segunda-feira, 15 de novembro de 2021


Grave acidente de trânsito é registrado na noite desta segunda-feira (15), entre Caicó e São João do Sabugi

🚔 No início da noite desta segunda-feira (15), foi registrado um grave acidente de trânsito do tipo capotamento na RN-118, entre Caicó e São João do Sabugi.

O veículo era ocupado por dois adultos e uma criança de 10 anos, ambos residentes no loteamento Serrote Branco II, na zona norte de Caicó. Segundo informações, a criança sofreu vários ferimentos pelo corpo e foi encaminhada para Natal.

Uma das vítimas foi identificado por Erivaldo, que trabalha de mecânico de caminhão em Caicó. O seu estado de saúde é considerável estável.


▶️ @plantaocaico 


Energia elétrica furtada no país equivale ao consumo anual do Paraná

💡 A quantidade de energia elétrica furtada no Brasil em 2020 por meio de ligações clandestinas seria suficiente para abastecer por um ano o estado do Paraná, o quinto mais populoso do país, com 11,5 milhões de habitantes. As distribuidoras estimam uma perda de receita de R$ 3,3 bilhões anuais com esse tipo de fraude, de acordo com dados da Abradee (Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica).

O furto de energia elétrica, prática conhecida como “gato”, é um crime previsto no artigo 155 do Código Penal (furto qualificado, com pena de prisão de um a quatro anos e multa). Além do crime, especialistas alertam para o risco de curtos-circuitos, incêndios, eletrocussão e morte causados por incidentes relacionados aos “gatos”.

Entidades do setor e especialistas apontam que a prática ocorre em todas as camadas da sociedade – em locais de vulnerabilidade social, em endereços de luxo, no comércio e na indústria. Para combater esse tipo de crime, as empresas apertam a fiscalização e promovem a regularização de pontos de consumo clandestinos.

No Distrito Federal, por exemplo, a Neoenergia, distribuidora local, fez 33 mil ações de fiscalização neste ano e regularizou 21 mil pontos de consumo. De acordo com o gerente de Gestão de Receita da Neoenergia, Luiz Paulo Marinho, a companhia recuperou, de março a setembro deste ano, R$ 97 milhões em energia furtada – o equivalente a 150 GWh ou oito dias de consumo da capital federal, que tem pouco mais de 3 milhões de habitantes.

Na cidade do Rio de Janeiro, mais da metade da eletricidade distribuída para o mercado de baixa tensão, que inclui residências e comércio, é furtada. Dados da Light, distribuidora que opera no estado, apontam que, de julho a setembro, 53,8% da energia distribuída nesse segmento foi furtada. Por meio de nota, a empresa disse que fez, no período, 29.245 regularizações.

▶️ @plantaocaico 

PCC usa 'coquetel' com cocaína e viagra para matar inimigos nas prisões

💊 O preso Juliano da Silva Soares, 36, pode ter sido vítima do “coquetel da morte” na Penitenciária 2 de Presidente Venceslau (SP). Ele passou mal na cela 308, na manhã do último dia 26, foi atendido na enfermaria da unidade prisional, submetido a procedimento de urgência e transferido para a Santa Casa da cidade.

O coquetel da morte, mais conhecido no sistema prisional paulista como “gatorade”, é uma mistura de cocaína, viagra e água e, quando ingerido, causa overdose. A fórmula foi criada pelo PCC (Primeiro Comando da Capital) em meados dos anos 2000 para matar os inimigos.

Soares morreu no dia seguinte. No xadrez ocupado por ele e outros quatro presos foram encontrados no ralo do banheiro 5,14 g de cocaína, 8,11 g de maconha, 14 comprimidos de cor azul, 20 de cor branca e quatro de cor verde, todos aparentando ser estimulantes sexuais.

Os presidiários Alexsandro Aparecido Bonifácio Santana, Carlos Ronaldo Correa, Deives Aparecido Manoel, Sidnei Oliveira da Cruz e Wanderlei Macambira de Brito foram isolados preventivamente em regime de cela disciplinar pelo prazo de dez dias.

Procurada pela reportagem, a SAP (Secretaria Estadual da Administração Penitenciária) informou por meio de nota que a direção da Penitenciária 2 de Presidente Venceslau abriu procedimento de apuração preliminar para checar os fatos.

▶️ @plantaocaico 

Mãe de Marília Mendonça diz que neto ainda não sabe da morte da cantora: ‘Para ele, a mãe foi trabalhar’


👩‍👦A mãe de Marília Mendonça, Ruth Moreira, revelou que o Neto Léo ainda não sabe que a mãe morreu. Ruth diz que o menino acredita que a mãe está trabalhando e pretende contar sobre a tragédia “devagarinho”.

“Ele ainda não entende o que está acontecendo. Para ele, a mãe foi trabalhar, como a gente sempre falou para ele: ‘A mãe está trabalhando’. Porque se ele olhar a porta do quarto dela fechada, ele fala ‘mamãe’. Ele quer ir lá, quer bater, quer entrar. Às vezes eu entrava com ele, falava: ‘Mãe não está aqui, não, mamãe está trabalhando”, afirmou em entrevista ao Fantástico.

▶️ @plantaocaico