segunda-feira, 7 de dezembro de 2020


23 novos casos de Covid-19 e 46 pessoas recuperadas nesta segunda-feira (07), em Caicó




Boletim COVID-19: Caicó

Nesta segunda-feira (07), a Secretaria Municipal de Saúde vem por meio desta divulgar o registro de 23 (VINTE E TRÊS) novos casos de COVID-19 no município, TODOS comunitários. Sendo 08 homens e 15 mulheres. Deste 5 sao crianças. Os casos residem:

01- Centro;
01- Paraíba;
02- Boa Passagem;
01- Vila do Príncipe;
03- Penedo;
01- Itans;
01- Alto da Boa Vista
01- Barra Nova;
02- Recreio;
01- Canutos e Filhos;
01- Samanaú;
01- Darcy Fonseca;
01- Vila Altiva
01- Nova Caicó;
01- Maynard;
01- Soledade;
01- João XXIII;
01- João Paulo II;
01- Paulo VI.
Destes 03 foram confirmados por TR e 20 foram confirmados por RT-PCR

Informamos a RECUPERAÇÃO de 46 pessoas da comunidade.

Reforçamos a importância das medidas preventivas, como distanciamento social, etiqueta respiratória, higienização das mãos e uso de máscara quando precisar sair de casa.

@plantaocaico 

Salários de secretários e cargos comissionados não podem receber aumento até dezembro 2021

Além da proibição do aumento de salários de prefeitos e vereadores também estão proibidos reajustes nos salários de secretários e demais cargos comissionados de órgãos dos poderes executivo e legislativo dos estados e municípios. 

A proibição está na Lei Complementar nº 173/2020 aprovada pelo congresso nacional para diminuir os efeitos financeiros causados pela pandemia.  A lei impede ainda o aumento de salários de quaisquer categorias de servidores públicos (federais, estaduais e municipais) até o final de 2021.

A proibição de reajuste para o funcionalismo público foi uma contrapartida do Governo Federal para repassar R$ 120 bilhões aos estados e municípios, em maio, como forma de diminuir o impacto da crise gerada pela pandemia no país.

@plantaocaico 

Governo Bolsonaro encerrará programas de saúde mental no SUS


O governo Bolsonaro revogará cerca de cem portarias do Ministério da Saúde sobre saúde mental, editadas entre 1991 e 2014.⁠
Segundo a revista Época, estão na lista o programa anual de reestruturação da assistência psiquiátrica hospitalar no SUS, o Serviço Residencial Terapêutico e a Comissão de Acompanhamento do Programa De Volta para Casa.⁠
Também corre risco a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas.⁠
Outra iniciativa que deverá ser revogado é o Consultório na Rua, que busca ampliar o acesso da população em situação de rua ao serviços de saúde.⁠
Os programas De Volta para Casa e Serviço Residencial Terapêutico têm por objetivo reabilitar psicossocialmente pacientes submetidos a longas internações psiquiátricas.⁠
@plantaocaico 

Metralhadora controlada por satélite matou cientista nuclear iraniano


ctv-g4w-iran fisico
Foto: WANA (West Asia News Agency) via REUTERS

 

O recente assassinato do principal cientista nuclear do Irã foi executado com a ajuda de uma “ferramenta eletrônica avançada” guiada por um “dispositivo de satélite”, como afirmou o segundo brigadeiro Ramazan Sharif, porta-voz da Guarda Revolucionária iraniana, segundo relatado pela agência iraniana semi-oficial Isna.

Mohsen Fakhrizadeh, que se acredita ser o mentor do polêmico programa nuclear do Irã, estava em um carro a leste de Teerã quando foi morto a tiros na tarde de sexta-feira, 27 de novembro. Há relatos conflitantes sobre como o ataque se desenrolou, mas a maioria dos testemunhos iranianos concorda que foi uma ação sofisticada com tiros e uma explosão.

O contra-almirante Ali Fadavi, subcomandante-chefe da Guarda Revolucionária, confirmou à agência iraniana Mehr que se tratou de uma metralhadora controlada por satélite, com ajuda de inteligência artificial. Segundo ele, Fakhrizadeh circulava com uma equipe de segurança composta por 11 membros da Guarda Revolucionária quando a metralhadora deu “zoom” em seu rosto e disparou 13 vezes.

A arma, colocada sobre uma caminhonete, “concentrou-se apenas no rosto do mártir Fakhrizadeh, de tal forma que sua mulher, que estava a apenas 25 centímetros, não foi atingida por nenhum tiro”, assinalou a fonte.

A arma era “controlada pela internet” via satélite e usou uma “câmera sofisticada e inteligência artificial” para encontrar seu alvo, explicou Fadavi, segundo o qual o chefe da segurança do cientista levou quatro tiros “quando se jogou sobre ele” para protegê-lo. “Não havia nenhum terrorista no local.”

A agência Mehr e outros veículos locais não informaram se Fadavi falou sobre a morte de outras pessoas no ataque. Autoridades iranianas acusaram Israel e os Mujahedines do Povo, grupo opositor proibido no Irã, pelo assassinato.

Várias versões foram divulgadas sobre a morte do cientista. O ministro da Defesa, Amir Hatami, indicou que o mesmo havia sido vítima de um ataque com explosivos e um tiroteio, enquanto a agência de notícias Fars afirmou, dias depois, sem citar fontes, que havia sido usada uma “metralhadora automática teleguiada” colocada sobre uma caminhonete.

Na terça-feira, o porta-voz do governo iraniano, Ali Rabiee, disse que o Ministério da Inteligência iraniano havia fornecido ao governo um “alerta de operação terrorista” alguns meses e dias antes do assassinato de Fakhrizadeh.

O Irã tem afirmado repetidamente que seu programa nuclear tem sido usado exclusivamente para fins pacíficos, mas Israel e outros estados acusam Teerã de tentar desenvolver uma bomba nuclear, em um programa que dizem ter sido planejado por Fakhrizadeh.

ESTADÃO CONTEÚDO - @plantaocaico