o eleitor, na cédula, vota em seu candidato, mas o voto mesmo vai para o chamado delegado, que é um representante dos estados e que irá fazer o voto no candidato conforme a decisão da população local.

Para escolher o presidente, são 538 delegados distribuídos de forma proporcional à população de cada estado. Por exemplo, a Califórnia tem 55 delegados, enquanto Nevada tem apenas 4. Vence o candidato que conseguir 270 destes votos.

Um ponto importante é que em quase todos os estados existe o chamado “winner takes all”, ou seja, o candidato que obtiver a maioria dos votos no estado leva todos os delegados, não importa a diferença percentual.

E é por conta disso, que nem sempre o candidato que tem a maioria dos votos totais da população é o vencedor, já que ele precisa focar em ganhar mais delegados. Foi o que aconteceu, por exemplo, em 2016, quando a democrata Hillary Clinton teve quase 3 milhões de votos a mais que o republicano Donald Trump, mas perdeu a eleição.

Via @infomoney e @uoloficial - @plantaocaico 

Moto é furtada na zona rural de Caicó



Na noite desta última quarta-feira (04), uma moto Yamaha YBR 125 PRETA de placas, (MXI 6694) foi furtada em um queijeira localizada no Sitio Serrote Branco, próximo ao Distrito de Laginhas no município de Caicó.

@plantaocaico 



Bandeira tarifária verde vai até 31 de dezembro

A Aneel confirmou esta semana que a bandeira tarifária verde segue até 31 de dezembro de 2020. A medida emergencial ajuda consumidores e setor elétrico, afetados pela crise causada pela Covid-19.

A redução de carga, as perspectivas de geração de energia deste ano e os custos cobertos pela chamada Conta-Covid garantem a manutenção do desconto nas contas de energia.

@plantaocaico 

Caicó: 23 pessoas já estão impedidas de votar porque contraíram coronavírus




Seguindo o plano de segurança sanitária para as eleições 2020 o TSE está orientando mesários e eleitores que tenha diagnóstico positivo para COVID-19 a partir de 1 de novembro que fique em casa e não compareça aos locais de votação.  A justificativa para qualquer pessoa pode ser feita pelo aplicativo do TSE.

Pegando os dados de primeiro de novembro até o boletim de ontem dia quatro já são 23 pessoas que contraíram a doença em Caicó e portanto não poderão ir votar.

@plantaocaico